Diversidade e consistência

Os segredos da Merlot, a cepa mais consistente da Serra Gaúcha

Quais são as características desta uva? Confira uma lista com seus 25 melhores vinhos


A ideia dessa pauta surgiu enquanto debatíamos os resultados das degustações do Guia ADEGA Vinhos do Brasil 2015/2016. Em um primeiro momento, a intenção era lançar foco exclusivo sobre a Merlot do Vale dos Vinhedos, primeira e única D.O. do Brasil para tintos elaborados a partir dessa variedade. Porém, ao analisarmos mais profundamente o tema, percebemos que os resultados consistentes com essa uva não se restringiam ao Vale. Muito pelo contrário, encontramos Merlot de qualidade vindos da própria Serra Gaúcha, porém de áreas fora da D.O., como a Campanha Gaúcha, Campos de Cima da Serra e também de Encruzilhada do Sul.

Quem corrobora essa visão é Daniel Dalla Vale. “A Merlot vem se destacando há vários anos e é a variedade mais constante, especialmente no Vale. Nos últimos 20 anos em que temos trabalhado aqui, ela é que tem mais constância. Se você pegar um super ano, vai ter Cabernet que vai dar um grande vinho, mas, quando falamos de constância nos tintos, é o Merlot”, garante enólogo da Casa Valduga.

Segundo Miguel Ângelo Vicente Almeida, enólogo da Miolo, a boa adaptação da Merlot na Serra Gaúcha deve-se à história da cepa no local. “A história da variedade no Brasil começa quase no final do século XIX, em 1886, em Caixas do Sul, quando Antônio Pieruccini plantou as primeiras mudas de Merlot”, diz.

“A Merlot é uma casta muito versátil. Adapta-se a quase todos os tipos de solos. Devido à sua precocidade, consegue atingir bons níveis de maturação, mesmo em climas mais frios e úmidos. O seu cacho não é compacto e a sua casca é de média espessura. Essas são algumas das características da Merlot que justificam o sucesso na Serra Gaúcha”, aponta Almeida.

Dalla Valle segue o pensamento similar, mas acrescenta o fato de a cepa ter uma boa adaptação agronômica, além de ser fácil de manusear na cantina. “Além de ser uma cepa que se adapta bem às condições locais, ela também tem uma boa adaptação agronômica, ou seja, o produtor consegue trabalhar bem com ela. Além disso, é uma uva fácil de domar na cantina. Um Pinot dá muito mais desafios do que um Merlot. A Merlot não tem tantos segredos. Ela consegue ter uma boa maturação de semente, então tem uma vinificação um pouco mais fácil na hora de domar os taninos. Com boa maturação de semente, pode-se fazer uma pós-maceração fermentativa um pouco mais longa sem problemas. Isso permite ter um Merlot jovem ou um com mais carga tânica para suportar barrica, por exemplo”, afirma.

Estilos

Ou seja, além da diversidade de regiões, é claramente perceptível a diversidade de estilos. De rótulos mais ou menos maduros, com ou sem influência da madeira, de estilo mais moderno ou clássico, provamos ótimos Merlot para todos os gostos, tintos consistentes e certamente recomendáveis. Ainda que cada qual se mostrasse mais por este ou aquele aspecto, notamos que, em se tratando de tintos bem vinificados, dois pontos comuns estavam presentes em todos eles: a acidez refrescante e a qualidade da fruta. Aliás, em muitos dos rótulos que se destacaram, a acidez e/ou o frescor da fruta foram os responsáveis por equilibrar e, muitas vezes, trazer mais vivacidade e tensão ao vinho, qualidades que, em nossa opinião, devem ser valorizadas pelo produtor.

Vale dizer que a madeira, quando bem usada, ressalta esses atributos aportando complexidade ao vinho, porém, algumas vezes, percebemos, principalmente nos vinhos de preços mais acessíveis, que ela acaba por encobrir e mascarar essas características tão intrínsecas ao vinho brasileiro, as quais atualmente são muito buscadas por vinhateiros de outros países e apreciadas pelos consumidores, ou seja, uma tendência mundial, que vem se desenhando desde o final dos anos 2000. Com efeito, aqueles que já estão colocando maior atenção nesses pontos, estão colhendo ótimos resultados.

