Revista ADEGA
Busca

Dia dos namorados chegando...

Como escolher vinho para um encontro romântico?

Vai para um encontro? Quer impressionar? Saiba quais vinhos mais fazem sucesso a dois e confira as dicas de rótulos incríveis


Escolher um bom vinho faz parte do encontro perfeito
Escolher um bom vinho faz parte do encontro perfeito

Há quem só abra vinhos em ocasiões especiais. Para outros, contudo, o vinho torna especial uma ocasião. Ou seja, de uma maneira ou de outra, essa é uma bebida que marca um momento na vida das pessoas.

Então, nada melhor do que optar por uma garrafa de vinho na hora impressionar alguém que você quer conquistar, porém, para isso, é bom ficar atento para não cometer gafes e escolher algo adequado. 

Reservar uma mesa em um restaurante chique, pedir um prato requintado e acompanhar com um refrigerante desanima qualquer um, do garçom, ao chefe de cozinha até a sua companhia.

Nessas horas, acredite, o vinho é obrigatório.

como-escolher-vinho-para-um-encontro-romantico
Escolher um bom vinho fará o companheiro ou companheira se sentir especial

No entanto, toda a pompa do momento pode ser colocada a perder se você se atrapalhar na escolha ou mesmo na hora em que o sommelier faz o serviço do vinho. Sobre a escolha, há vários fatores a considerar, desde o gosto de sua companhia até a possível harmonização com o que irão comer. Sobre o serviço, é bom entender a etiqueta no restaurante, que é bem simples.

Resumidamente: você chama o sommelier, escolha o vinho, ele traz a garrafa, mostra-lhe o rótulo, você confirma o pedido, ele tira a rolha e a coloca sobre a sua mesa, serve um pouco em sua taça, você prova, acena afirmativamente com a cabeça (se o vinho estiver bom – se estiver ruim, questione e peça a opinião do sommelier), preenche a taça de sua companhia e depois completa a sua. Simples assim!

Na dúvida, sempre peça auxílio ao sommelier. Ele ]e o profissional treinado e esta lá para isso mesmo.

Fato é que escolher um vinho para ir a um encontro com alguém já faz com que a pessoa se sinta especial, prestigiada. Isso demonstra que você pensou nela. Então, faça uma seleção criteriosa, estude um pouco da história do produtor e do rótulo, todos se impressionam com quem entende do que está falando, seja sobre vinho, seja sobre a crise econômica internacional.

Vinhos de sucesso

Uma pesquisa conduzida com mais de 10 mil mulheres mundo afora apontou que elas, assim como os homens, também preferem vinho tinto. Ou seja, talvez esse seja o par ideal para o jantar.

Há quem diga que perguntar não ofende, então, veja se a companhia tem preferência por algum vinho. Talvez vocês dois gostem de um Cabernet Sauvignon. Os tintos pesados, como os Cabernet chilenos amadeirados, ou os Tannat uruguaios, vão ser ótimos ao lado de refeições lautas, mas nem sempre para acompanhar uma conversa. Tem pessoas que no fim, também não acham legal ficar com língua e dentes roxos.

Em um encontro, no fundo, você quer se deleitar com sua companhia. Assim, provavelmente vai querer pratos mais frugais e vinhos mais leves – daí a opção por espumantes, brancos e rosés em detrimento dos tintos, quase sempre mais pesados. Contudo, há espaço, sim, para tintos “mais elegantes”.

Uma boa escolha são os Pinot Noir, que costumam ter sabores sutis e menos tanino. Nesse quesito, os borgonheses são hors concours e deixam qualquer um de queixo caído, porém, vale optar por norteamericanos, chilenos ou argentinos também. Um programa simpático é comprar um Pinot e convidar sua companhia para assistir o filme “Sideways – entre umas e outras”, em que essa uva é exaltada.

Outras boas opções para desfrutar a dois, quando se trata de tintos, são os Tempranillo, que costumeiramente não possuem tanta potência e agradam por sua acidez e frutas mais contidas, mas que também podem acompanhar pratos mais elaborados. Da Espanha ainda pode-se escolher um Mencía, mais difícil de achar no mercado, mas bastante sutil e agradável, no estilo dos Pinots. E não se esqueça dos Merlot, também mais delicados.

Agora se a preferência do casal é por bebidas mais pesadas, experimentem um Primitivo (ou Zinfandel). São vinhos que tendem a ter estrutura consistente, todavia com um final adocicado que agrada muitos paladares. Outra sugestão são os Touriga Nacional, cujos aromas florais (de violeta) são encantadores.

