Harmonizações

O vinho certo para seu tempero favorito

Dicas de harmonização para 10 especiarias tradicionais da culinária brasileira


Qual tempero harmoniza com qual vinho?

Qual tempero harmoniza com qual vinho?

Uma proposta ousada. Sugerir harmonizações levando em conta alguns dos mais tradicionais temperos usados na culinária brasileira. Um desafio saboroso, ainda que heterodoxo, e um tanto fora dos padrões acadêmicos.

» Uva, prato e vinho. Uma lista de 10 varietais e suas harmonizações

O Brasil possui uma gastronomia multicultural. Com frescor e ousadia, sua cozinha une, sem medo, aspectos clássicos e refinados de ascendência europeia, tesouros mediterrâneos, pitadas asiáticas e vigorosos sabores africanos, além de mergulhar nos costumes dos vizinhos da América do Sul, flertar com a América Central e fortalecer cada vez mais o diálogo com a América do Norte. O resultado é uma mesa tão miscigenada quanto sua população. 

As especiarias têm um papel decisivo nessa identidade gastronômica do Brasil. Elas exalam aromas, exaltam sabores e permitem grandiosas harmonizações. Com auxílio do chef Carlos Ribeiro, professor e proprietário do restaurante e escola Na Cozinha, em São Paulo, elencamos alguns dos mais representativos temperos utilizados no país, nativos ou por influência internacional, celebrados em cozinhas repletas de memórias afetivas de cada família assim como em badalados restaurantes das grandes capitais.

Definidos 10 condimentos, chega o momento de ouvir quem lida diariamente com esse tipo de demanda, o sommelier. Marcelu DuVin, do restaurante Nino Cucina, aceitou o desafio de sugerir harmonizações para cada um dos ingredientes. Segundo ele, a mágica por trás das harmonizações com ervas e especiarias começa na distinção dos compostos aromáticos encontrados tanto nos ingredientes como nos vinhos – muitas vezes, compartilhados. Um exemplo clássico é o equilíbrio entre a pimenta do reino e o Syrah. Os dois possuem um composto picante e levemente floral, chamado rotundona. Por isso, ao serem combinados, os sabores de ambos se ampliam. Seria uma harmonização por concordância ou similaridade.

Evidentemente, na prática, ninguém consome especiarias de forma isolada. “Portanto, para uma harmonização consistente, é preciso considerar os principais elementos do prato onde os temperos configuram complementarmente”, alerta José Luiz Borges, vice-presidente da Associação Brasileira de Sommeliers (ABS). “Ou seja, os temperos têm a função de enaltecer a composição”.

Ressalvas feitas, vamos às harmonizações. Distinguir minuciosamente particularidades nos vinhos simplifica o processo de combinar a bebida com alimentos. Porém, não é preciso um aprofundamento mais científico para encontrar resultados interessantes e surpreendentes. Nesta lista, como enfatiza o sommelier Marcelu DuVin, a ideia é fornecer elementos gerais que podem servir como ponto de partida para sua próxima harmonização. 

Alecrim

Com notas amadeiradas é uma erva de sabor marcante. Como o louro, seu sabor é intensificado no cozimento e acompanha todos os tipos de carnes. É frequente também seu uso na aromatização de azeites e vinagres.

Alecrim em peixes pode trazer sabores únicos que pedem um bom Chardonnay

Alecrim em peixes pode trazer sabores únicos que pedem um bom Chardonnay

Harmonização: A Chardonnay, dependendo do seu tipo de vinificação, pode resultar em um vinho muito untuoso em boca, ideal para acompanhar pratos que contenham molho branco e manteiga, preparos mais extensos e gordurosos, como aqueles em que normalmente o alecrim está presente. Um Chardonnay de Casablanca no Chile, com leve passagem em madeira, é o ideal para peixes mais densos temperados com alecrim.

Adobe Reserva Chardonnay 2020 com pratos a base de alecrim

Adobe Reserva Chardonnay 2020 - AD 89 pontos - Emiliana, Casablanca, Chile

Esse 100% Chardonnay exibe frutas tropicais e brancas maduras, floral e ervas, que se confirmam no palato. Destaca-se pela textura cremosa e pela ótima acidez, além de final médio e refrescante, com notas de abacaxis.

