Revista ADEGA
Busca

Tchin, o Tinder dos enófilos

Novo aplicativo de encontros une apaixonados por vinhos

Além de dizer quem você é, você diz de qual vinho gosta


Novo aplicativo de encontros une apaixonados por vinhos

Alicia Dumas e Marie-Julie Jegot receberam 10 mil euros para o projeto

O primeiro encontro pode parecer perfeito, mas daí você escolhe aquela garrafa especial de espumante e a pessoa do outro lado diz que não bebe ou que prefere um milkshake. Como o amor pode não estar na mesa ainda, essa frustração de quem gosta de vinho pode custar o match, certo? Alicia Dumas e Marie-Julie Jegot, duas estudantes de MBA em comunicação e marketing de vinhos em Bordeaux querem garantir que isso não aconteça.

» O (vinho do) Porto da Rainha e a incrível história por trás

Elas ganharam 10 mil euros no concurso Tomorrow Wine, organizado pela Vinventions, empresa fornecedora de rolhas e outros produtos para a indústria vitícola com o projeto de um aplicativo de encontros para os apreciadores de vinho. O resultado foi revelado no Salão de Vinhos de Paris no último dia 16 de fevereiro. Com o prêmio, as estudantes vão dar entrada no pedido da patente no INPI e ainda estarão trabalhando por seis meses numa incubadora de novos aplicativos buscando os fundos necessários para pagar o desenvolvedor de web e lançar o projeto.

Com o nome de Tchin (como o barulho de duas taças brindando), o aplicativo seguirá a base de tantos outros, mas apenas no começo, com nome, idade, profissão, sua foto etc. Mas daí em diante as coisas mudam, você vai escolher se é vinhateiro, enólogo, historiador ou enófilo simplesmente. Na etapa seguinte você precisa mencionar quatro das suas regiões produtoras preferidas e o tipo de vinho que mais gosta. "Como outros aplicativos, ele vai para a esquerda e para a direita, mas ao invés de dar 'match', ele dá um 'tchin'", contam as duas criadoras do app.

O algoritmo vai, além disso, propor três vinhos que correspondem às afinidades dos dois "amantes de vinho"(por assim dizer) e fornecer uma lista dos locais onde esses vinhos poderão ser degustados num encontro ao vivo, como bar, restaurante ou enoteca. As duas criadoras desejam também que o aplicativo forneça um QR code para ser apresentado nesses estabelecimentos garantindo descontos exclusivos e que as marcas de vinho apoiem o projeto para terem suas marcas indicadas. O serviço premium deverá custar 9,99 euros por mês e a versão mais simples será gratuita. Mas calma lá, segura a rolha na garrafa que o serviço ainda não está disponível!

Quem sabe na sua próxima viagem para a França já seja possível dar um Tchin?!

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui

Silvia Mascella Rosa
Publicado em 03/03/2022, às 08h00


Mais Mundovino