“Como saber se um vinho passou por barricas de carvalho?”


Apesar de haver alguns aromas e sabores relativamente característicos da passagem por madeira, ainda assim não dá para afirmar com precisão

 

Apesar de cada vez mais os rótulos dos vinhos apresentarem todo tipo de informação para ajudar os enófilos na hora da compra, nem sempre um produtor especifica no contrarrótulo se o vinho passou ou não por barricas de carvalho (ou então alguma alternativa – veja quadro). Então, como saber se um determinado vinho estagiou (ou fermentou) em madeira?

A verdade é que não há uma fórmula exata para desvendar esse “mistério”. Apesar de haver alguns aromas e sabores relativamente característicos da passagem por madeira, ainda assim nãodá para afirmar com precisão. Há circunstâncias em que compostos voláteis similares podem se formar e dar a impressão de que a madeira esteve presente mesmo quando não esteve. A única resposta segura estará com o produtor, no site e na ficha técnica do vinho, caso essa informação esteja explicitada.

 

LEIA MAIS:

»Como o carvalho exerce influência nos vinhos

»Tanoaria: os produtores de barricas de carvalho

 

No entanto, caso você queira brincar de adivinhar se um vinho teve ou não passagem por madeira, alguns indícios podem ajudar. Os pontos cruciais estarão nos aromas. Notas de baunilha, fumaça, café, caramelo, cedro, canela, coco, noz-moscada, leite etc. costumam ser típicas de vinhos (principalmente tintos) que passaram por estágios importantes em carvalho. Tentar “decifrar” a passagem por madeira no paladar pode ser mais complicado, pois, dependendo do tipo de estágio em madeira, os taninos podem estar realçados ou mais aveludados, assim como a cor também pode variar e confundir. A melhor “dedução” será uma análise conjunta de aromas (primordialmente) e sabores. Portanto, se não há nada apontado no rótulo, teste suas habilidades antes de tentar encontrar a informação na internet.

 

Madeiras e madeiras 

Quando falamos sobre madeira no vinho, logo pensamos nas famosas barricas de carvalho. No entanto, não é apenas o carvalho que serve de material para a produção de barricas e estas tampouco são a única forma de um vinho ter contato com madeira. O carvalho propriamente dito tem espécies diferentes que aportam compostos diversos ao vinho. Além disso, outros tipos de madeira (menos comuns) também podem ser usadas. Os vinhos podem fermentar em barrica ou estagiar depois de fermentados. Mas eles também podem receber madeira por meio de lascas ou ripas de carvalho. E, por m, o tipo de tosta, tamanho e uso dos barris influência diretamente no resultado final.

 

Da redação

Publicado em 27 de Abril de 2020 às 14:00


Notícias