Alho

Presença garantida desde as cozinhas das avós à mais refinada gastronomia. Com aroma forte e sabor acre, tem a versatilidade de ser usado cru, refogado, assado, frito e em diversos formatos. Apesar de ser coadjuvante nas receitas na maioria das vezes, em algumas é destaque em carnes e molhos.

Com aroma forte e sabor acre, tem a versatilidade de ser usado cru, refogado, assado, frito e em diversos formatos

Com aroma forte e sabor acre, o alho traz a versatilidade de ser usado cru, refogado, assado, frito e em diversos formatos

Harmonização: A Pinot Gris é uma das cinco uvas nobres da região da Alsácia, conhecida também como Pinot Grigio na Itália. Com ela, produz-se um vinho seco com pitadas de mel e especiarias, pouco floral, com leve pêssego branco e damasco, ainda com acidez incrível que deixa a boca salivando, sempre pedindo mais. É a harmonização perfeita para equilibrar a força do alho em preparos em que ele é a estrela.

Terre di San Vincenzo La Nave Pinot Grigio 2018 combina com pratos que o alho se destaca

Terre di San Vincenzo La Nave Pinot Grigio 2018 - AD 89 pontos - Torrevento, Puglia, Itália

De boa tipicidade, esse 100% Pinot Grigio traz frutas brancas e de caroço seguidas de notas florais e de ervas frescas. Vibrante e fácil de agradar, tem boa acidez, textura cremosa e final médio/longo, com toques cítricos e de maçãs.

Canela

Comercializada em pau, lascas ou em pó, é uma especiaria extraída de uma árvore típica do sul da Índia. Com sabor picante e terroso, acrescenta um aroma marcante a compotas, bolos, tortas e também assados de porco.

Pratos doces com canela vão muito bem com um Gewürztraminer

Pratos doces com canela vão muito bem com um Gewürztraminer

Harmonização: A Gewürztraminer é sempre muita delicada, rica em açúcar e baixa acidez, tem notas que lembram lichia, frutas tropicas e rosas, e acompanha perfeitamente as cozinhas asiática, chinesa e indiana, que tradicionalmente utilizam com constância a canela. O que pouca gente sabe é que, quando a Gewürztraminer é botrytizada, consegue harmonizar muito bem sobremesas com frutas, como uma torta crocante de maçã com canela e uvas passas brancas.

Zind-Humbrecht Hengst Grand Cru Selection De Grains Nobles Gewütztraminer 2008 com pratos que levam canela

Zind-Humbrecht Hengst Grand Cru Selection De Grains Nobles Gewütztraminer 2008 - AD 95 pontos - Domaine Zind-Humbrecht, Alsácia, França

Este vinho é elaborado exclusivamente a partir de uvas Gewürztraminer advindas do vinhedo grand cru Hengst, cultivadas segundo os preceitos da biodinâmica e atingidas pela podridão nobre. Complexo nos aromas e nos sabores, tem deliciosa textura, acidez refrescante e final longo e cheio, com toques salinos, de pimenta branca, de cera e de mel. Refinado e com excelente equilíbrio entre acidez e doçura, alia com maestria potência e delicadeza.

Cheiro-verde

Talvez o mais popular tempero no Brasil, é a união da salsa com a cebolinha. Podem ser usadas frescas ou desidratadas. É utilizado em carnes, massas, leguminosas e para a finalização de molhos e sopas.

Cheiro-verde é um dos temperos mais populares do Brasil

Cheiro-verde é um dos temperos mais populares do Brasil

Harmonização: Devido ao seu sabor herbáceo e alto frescor em boca, resultante de sua elevada acidez, o Sauvignon Blanc casa perfeitamente com pratos que contenham em sua preparação ervas verdes e frescas como cebolinha e salsinha. No Brasil, por exemplo, é perfeito para acompanhar um clássico popular: salpicão de frango com ervas frescas.

Saint Felicien Sauvignon Blanc 2019 tem a acidez para balancear os sabores do cheiro-verde

Saint Felicien Sauvignon Blanc 2019 - AD 91 pontos - Saint Felicien, Mendoza, Argentina

Austero nos aromas, este 100% Sauvignon Blanc mostra notas de ervas frescas e de especiarias picantes envolvendo sua fruta branca e cítrica. No palato, impressiona pela textura firme e cremosa, que traz tensão ao conjunto, tudo em meio a refrescante e vibrante acidez.

