Carvalho

Tanoaria: os produtores de barricas de carvalho

O carvalho francês é o mais utilizado na elaboração de barris para vinho


[Colocar Alt]

Atualmente, são produzidos cerca de 800 mil barris todos os anos ao redor do mundo e, desse total, cerca de 550 mil na França. A maioria é construída a partir de carvalho francês, mas algumas tanoarias francesas utilizam-se de carvalho americano e do leste europeu, do mesmo modo que algumas empresas americanas usam carvalho francês.

Sem dúvida, as tanoarias mais famosas do mundo e reconhecidamente produtoras dos barris de melhor qualidade estão localizadas na França. Entre as notáveis podemos citar Boutes, Cadus, Damy, Demptos, François Frères, Nadalié, Quintessence, Radoux, Rousseau, Saury, Seguin Moreau, Taransaud e Vicard. Esses produtores são verdadeiras grifes e, muitas vezes, uma espécie de atestado de qualidade dos vinhos que são armazenados nesses barris.

Veja também:

Vinhos feitos com madeira

Como o carvalho exerce influência nos vinhos

Vinho em madeira: o processo de produção de barris

“O trabalho dos tanoeiros costuma ser bastante próximo ao dos enólogos. É comum a empresa ser procurada por enólogos dizendo: ‘Tenho esse vinho, esse potencial, o que podemos fazer?’ E, a partir daí, os dois profissionais discutem juntos qual o melhor tipo de carvalho, tamanho de barril, tosta etc, para se atingir o vinho idealizado. Muitas vezes, a partir deste trabalho, desenvolvemos barris customizados para clientes e vinhos”, conta Rodrigo Perez Nambrard, da Seguin Moreau. Para ele, antigamente, o carvalho era usado para diminuir os defeitos do vinho, mas, com o desenvolvimento da indústria e a simbiose entre tanoaria e vinicultura, os produtores conseguem hoje realmente aproveitar todo o potencial da barrica, com aporte de aromas e complexidade, por exemplo.

Além disso, a tanoaria costuma participar da história da evolução do uso do carvalho. Tomando como exemplo o Brasil, Nambrard lembra que “em 1998 praticamente não havia um conceito de barricas no país”, acrescentando que “as primeiras barricas da Seguin Moreau foram vendidas (para cá) em 2000/2001”. Desde então, o cenário se alterou muito e, novamente, faz parte do papel dos tanoeiros apoiar os produtores na aquisição e uso de barris adequados para que o vinho produzido desenvolva e demonstre seu maior potencial.

Da redação

Publicado em 9 de Julho de 2019 às 14:30


Notícias madeira carvalho vinho em madeira produção de vinho produção de carvalho carvalho francês barris de carvalho

Artigo publicado nesta revista