Revista ADEGA
Busca

Brasil pode ganhar a quinta Indicação Geográfica de Vinhos Finos

A região de Farroupilha pode ser a nova Indicação Geográfica do Brasil, focada em Moscatel


A solicitação da Indicação de Procedência (IP) para os espumantes moscatéis produzidos na região da Farroupilha, no Rio Grande do Sul, foi feita pela Associação Farroupilhense de Produtores de Vinhos, Espumantes, Sucos e Derivados (Afavin)  na Sede do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), em Porto Alegre, no último dia 25 de julho. 

Divulgação

Afavin e Embrapa protocolam pedido da IP Farroupilha no INPI

A solicitação formal da IP exigiu a entrega de um dossiê detalhado com a delimitação geográfica, a caracterização da vitivinicultura (vinhedos e vinícolas), os processos de produção, as características de qualidade química e sensorial dos vinhos e o reconhecimento histórico da região como produtora de vinhos moscatéis. Além disso, o documento conta com Regulamento de Uso da IP, estabelecendo os processos de produção exclusivos e obrigatórios, bem como o plano de controle e certificação dos vinhos qualificados.

Para o pesquisador da Embrapa Uva e Vinho e coordenador técnico do projeto, Jorge Tonietto, o grande diferencial desta Indicação é que a área delimitada corresponde à tradicional região produtora de uvas moscatéis da Serra Gaúcha, responsável por abranger a maior concentração dessa variedade no país. “A conquista da Indicação pela Afavin irá possibilitar que centenas de produtores e dezenas de vinícolas estabelecidos dentro da região delimitada possam elaborar moscatéis espumantes, frisantes e vinhos tranquilos, que expressam a originalidade do terroir desta região”, destaca.

Para que os produtores da região recebam a certificação, precisarão passar por criteriosos processos de produção e de elaboração dos vinhos segundo o estabelecido no Regulamento de Uso desenvolvido especialmente para os vinhos da IP Farroupilha. Para o presidente do conselho técnico da Afavin, João Carlos Taffarel, a solicitação marca o fim de um importante processo. “Com a entrega da documentação desse projeto tão focado, temos a iminência do reconhecimento oficial como indicação de procedência”, salienta.

As atividades em busca da certificação começaram em 2005, com a criação da Afavin. Na sequência, diversas ações foram desenvolvidas, mas a iniciativa ganhou força no ano de 2009 com a aprovação do projeto de Desenvolvimento da Indicação Geográfica, sob a coordenação da Embrapa Uva e Vinho.

Assim que a IP Farroupilha for aprovado pelo INPI, o Brasil terá cinco Indicações Geográficas de Vinhos Finos: IP Vale dos Vinhedos (2002) – DO em 2012, IP Pinto Bandeira (2010), IP Altos Montes (2012), IP Monte Belo (2013). Todas receberam a orientação e o acompanhamento da Embrapa Uva e Vinho.

Redação
Publicado em 05/08/2014, às 08h25 - Atualizado em 03/12/2014, às 08h04


Mais Notícias