Vinícolas do mundo

Laura Catena dá voz (e vinhos!) a pequenos produtores no La Posta Vineyards


 

Após estudar 500 anos da história dos vinhos argentinos, a enóloga Laura decidiu quebrar regras para trazer brilho aos rótulos de seu país. Lançou sua primeira safra em 1999 e batizou de "Luca", nome de seu filho

Laura Catena, enóloga da Luca Wines, tem esse projeto há cerca de 15 anos. As uvas são adquiridas de terceiros, mas tornam visível o nome de cada vinhedo, de cada produtor no rótulo, como forma de reconhecer aquele trabalho e o local de origem específico. De fato, é o sobrenome de cada família de vinhedos ou produtores que dá nome a cada vinho.

 

LEIA MAIS

» Irmãos de Bilbao buscam clima seco por problema de saúde e fundam CVNE em Rioja

» Cortes de Cima e o vinho que nasce Incógnito como pioneiro da Syrah no Alentejo

 

Localizada no oeste do Vale do Uco, a Pizzella Family possui extensão de 10 hectares e se tornou sucesso pelo cultivo de uvas Malbec em clima frio

O Malbec La Posta Pizzella é um exemplo, cultivado em Altamira pelos Pizzella, um casal de professores que deixou Buenos Aires para viver no campo. Ou o La Posta Armando Bonarda, nascido de um vinhedo de seis hectares no setor de Guaymallén, plantado em 1963 e de propriedade de Estela Armando, cuja ligação com o cultivo da vinha vem de seu bisavô.

 

A família cultiva a fruta em Mendoza desde 1887. A atual vinha de Bonarda foi plantada no ano 1963. A combinação de um local único, videiras velhas e muito pouca irrigação cria uvas de alta qualidade incomum

 

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

 

Da redação

Publicado em 13 de Julho de 2020 às 15:00


Notícias