Como era de se esperar, os melhores exemplares ainda vêm da D.O. Vale dos Vinhedos, talvez por tradição e experiência. Todavia, o fato de tantos outros bons rótulos estarem sendo produzidos também fora dali é muito positivo e salutar para o desenvolvimento do vinho brasileiro, além de uma indicação de que o sucesso de alguns produtores do Vale com a Merlot no final dos anos 1990 e início dos anos 2000 tenha contribuído para isso.

Olhando por esse ângulo, a atual diversidade de estilos de Merlot de qualidade possivelmente ainda não vem da diversidade de terroir (talvez seu estudo aprofundado e a maior troca de experiências com outros países seja um dos próximos passos), mas sim pela intenção do produtor de entender melhor a cepa, de buscar algum estilo que entendam ser mais viável comercialmente e também de fazer o melhor vinho em um determinado lugar. Na verdade, tudo é muito recente e ainda temos muito a caminhar em todos os campos, mas o lado bom é que todos ganham com isso, o produtor com a oportunidade de aprender cada vez mais, e o consumidor, com diversidade de bons e consistentes rótulos disponíveis no mercado – frutos dessa experimentação constante.

É muito prazeroso e gratificante presenciar esse processo evolutivo dessa uva e do vinho como um todo. Esperamos que aproveitem essa seleção eclética de rótulos.

 Veja também:

+ Os melhores rótulos com Merlot no Melhor Vinho

+ Por que a Merlot conquistou a fama que tem?

 AD 89 pontos 

ALTO DAS FIGUEIRAS MERLOT 2012

Bodega Czarnobay, Encruzilhada do Sul, Brasil. 100% Merlot, com 10 meses de estágio em barricas de carvalho francês. Mostra cativantes aromas de ameixas envoltos por notas florais, herbáceas, de especiarias doces, de tabaco e de alcaçuz. Estruturado, tem acidez vibrante, taninos marcantes e final mais profundo que cheio. Um tinto de estilo mais clássico, que exige comida e mais tempo de garrafa para mostrar todo seu potencial. Álcool 12,5%. EM

 

AD 88 pontos 

ARBO MERLOT

Vinícola Perini, Vale Trentino, Brasil. 100% Merlot, sem passagem por madeira. Puras frutas negras, como ameixas e cassis, seguidas de notas florais e de especiarias doces. Suculento e fácil de beber, tem gostosa acidez e final médio. Álcool 11,8%. EM

AD 87 pontos 

AURORA RESERVA MERLOT 2014

Cooperativa Vinícola Aurora, Serra Gaúcha, Brasil. Tinto elaborado exclusivamente a partir de uvas Merlot, com passagem por madeira. Mostra aromas de frutas negras mais frescas, notas herbáceas e florais, além de toques minerais, tostados e de especiarias doces. No palato, é frutado, estruturado num estilo mais direto e fácil de beber e de entender, tem taninos finos, boa acidez e final médio e agradável. Álcool 13%. EM

AD 89 pontos 

BATALHA MERLOT 2011

Batalha Vinhas e Vinhos, Campanha Gaúcha, Brasil. Tinto elaborado exclusivamente a partir de Merlot, sem passagem por madeira. Fresco e cheio de frutas, tem acidez vibrante, ótima textura de taninos e final suculento, pedindo mais um gole. Redondo é muito fácil de beber. Álcool 13%. EM

AD 87 pontos

CASA FONTANARI MERLOT 2014

Casa Fontanari, Bento Gonçalves, Brasil. Tinto composto de 94% Merlot e 6% Ancelotta, com estágio de 12 meses em barricas de carvalho francês. Suculento e agradável de beber, tem boa textura de taninos, acidez refrescante e final com toques terrosos e de ervas secas. Álcool 12,7%. EM

AD 89 pontos 

CASA VALDUGA LEOPOLDINA PREMIUM MERLOT 2011

Casa Valduga, Vale do Vinhedos, Brasil. 100% Merlot, com estágio de oito meses em barricas de carvalho. Mostra aromas de frutas vermelhas e negras maduras, notas florais, herbáceas e tostadas, além de toques de tabaco e de especiarias doces. No palato, é frutado, estruturado, mostrando um conjunto equilibrado, em que a boa acidez e a textura sedosa dos taninos trazem sustentação às frutas maduras. Tem final persistente e suculento, convidando a mais um gole. Álcool 13%. EM

