Revista ADEGA
Busca

Vinho - 28.Jul - Economia

Coréia do Sul: mercado de vinhos em potencial


Divulgação
A Coréia do Sul é um mercado jovem, especialmente se for levado em conta o fato de que a importação de vinho só foi liberada em 1988, portanto há apenas 22 anos. A princípio, a demanda se centrava em vinhos de qualidade média/baixa, doces e frutados, porém, hoje, o maior potencial se encontra nos vinhos de qualidade média/alta, e sobretudo nos vinhos tintos.

O que mais chama atenção é a crescente adoção de costumes ocidentais, o aumento do nível de renda, o crescimento do consumo de bebidas alcoólicas por parte da mulheres (sobretudo jovens) e a publicidade sobre os efeitos benéficos do vinho tinto à saúde, que tem propiciado um importante aumento no consumo de vinho.

A Wine Intelligence decidiu marcar três razões pelas quais os vinhos de todo o mundo devem forçar nesse mercado promissor.

A primeira é referente a relações exteriores. A diferença entre a China ou outro mercado vinícola de grande crescimento, como os EUA ou o Brasil, e os consumidores da Coréia do Sul, é que os últimos estão obcecados por vinhos importados.

Além disso, em contraposição a outros mercados da Ásia Oriental, onde geralmente prevalecem os vinhos franceses, a Coréia conta com mais de 11 milhões de consumidores que bebem outros vinhos importados, segundo o estudo "Wine Calibration Study 2010".

Os coreanos têm como preferência os vinhos chilenos -o Chile é o primeiro importador de vinho em volume total. Em parte, a tendência se atribui a um acordo livre de comércio que existe há muito tempo. Contudo, um acordo similar com a União Europeia vigente a partir desse mês de julho poderá impulsionar o crescimento em volume dos produtores do Velho Mundo.

Outro motivo é relativo aos jovens. Na Coréia do Sul, há quantidades significativas de consumidores jovens de vinho. Mas de um terço dos consumidores de vinho importado do país tem 29 anos ou menos (com base no estudo sobre consumidores "South Korea Vinitrac 2010").

Essa tendência é transmitida por meio da popularidade do "Terroir", um programa de televisão sobre o mundo do vinho e a relação apaixonada entre uma especialista em vinho coreana e um misterioso conhecedor de vinhos.

Por último, a terceira razão listada pela Wine Intelligence diz respeito a internet e a conexão com o vinho. A internet é uma das fontes mais populares de informação sobre vinho usada pelos consumidores da Coréia do Sul. É o país com a maior quantidade de conexões de internet do planeta e aparentemente possui as conexões de banda larga mais rápidas e baratas do mundo inteiro.

Mais notícias sobre vinhos...

+ Resíduos da produção de vinho podem ser utilizados pela indústria farmacêutica e alimentícia

+ Enoturismo ganha força nas "cidades mundiais do vinho"

+ Vinho branco é vendido por 75 mil libras e bate recorde

+ Consumo moderado de vinho pode proteger mulheres contra o câncer de mama

+ Chega o Anuário Internacional de Bodegas & Vinhos 2011

Redação
Publicado em 28/07/2011, às 09h25 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h47


Mais Notícias