Mundovino

O Olimpo dos vinhos do mundo

Encontro Mistral reuniu alguns dos principais produtores do mundo em São Paulo e Rio de Janeiro



A Vinícola Montes, uma das mais importantes vinícolas chilenas da modernidade, publicou um livro, em 2006, contando a sua história. Uma tradução livre do título é "Onde Pisam os Anjos", uma referência clara à imagem símbolo da empresa e também aos terroirs chilenos de onde saem seus vinhos, tão celestiais como solos pisados por anjos. Encontrar os rótulos elegantes (e o simpático Montes Cherub Rosé) da Viña Montes durante a 5a edição do Encontro Mistral em São Paulo (que ocorreu entre 7 e 9 de junho no hotel Grand Hyatt e no dia 10 de junho no Sheraton Rio) é a única imagem celestial associada ao evento. Tudo o mais é um encontro de titãs digno de produção hollywoodiana.

O fato de a importadora Mistral ser capaz de reunir em um só espaço quase 85 vinícolas que compõem seu portfólio, quase todas representadas por seus proprietários ou enólogos, apresentando mais de 500 vinhos de todo o mundo é um acontecimento e tanto no Olimpo dos vinhos. Ao somarmos o detalhe de que são pouquíssimos os ingressos (vendidos a R$ 290 cada dia), dá para começar a imaginar como se sentem os eleitos que participam do encontro. Há desde pessoas acostumadas com o mundo dos grandes vinhos que reencontram amigos nas taças e nos apertos de mão até iniciantes enlevados por néctares nunca dantes provados.

#Q#

O Encontro Mistral é uma oportunidade como poucas no País (e em muitos casos até fora dele), pois os produtores enviam seus melhores rótulos e parecem sempre felizes ao explicar mais uma vez de onde vêm, como são feitos e quais suas melhores características. Convivem lado a lado grandes Champagnes como Bollinger e Ayala, Brunellos irrepreensíveis de Biondi Santi, Altesino e Constanti, Chablis e Gevrey- Chambertin de Joseph Drouhin com o Pauillac Réserve do Domaines Barons de Rothschild. Entre eles, confortavelmente instalados, estão alguns ícones do Novo Mundo, como os rótulos argentinos de Catena Zapata, os delicados espumantes da brasileira Vallontano, Pinot Noirs da Felton Road da Nova Zelândia e os surpreendentes rótulos do norteamericano Paul Hobbs, entre tantos outros grandes.

ADEGA esteve no Encontro e provou alguns vinhos que acabam de chegar ao País, e que você vai encontrar detalhados na seção CAVE. Seguem quatro boas novidades provadas.

Silvia Mascella Rosa

Publicado em 30 de Junho de 2010 às 14:10


Mundovino

Artigo publicado nesta revista