Luiz Argenta põe tecnologia de ponta em região histórica do vinho brasileiro


Com projeto inovador e moderno, a estrutura da vinícola Luiz Argenta ficou pronta em 2009. A sua arquitetura diferenciada já lhe rendeu o título de uma das vinícolas mais belas do mundo

Este projeto de Flores da Cunha, a histórica zona produtora do Brasil, no Rio Grande do Sul, foi fundado em 1999 pelos irmãos Deunir e Itacir Argenta, quem compraram a propriedade e batizaram o empreendimento em homenagem a seu pai, Luiz Argenta. Um marco em sua breve história foi a inauguração de sua moderna vinícola em 2009, uma das mais vistosas do Brasil. A inauguração coincidiu com uma nova etapa da empresa, de plantação de novos vinhedos. Hoje têm 55 hectares plantados de onde produzem anualmente 180.000 garrafas. O projeto é capitaneado atualmente por Deunir e sua filha, Daiane Argenta.

 

LEIA MAIS:

» O que faz o Romanée-Conti ser o vinho mais famoso do mundo

» Errázuriz amplia os limites do vinho chileno até chegar ao oceano

 

Os vinhedos ficam em Flores da Cunha, na Serra Gaúcha. A região tem o selo de Indicação Geográfica Altos Montes, com as áreas mais altas de toda a região. Há picos com  885 metros de altitude

Após a colheita, a preocupação em preservar ao máximo as qualidades intrínsecas das uvas, ganha contornos de preciosismo. Para não sofrerem agressões mecânicas, elas passam pelo sistema de vinificação por gravidade, que não danifica a baga da uva e não quebra as suas sementes, ganhando em qualidade para o vinho. A fermentação dos vinhos é feita apenas em tanques de aço inox, com cintas térmicas que garantem o controle de temperatura

O amadurecimento dos vinhos é realizado em barricas de carvalho francês de 225 litros cada

 

› Para ver os melhores vinhos avaliados da Luiz Argenta, clique aqui.

 

 

 

Da redação

Publicado em 12 de Abril de 2020 às 17:03


Notícias