Artigo - Wine Intelligence

A embalagem de vinho e a ascensão do comércio eletrônico

Como a ascensão do e-commerce impactará as embalagens de vinho?


 

A próxima fronteira para a embalagem de vinho é como transportá-la aos consumidores

Por Juan Park da agência de pesquisas Wine Inteligence

No final de 2020 - que agora já parece ser muito tempo atrás - tive o prazer de compartilhar uma sessão com Eladio Araiz de La Rioja Alta em um evento do Rioja Marketing Club chamado Wine Land 2020. O tema da discussão foi a embalagem de vinho.

LEIA MAIS

» Trocando cerveja e destilado por vinho

» Vinho do Porto envelhecido por quase 90 anos é lançado

O modo como os consumidores apreciam os produtos há muito me fascina, pois se trata tanto da tecnologia quanto o gosto do consumidor. Tome bebidas quentes como exemplo. O chá costuma ser encontrado em saquinhos individuais, mas raramente encontramos café assim. Na verdade, tivemos que esperar que George Clooney popularizasse as cápsulas para que passássemos a comprar café em unidades individuais. O café instantâneo, por outro lado, é muito popular, mas o chá instantâneo nunca pegou. 

Muitas vezes aprendemos que o que parece "normal" - como o saquinho de chá - foi, na verdade, o resultado de um acidente. Os saquinhos de chá era a forma como os comerciantes enviavam suas amostras. Eles nunca esperaram que as pessoas guardassem o chá dentro de cada saquinho para consumo!

No vinho, também encontramos exemplos de diferentes níveis de adoção de embalagens. Por exemplo, o Bag-In-Box é amplamente comprado na Escandinávia, onde os consumidores são motivados pelo valor entregue por este formato. Coincidentemente, esses mercados são onde os descontos nos preços são restringidos pela ação de grandes monopólios varejistas. Ainda não vimos níveis semelhantes de adoção do Bag-in-Box em outros mercados, embora a conscientização esteja aumentando.

A prevalência da garrafa de vidro de 750 ml também parece bastante arbitrária. Por que 750 ml? A hipótese é que isso era apenas o quanto um fabricante de vidro poderia soprar em uma garrafa com uma única respiração. Outra hipótese é que era a quantidade de vinho que uma pessoa podia beber de uma vez (quando os níveis de álcool no vinho eram menores do que hoje).

A próxima fronteira para a embalagem de vinho, na minha opinião, é como transportá-la aos consumidores com o surgimento do comércio eletrônico. O primeiro instinto do comércio é transportar garrafas de vidro até os consumidores, mas será que tem que ser assim a médio e longo prazo? O vidro é muito pesado e não é especialmente durável e, como resultado, muito papelão é necessário para reduzir a quebra, o que significa que há muita embalagem necessária, aumentando o impacto do carbono e os custos de envio associados.  

No caso das provas de vinhos durante a Covid, já vimos o surgimento de invólucros fáceis de enviar e fáceis de consumir, como formatos menores ou mesmo em PET. Os consumidores reagirão ao desperdício da entrega online e, portanto, mudarão suas preferências em relação à garrafa de vidro padrão? As amostras revolucionaram o consumo de chá com a descoberta acidental de saquinhos de chá, então veremos como a embalagem do vinho é afetada pelas mudanças no padrão de compra do consumidor. 

 

 

 

 

 

 

 Juan Park - Wine Intelligence

 

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

Juan Park

Publicado em 27 de Janeiro de 2021 às 15:00


Notícias Wine Intelligence Vinho Ecommerce Online Compra Mercado Garrafa Invólucro