AD 87 pontos 

CAVE ANTIGA MERLOT 2013

Cave Antiga, Pinheiro Machado, Brasil. 100% Merlot, com estágio de seis meses em carvalho. Aromas de ameixas e cerejas mais maduras, muito frescor e ótima textura de taninos são os atributos deste Merlot de boa tipicidade. Tem final persistente, com toques especiados e terrosos. Álcool 13%. EM

AD 88 pontos 

DOM CÂNDIDO RESERVA MERLOT 2012

Dom Cândido, Vale dos Vinhedos, Brasil. Tinto elaborado exclusivamente a partir de Merlot, com estágio de sete meses em barricas de carvalho. Surpreende pela acidez, frescor e qualidade da fruta, tudo num contexto de taninos macios e final suculento e agradável. Álcool 12,5%. EM

AD 89 pontos

DOM PEDRITO PEDRITO MERLOT 2012

Dom Pedrito, Campanha Gaúcha, Brasil. Parabéns a este 100% Merlot, sem passagem por madeira, cuja única pretensão é agradar, assim como os melhores anfitriões. Vinoso no aroma, com morangos frescos. Elegante, equilibrado, fino, com boa textura e mineralidade. Se for servido no decanter, vai surpreender quem o apreciar. Álcool 12,2%. CB

AD 88 pontos 

DUNAMIS MERLOT 2013

Dunamis, Campanha Gaúcha, Brasil. 100% Merlot, com estágio de seis meses em carvalho americano. Frutas negras como ameixas e cassis envoltos por notas florais, especiadas, terrosas e de ervas secas. No palato, é redondo e suculento, tem taninos de boa textura, gostosa acidez e final médio e agradável de beber. Álcool 12%. EM

 

AD 87 pontos

GRANJA UNIÃO MERLOT 2011

Cooperativa Vinícola Garibaldi, Serra Gaúcha, Brasil. 100% Merlot, sem passagem por madeira. Apresenta cor vermelho-rubi de reflexos púrpura e aromas de frutas vermelhas e negras frescas envoltos por notas florais, herbáceas e especiadas. No palato, é suculento, cheio de frutas, gostoso de beber e de boa tipicidade. Mais uma prova de que menos, às vezes, é mais. Álcool 12%. EM

 

AD 91 pontos 

LIDIO CARRARO GRANDE VINDIMA MERLOT 2008

Lidio Carraro, Encruzilhada do Sul, Brasil. 100% Merlot de ótima tipicidade, esbanja ameixas maduras seguidas de notas florais e mentoladas tanto no nariz quanto na boca, tudo num contexto de equilíbrio e de textura aveludada de taninos. Tem acidez refrescante e final persistente, com toques terrosos e de grafite. Álcool 13,5%

 

AD 87 pontos 

MARCO LUIGI RESERVA MERLOT 2011

Marco Luigi, Vale dos Vinhedos, Brasil. 100% Merlot, com estágio de sete meses em barricas de carvalho americano. Num estilo mais clássico, os aromas de frutas negras estão escoltados por notas florais, defumadas e de couro. Redondo e elegante, tem boa acidez e final agradável. Álcool 12,8%. EM

 

AD 91 pontos 

MAXIMO BOSCHI MERLOT 2006

Maximo Boschi, Serra Gaúcha, Brasil. 100% Merlot, com estágio de 14 meses em barricas de carvalho francês. Impressiona desde o primeiro momento, seja pelos aromas exuberantes de ameixas e cassis acompanhados de notas florais e de alcaçuz, seja pelo equilíbrio do conjunto, com tudo no lugar certo. Um tinto de 10 anos, que não aparenta a idade que tem. Álcool 13%. EM

 

AD 87 pontos 

MIOLO RESERVA MERLOT 2012

Miolo Wine Group, Campanha Gaúcha, Brasil. 100% Merlot, com passagem por carvalho francês e americano. Frutas negras, como cassis e amoras, aparecem tanto no nariz quanto na boca. A madeira tem papel importante, aportando notas tostadas e especiadas, mas bem sustentada por gostosa acidez e taninos de boa textura. Álcool 13%. EM

 

AD 89 pontos 

MONTE PASCHOAL DEDICATO MERLOT 2013

Irmãos Basso, Campanha Gaúcha, Brasil. 100% Merlot, com estágio de seis meses em barricas de carvalho francês e americano. Os cativantes aromas de cassis e amoras são seguidos por notas florais e de especiarias doces, que se confirmam na boca. Estruturado, redondo e frutado, tem boa acidez, taninos de boa textura e final suculento, com toques de mocha. Álcool 12,5%.EM

