MundoVino

Châteaux bordaleses testam nova forma de evitar fungos na vinha

Algas do Oceano Atlântico são utilizadas contra o míldio


Produtores de Bordeaux e Cognac estão testando uma nova forma de evitar a infestação de fungos em suas vinhas por meio do uso de algas do oceano Atlântico. Os resultados iniciais dos testes em quatro vinhedos em Bordeaux e seis em Cognac mostram que as algas podem ser eficazes contra o míldio e a botrytis. 

Ambas as infecções fúngicas tendem a representar um problema importante para a região, principalmente devido às condições quentes e úmidas que favorecem seu desenvolvimento. 

Enquanto o tratamento tradicional de cobre, conhecido como “bouillie bordelaise” (calda bordalesa, em português) é eficaz contra surtos de fungos, alguns produtores, particularmente aqueles que adotaram produtos orgânicos, se preocupam com a sua toxicidade e desejam encontrar outra solução.

Os tratamentos da vinha à base de algas marinhas têm sido utilizados por produtores de vinhos orgânicos e biodinâmicos há várias décadas, tendo começado como forma de enriquecer e fertilizar o solo. No entanto, nos últimos três anos, o enólogo Laurent de Crasto tem trabalhado com Lionel Navarro, pesquisador do Centro Nacional de Pesquisa Científica da França (CNRS), para testar um novo tratamento para infecções por fungos usando algas do Atlântico em pó. 

Os resultados até o momento mostram uma taxa de sucesso de 100% contra o míldio e de 50% contra botrytis. Segundo os pesquisadores, os próximos passos serão aumentar a produção, garantir as aprovações regulatórias e ter um produto comercial disponível até 2022.

Da redação

Publicado em 27 de Setembro de 2018 às 20:00


Notícias Cognac Bordeaux fungos na vinha

Artigo publicado nesta revista

Vertical de Romanée-Saint-Vivant

Revista ADEGA 154 · Agosto/2018 · Vertical de Romanée-Saint-Vivant

E as visões de Aubert de Villaine