Coentro

Presente em quase todas as regiões brasileiras, com destaque para o Nordeste e o Sudeste, é uma especiaria da categoria “ame ou odeie”, por seu sabor forte e cítrico, e aroma intenso. É possível utilizar as folhas frescas ou o grão, sempre ao final do preparo, uma vez que o calor interfere por completo no seu sabor. Pode ser usado no preparo de sopas, aves e cozidos. Contudo, no Brasil, é ingrediente constante em pratos de peixes assados e moquecas.

Coentro é muito utilizado em pratos com peixes e frutos do mar

Coentro é muito utilizado em pratos com peixes e frutos do mar

Harmonização: A sugestão é o Viognier, que possui notas complexas de frutas de caroço, hortelã e erva doce, combinadas com notas florais, e que fazem deste vinho uma opção muito elegante para as carnes brancas temperadas com coentro.

Guaspari Vista do Bosque Viognier 2018 é um vinho que combina com pratos a base de coentro

Guaspari Vista do Bosque Viognier 2018 - AD 91 pontos - Guaspari, Espírito Santo do Pinhal, Brasil

De boa tipicidade, tem final cremoso e cheio, com toques florais, amanteigados, de pêssegos e de especiarias doces. 

Cominho

Semente originária do Oriente Médio e da África, foi incorporada com facilidade aos hábitos culinários brasileiros. Mais comum em sua versão em pó, possui um sabor levemente picante. É comumente utilizado em leguminosas, como feijão e lentilha, em carnes vermelhas, molhos e legumes.

Sementes de cominho chegaram do oriente e encontraram muito espaço na culinária brasileira

Sementes de cominho chegaram do oriente e encontraram muito espaço na culinária brasileira

Harmonização: um bom Malbec argentino com sua cor granada profunda e intensamente aromatizado com frutas, acabamento aveludado quente e taninos marcantes. É uma harmonização muito agradável para a picância do cominho.

Trivento Golden Reserve Malbec 2017 é um dos vinhos ideais para acompanhar pratos com cominho

Trivento Golden Reserve Malbec 2017 - AD 92 pontos - Trivento, Mendoza, Argentina

Este é um 100% Malbec om estágio de 12 meses em carvalho francês, sendo 95% em barricas e 5% em foudres. Cheio de profundidade e de textura de taninos, tudo sustentado por gostosa acidez e muita fruta negra e vermelha madura no ponto certo. 

Cravo

Ao unir um sabor doce, quente e uma suava picância, ganhou espaço em doces típicos do Brasil, como o arroz doce, também em pães, bolos de carne e assados de porco.

Versátil, o cravo é utilizado em doces e até carnes assadas

Versátil, o cravo é utilizado em doces e até carnes assadas

Harmonização: A Sangiovese é de origem italiana, e é para o Chianti o que as uvas Nebbiolo são para Piemonte. Muito cultivada em climas quentes, secos, ela produz vinhos frutados com acidez média para alta e corpo médio com notas de frutas vermelhas, anis e pimenta, é leve o suficiente para não sobrepor-se ao sabor do cravo. Ideal para acompanhar uma ave ao forno temperada com cravos.

Bonacchi Chianti Riserva 2015 combina com pratos a base de cravo

Bonacchi Chianti Riserva 2015 - AD 91 pontos - Bonacchi, Toscana, Itália

Gastronômico por natureza, este 100% Sangiovese com 24 meses de carvalho apresenta notas florais, terrosas, de especiarias doces e de couro permeando suas frutas vermelhas. Cativante e gostoso de beber, tem acidez vibrante, taninos firmes, finos e tensos com final suculento e longo.

Louro

Normalmente utilizada seca, a folha libera um óleo de textura leve e aroma delicado. É ideal para cozimentos longos, como o tradicional feijão brasileiro, carnes assadas, ensopados e também marinadas e legumes cozidos.