 

AD 90 pontos 

PECULIARE MERLOT 2011

Casa di Zorzi, Vale dos Vinhedos, Brasil. Tinto elaborado exclusivamente a partir de Merlot, com estágio de 18 meses em barricas de carvalho francês. Refinado nos aromas, mostra ameixas e amoras escoltadas por notas florais, herbáceas, de especiarias doces e de tabaco. No palato, é frutado, estruturado e elegante, tem taninos de ótima textura, acidez refrescante e final persistente, com toques de mocha e grafite. Álcool 13,5%. EM

 

AD 88 pontos 

PERUZZO MERLOT 2011

Peruzzo, Campanha Gaúcha, Brasil. 100% Merlot, com estágio de 50% do vinho em barricas de carvalho durante três meses. Mostra aromas de cassis e ameixas maduras seguidos de notas florais, herbáceas e de especiarias doces. No palato, é suculento, confirmando as frutas do nariz, tem boa acidez, taninos macios e final médio, com toques tostados e minerais. Redondo e agradável de beber. Álcool 13,9%. EM

 

AD 92 pontos 

PIZZATO DNA 99 SINGLE VINEYARD MERLOT 2011

Pizzato Vinhas e Vinhos, Vale dos Vinhedos, Brasil. 100% Merlot, com estágio de 12 meses em barricas de carvalho francês. Definitivamente, este é um tinto que precisa de tempo de garrafa para se mostrar. Agora, esta versão começa a fazer jus à fama da safra 2011. Em termos de finesse e elegância, é comparada à safra 2005, porém parece ser mais precisa, compacta e profunda. Álcool 14%. EM

 

AD 88 pontos 

RASTROS DO PAMPA MERLOT 2012

Guatambu, Campanha Gaúcha, Brasil. 100% Merlot, com estágio de três meses em barricas de carvalho francês. Num estilo de fruta mais madura, mas bem equilibrado por sua gostosa acidez e ótima textura de taninos, o que o torna agradável e cativante, pedindo mais um gole. Álcool 13,3%. EM

 

AD 89 pontos 

ROTAVA MERLOT 2013

Rotava-Monte Rosário, Bento Gonçalves, Brasil. 100% Merlot, com breve passagem por carvalho. Suculento e redondo, tem bom corpo, acidez na medida e taninos macios, tudo recheado por muita fruta e tipicidade. Gostoso e fácil de beber, pede mais uma taça. Álcool 12%. EM

 

AD 89 pontos

SALTON DESEJO MERLOT 2011

Salton, Tuiuty, Brasil. 100% Merlot, com estágio de 12 meses em barricas de carvalho 50% americano e 50% francês. Um safra feliz para este tinto que tem a madeira com papel importante. Esbanja fruta madura, estrutura e suculência, tudo sustentado por boa textura de taninos e acidez refrescante. Álcool 13,5%. EM

 

AD 88 pontos 

SALVATTORE RESERVA MERLOT 2012

Salvador, Flores da Cunha, Brasil. 100% Merlot, com estágio parcial de oito meses em barricas de carvalho francês. Suculento e frutado, tem acidez refrescante, boa textura de taninos e final com toques terrosos e de cassis. Álcool 12,6%. EM

 

AD 88 pontos 

SOPRA RIGUARDO MERLOT 2013

Sopra, Campos de Cima da Serra, Brasil. 100% Merlot, com breve estágio em barricas de carvalho francês (segundo uso) e americano (primeiro uso). Suculento e redondo, mostra boa integração entre fruta e madeira, acidez refrescante, taninos de boa textura e final médio, com toques especiados. Álcool 13,7%. EM

 

AD 89 pontos 

VALMARINO MERLOT 2014

 Valmarino, Pinto Bandeira, Brasil. 100% Merlot, com estágio em barricas de carvalho francês. As notas de flores e de ervas acompanham os aromas de ameixas e amoras mais frescas, que se confirmam na boca. Estruturado, tem bom volume, acidez refrescante, ótima textura de taninos e final persistente, com toques de especiarias doces. Álcool 12,5%. EM

Leia mais sobre a Merlot!

Por Eduardo Milan

Publicado em 2 de Junho de 2016 às 10:39


Notícias Merlot Serra Gaúcha Vinho