Borbulhas de amor

Para não errar mesmo, talvez a melhor alternativa sejam os espumantes. Já dizia a amante de Luís XV, Madame de Pompadour: “Champanhe é o único vinho que deixa a mulher bonita após bebê-lo”. A efervescência das borbulhas subindo pela taça é hipnotizante e não há quem resista. E, para facilitar ainda mais a vida dos enamorados, são inúmeras as opções, desde os secos (Brut ou Nature) até os meio doces (DemiSec), chegando nos Moscatéis. Assim como também há opções para todos os bolsos.

como-escolher-vinho-para-um-encontro-romantico
Para não errar mesmo, vá de espumantes 

Entre os espumantes, os Champagne, obviamente, são um desbunde, são símbolos inabaláveis de luxo e requinte. Basta abrir um para impressionar. Porém, há alguns que tornam um encontro amoroso ainda mais sensacional, como, por exemplo, a Cuvée Amour de Deutz, cuja tampa, dourada e cravejada com brilhante, transforma-se em uma joia, um belo presente.

Sutilezas

Optar por vinhos brancos também é quase certeza de sucesso em um encontro. Costumeiramente mais leves e menos alcoólicos, eles fazem com que a conversa flua sem cansar o paladar. Aliás, eles são as melhores companhias para um “queijos e vinhos”. Os mais ousados podem tentar os Riesling alemães e alsacianos. Tanto os secos quanto os meio doces possuem mineralidade e acidez avassaladoras.

Se você quer sair dos básicos Chardonnay e Sauvignon Blanc, experimente as castas brancas aromáticas, com suas fragrâncias sempre muito sensuais. Gewürztraminer e Torrontés são duas variedades bastante difundidas e de aromas inebriantes, mas também vale provar Viognier e Alvarinho, esta última em um refrescante Vinho Verde, por exemplo. Com certeza, elas vão agradar, especialmente quem não está acostumado com vinhos secos, pois os cheiros que tendem para o doce ajudam a “enganar” o paladar.

Atração pela cor

Na mesma toada vão os rosés. Por mais que nem sempre sejam os vinhos favoritos das pessoas, ele atrai, a começar pela cor, com variações que vão do salmão, passando pelo pink, ao rosa-escuro. Com corpo entre os brancos e tintos, ele não incomoda. Os mais “sexy” são os da Provence, na França, sempre muito minerais, porém, há ótimos exemplares espalhados mundo afora. Para um encontro mais informal, à beira da piscina, em frente ao mar, em um dia de calor, saboreando petiscos, é uma boa.

como-escolher-vinho-para-um-encontro-romantico
Vinhos rosés podem ser uma boa pedida pela cor sexy

Por fim, há quem diga que a melhor forma de conquistar é com os vinhos doces. Se você vai jantar com aquela companhia especial, está na dúvida ou não faz ideia de que vinho escolher para acompanhar os pratos e prefere não se arriscar nesse momento, aguarde para dar a tacada certeira no final. Peça uma sobremesa e uma taça de vinho doce para acompanhar. Se for um chocolate, case com um Porto, se for um creme suave ou frutas, experimente um Late Harvest (Colheita Tardia) ou algo do gênero. É infalível. Aliás, até mesmo vale comprar uma garrafa e ver se sua companhia não quer terminar o jantar em casa.

Adobe Reserva Gewürztraminer 2020

Adobe Reserva Gewürztraminer 2020 - AD 90 pontos - Emiliana, Rapel, Chile

Aromático e intenso, este branco é perfeito para pratos étnicos e também para entradas diversas.

Andeluna Blanc de Franc Cabernet Franc Rosé 2019

Andeluna Blanc de Franc Cabernet Franc Rosé 2019 - AD 90 pontos - Andeluna, Mendoza, Argentina

Um rosado de Cabernet Franc assinado por Andeluna, muito delicado e fresco. Frutas vermelhas frescas se mesclam a flores, como jasmins e toques herbáceos. Um grande rosé mendocino.

De Martino Legado Gran Reserva Pinot Noir 2019

De Martino Legado Gran Reserva Pinot Noir 2019 - AD 92 pontos - De Martino, Limarí, Chile

Pinot Noir cultivado sobre solos calcáricos do expressivo Vale do Limarí.

Arnaldo Grizzo
Publicado em 06/06/2022, às 10h45


Mais Almanaque do vinho