O louro é muito utilizado em pratos e marinadas

O louro é muito utilizado em pratos e marinadas

Harmonização: quando o sabor do louro prevalece no cozimento, um ótimo acompanhamento é o Zinfandel, ou Primitivo, como a uva é conhecida na Itália. É um vinho bastante encorpado, com alto teor alcoólico, possui notas de pimenta do reino, morango, couro e cereja, que equilibram e agregam no suave aroma do louro. Esta é uma harmonização muito saborosa para um dos pratos mais comuns da cozinha tradicional brasileira, a carne de panela.

Zenith Vigne Vecchie Riserva Primitivo 2016 é um vinho que harmoniza bem com pratos que o louro se destaca

Zenith Vigne Vecchie Riserva Primitivo 2016 - AD 90 pontos - Zenith, Puglia, Itália

Elaborado exclusivamente a partir de Primitivo, com estágio de 14 meses em barricas de carvalho. De boa tipicidade, mostra frutas vermelhas e negras maduras envoltas por notas florais, de ervas e de especiarias doces, que se confirmam no palato. Potente, surpreende pela acidez pulsante e pelos taninos firmes. 

Manjericão

Frescor e vitalidade traduzem o aroma e sabor dessas folhas, também de berço indiano, e muito utilizada na culinária italiana. Podem ser manipuladas frescas ou secas em molhos, massas, pratos com queijos, e as mais variadas carnes.

Frescor e vitalidade traduzem o aroma e sabor dessas folhas

Frescor e vitalidade traduzem o aroma e sabor dessas folhas

Harmonização: Quando acompanhando carnes vermelhas, uma boa harmonização pode ser o Merlot, com notas abertas, suaves, frutas vermelhas e ervas, equilibrado pela sua acidez. O Merlot tem presença suficiente para acompanhar pratos aromáticos, bem estruturados como os preparados com manjericão.

Garzón Single Vineyard Merlot 2016 harmoniza com pratos que levam manjericão

Garzón Single Vineyard Merlot 2016 - AD 93 pontos - Bodega Garzón, Maldonado, Uruguai

Elaborado exclusivamente a partir de Merlot, fermentado em tanques de cimento de 8 mil litros, com posterior estágio entre 12 e 18 meses em barricas e foudres de carvalho francês. Impressiona pela tipicidade, mostrando ameixas e amoras acompanhadas de notas florais, minerais e de especiarias doces. Redondo, suculento e equilibrado, tem taninos sedosos e de ótima textura, refrescante acidez e final longo e profundo

Pimenta-do-reino

Inteira ou em pó, é uma das especiarias mais utilizadas do mundo. Em três versões (a verde, ainda fresca, é bem suave; a preta, já madura e com forte sabor; e a branca, no mesmo estágio da preta, porém sem casca), são quase obrigatórias na finalização de pratos com aves, carnes vermelhas, cremes salgados, massas, molhos e refogados.

Pimenta-do-reino, inteira ou em pó, é uma das especiarias mais utilizadas do mundo.

Pimenta-do-reino, inteira ou em pó, é uma das especiarias mais utilizadas do mundo

Harmonização: Pratos quentes com toques levemente picantes proporcionados pela pimenta do reino pedem um corte de Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon e Merlot. Um blend deste tipo resulta em um vinho expressivo em nariz, extremamente frutado com notas de frutas vermelhas maduras e muita especiaria, e que parece ter sido feito especialmente para brilhar com pitadas de pimenta do reino. 

Château La Clare 2015 traz o blend ideal para acompanhar pratos ricos em pimenta-do-reino

Château La Clare 2015 - AD 92 pontos - Domaine Rollan de By, Bordeaux, França

Composto de 45% Merlot, 35% Cabernet Sauvignon, 15% Cabernet Franc e 5% Petit Verdot, com estágio de 12 meses em barricas de carvalho francês, sendo 60% novas. Estruturado e ainda jovem, tem ótima acidez e taninos firmes e de grãos finos, que trazem equilíbrio ao conjunto e fluidez ao vinho. 

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

Assine ADEGA

Maria Bolonhese

Publicado em 3 de Dezembro de 2021 às 16:00


Harmonizações Harmonização Alecrim Coentro Pimenta Louro Manjericão Vinho Cheiro verde Cravo Canela Alho Cominho