Entrando numa fria?!

Você sabe qual a temperatura ideal para servir o vinho?

As variáveis são muitas e dependem até o gosto do freguês


Por favor, amigo, você poderia resfriar um pouco mais o meu vinho...", ordena o cliente com uma cara de interrogação. Esta, sem dúvida alguma, é uma pergunta muito frequente para aqueles que trabalham na área, de fato, abrindo e servindo vinho na mesa e prontos sempre para satisfazer os diversos gostos, dos mais variados possíveis, de clientes que entram e saem do restaurante. Que fique bem claro, antes de mais nada: gosto é gosto. E não estamos aqui para dizer quem está certo ou errado. Vamos simplesmente apresentar tudo aquilo que vem sendo feito no que tange a temperatura de serviço dos vinhos, que durante bons anos de estudo vem sendo aplicado para um melhor desfrute desse produto tão rico e sedutor.

Temperatura do tipo da uva

Para começar, as temperaturas costumam variar muito de acordo com os tipos de uva. Vale sempre lembrar que existem mais de 3 mil espécies de vitis vinifera catalogadas, portanto aquele que diz que sabe tudo, na verdade conhece um pouco.

Contudo, podemos tentar manter uma ordem separando-as, primeiramente, em brancas e tintas. Depois, nas suas variações: Cabernet Sauvignon, Merlot, Tannat; Sauvignon Blanc, Chardonnay, Riesling e por aí vai. Em seguida, diferenciar pelos tipos de vinho: tranquilo, espumante, fortificado etc. E, por fim, deve-se prestar atenção à característica mais valiosa de todos: o seu gosto.

Uma temperatura para cada tipo de vinho

Se a uva for branca, é indicado que se deva consumir o vinho entre 8 e 12 graus Celsius - sendo a temperatura mais baixa para os mais jovens, frescos e frutados; e a mais alta para os brancos mais densos, encorpados, complexos e/ou evoluídos.

Para os tintos, a escala pode variar entre 15 e 18oC - sendo a temperatura mais baixa para os mais frutados e jovens, de taninos leves a médios; e a mais alta para os vinhos encorpados, estruturados, concentrados, complexos e/ou evoluídos.

Os rosados devem ser consumidos por volta de 12oC. Os espumantes pedem entre 5 e 8oC. Os brancos de sobremesa costumam ser de 5 a 10oC. Vale lembrar que a temperatura média da maioria das cidades brasileiras está acima de 20oC, o que significa que um pequeno resfriamento do vinho quase sempre será necessário.

Gelado demais não!

Deve-se lembrar que, abaixo dos 5oC, as papilas gustativas podem ficar anestesiadas, danificando seu paladar. E, acima de 20oC, o vinho pode perder equilíbrio, liberando um aroma desagradável de álcool.

Para conservar a temperatura Adega climatizada

Geralmente as adegas climatizadas ficam reguladas em 16oC, visando agradar a gregos e troianos, facilitando o serviço tanto para um resfriamento rápido quanto para uma climatização de temperatura ambiente.

Chão da cozinha

Caso você não desfrute de uma adega climatizada, a sugestão para os tintos é guardar as garrafas deitadas no chão da cozinha, geralmente o lugar mais fresco da casa. Mas, longe de materiais de limpeza, para não correr o risco de prejudicar o vinho, uma vez que a rolha exerce uma troca mínima de ar. Para armazenar brancos e espumantes, a melhor opção é a boa e velha geladeira. Porém, cuidado, a temperatura média de uma geladeira bem regulada é abaixo de 4oC. Então, talvez seja o caso de deixar eles "esquentarem" um pouquinho antes de beber, mas sem aproximá-los de fornos ou coisa do gênero, para não correr o risco de estragá-los.

Dicas para resfriar a garrafa

Se quiser gelar uma garrafa rapidamente, pois seu amigo chegou atrasado para o jantar, a melhor saída (e ainda a mais eficaz) é colocar o vinho em um balde com água, gelo, álcool (para a troca rápida de calor) e sal grosso (para conservação da temperatura). Cinco minutos assim serão suficientes para resfriar um tinto e dez minutos devem levar um branco à temperatura ideal.

Se você tiver mais tempo, de uma a duas horas de geladeira darão conta do recado para os tintos (mais tempo para os mais leves e menos para os mais encorpados). Duas a três horas deixarão os brancos próximos do ponto ideal de consumo.

Estas são algumas dicas para que você, que procura sempre agradar seus convidados ou apenas aprimorar seu conhecimento, nunca se esqueça e muito menos adulte o seu gosto particular.

Ramatis Russo

Publicado em 22 de Dezembro de 2015 às 08:34


Notícias