Mundovino

Vinícola é acusada de fraude milionária na Espanha, empresa nega irregularidades

Produtor em Tarragona colocou até 50 milhões de garrafas de vinho identificadas com rótulos falsos de três DOs catalãs


 

Foto da polícia catalã inspecionando os vinhos da vinícola

Imagens da polícia catalã mostra inspeção de agentes na vinícola

 A polícia catalã, Els Mossos d’Esquadra, investiga uma denúncia contra a empresa de vinhos Reserva de la Tierra na Catalunha, Espanha.

» Exportações portuguesas de vinho têm o melhor resultado em vinte anos

A denúncia trata de possíveis irregularidades no uso das denominações de origem: Priorat, Montsant e Terra Alta em seus vinhos.

Para isso, as três DOs e a polícia foram acompanhar esse caso de perto para a proteção legal de registros. Verificações de selo e análises laboratoriais mostravam estranheza para o presidente da DO Montsant, indicando a fraude.

“Foram detectadas algumas irregularidades desde 2009, de certificações indevidas, que estavam levando garrafas para os Estados Unidos e China”, diz o presidente da DO Terra Alta.

Graças a um senso geral das três DOs foi detectado o problema, onde decidiram agir em conjunto por conta própria. Assim descobriram também que a empresa apresentava fotos de vinificação, vinhedos e estoque mostrando um trafego de caminhões saindo da companhia com lotes grandes de garrafas, revelando falsidade de imagens em seu site. 

“Eles moviam entre 8 e 10 milhões de garrafas por ano com valor econômico que não conseguimos mensurar” conta Xavier Tarrés, sargento do Comando da unidade de Consumo da polícia catalã.

Os Mossos d’Esquadra informaram na semana passada com detalhes da longa investigação que expôs o enredo dedicado a prática ilegal de colocar vinho no mercado rotulado indevidamente como DO Priorat, Montsant e Terra Alta.

O caso levou indiciamento de pelo menos sete pessoas e o tribunal ordenou que quatro redes de supermercados removessem imediatamente todas as garrafas falsas. Mais de 3,2 milhões de rótulos falsos foram localizados em armazéns, onde a policia mobilizou 1.100 paletes com mais de 750 mil garrafas.

O grupo Reserva de la Tierra emitiu um comunicado onde garante “a qualidade de todos os vinhos feitos e comercializados na vinícola”, que se identificou como uma das maiores empresas vinícolas da Espanha. A marca diz lamentar que “as restrições e objeções estabelecidas por algumas denominações ao desenvolvimento da atividade econômica não garantam a qualidade dos vinhos”, que a acusa de usar algumas regulamentações como estratégias protecionistas.

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

Assine ADEGA

Glaucia Balbachan

Publicado em 25 de Outubro de 2021 às 07:33


Mundovino Fraude espanha Catalunha Priorat Montsant Terra Alta Vinhos falsificados Golpe milionário