Revista ADEGA
Busca

Seca e temperatura mais alta

Clima quente e seco já preocupa produtores no Alentejo

Segundo a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), a temperatura está um grau mais quente que 2021


Clima quente e seco já preocupa produtores no Alentejo

Região portuguesa do Alentejo registrou em janeiro altas temperaturas para a época

O ciclo da videira ainda nem começou, mas já há quem se preocupe com o clima e a safra 2022. Segundo a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), o mês de janeiro de 2022 foi seco e quente, com média de temperatura de um grau a mais que o mesmo período de 2021.

» Britney Spears desfruta de seu primeiro vinho em mais uma década

Nessa fase de dormência das vinhas, o frio é importante para a boa safra e a abundância de chuva nessa época é determinante para quando a região portuguesa entrar no período de seca que consolida toda a primavera e verão do hemisfério norte.

Outro problema gerado é que, sem as chuvas, é necessário que os produtores utilizem a rega para manter as plantas saudáveis. Além do valor acrescido ao vinho com o gasto a mais com água, as vinícolas podem perder o selo de “Produção Sustentável” dado aos produtores no âmbito do Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo.

Este selo é determinante para que Portugal, e mais especificamente a região do Alentejo, continue recebendo incentivos financeiros da União Europeia, além de conquistar um mercado cada vez mais ávido por produtos sustentáveis.

E para os produtores alentejanos a notícia não é boa. O mês de fevereiro tende a ser seco e há previsão de poucas chuvas para a região.

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui

André De Fraia
Publicado em 09/02/2022, às 09h30


Mais Mundovino