Quinta do Castro

O melhor do vinho Quinta do Crasto

A ADEGA realizou uma degustação vertical de Quinta do Crasto


[Colocar Alt]

O vinho Quinta do Crasto Reserva Vinhas Velhas é elaborado a partir de 25/30 castas diferentes provenientes de vinhas de mais de 70 anos de idade, conhecidas como vinhas velhas. Na verdade, o termo vinhas velhas, muito mais que indicar que o vinho é elaborado com uvas advindas de cepas de mais de 50 anos, no caso do Douro indica que são utilizados vinhedos tradicionalmente usados na elaboração de vinho do Porto. Antigamente, nessa região, as variedades não eram plantadas em separado, como é comum atualmente, mas sim cultivadas todas juntas, daí o vinho ser composto de mais de 25 variedades. Usualmente, as vinhas velhas têm menor rendimento e as uvas ali produzidas são mais concentradas, o que potencializa suas qualidades, originando vinhos melhores e mais complexos.

A partir das sete safras apresentadas a seguir, pode-se perceber que esse vinho é extremamente consistente em termos de estilo e de qualidade. Em todas as amostras provadas foi evidente o equilíbrio do conjunto, a ótima qualidade da fruta e dos taninos, além de uma capacidade de envelhecimento notável. A safra 1997 apareceu em plena forma e as mais recentes se mostraram muito boas de beber agora, indicando, porém, que a espera pode ser muito bem recompensada. Cabe aqui uma observação sobre a safra 2010, que foi, entre todas, a mais consistente e melhor construída, conseguindo acrescentar mais frescor, elegância e profundidade ao estilo predominantemente frutado, exuberante e cheio das safras anteriores.

Veja também:

A história do Quinta do Crasto

Bons vinhos de Douro em Portugal

AD 92 pontos  

QUINTA DO CRASTO RESERVA VINHAS VELHAS 1997

Quinta do Crasto, Douro, Portugal. O vinho estagiou cerca de nove meses por barricas de carvalho francês e americano. Apresenta cor vermelho-rubi puro e translúcido de reflexos acastanhados. Aromas de frutas vermelhas maduras e do bosque ainda vivos, envoltos por notas florais, terrosas, balsâmicas e de especiarias doces. Em boca, mostra uma fruta gostosa e suculenta, tem ótima acidez, taninos muito finos e um final persistente e muito elegante. Classudo e gostoso de beber, está em seu auge, mas pode se manter assim mais 3/4 anos. Álcool 14%. EM

AD 93 pontos  
QUINTA DO CRASTO RESERVA VINHAS VELHAS 2005

Quinta do Crasto, Douro, Portugal. Estágio de 18 meses em barricas de carvalho 85% francês e 15% americano. Apresenta cor vermelho-rubi de reflexos violáceos e aromas de frutas negras maduras, notas florais, herbáceas e de especiarias doces, além de toques de tabaco e de alcaçuz. No palato, é frutado, tem ótima textura tânica, boa acidez e final longo e persistente. Elegante e austero, ainda jovem. Chama atenção pela elegância, estrutura sedosa e ótimo volume de boca. Está delicioso agora, mas deve ganhar ainda mais complexidade e delicadeza nos próximos 5/10 anos. Álcool 14%. EM

AD 92 pontos 
QUINTA DO CRASTO RESERVA VINHAS VELHAS 2006

Quinta do Crasto, Douro, Portugal. O vinho estagiou em barricas de carvalho 85% francês e 15% americano durante 18 meses. Apresenta cor vermelho-rubi de reflexos violáceos e aromas de frutas negras maduras, notas florais e de especiarias doces e picantes, porém com tons mineral e terroso mais pronunciados. Em boca, confirma a fruta do nariz, é suculento, estruturado, tem ótima acidez, taninos finos e final longo e persistente. No mesmo estilo da safra 2005, mas de caráter mais frutado e exuberante. Álcool 14,5%. EM

AD 92 pontos  
QUINTA DO CRASTO RESERVA VINHAS VELHAS 2007

Quinta do Crasto, Douro, Portugal. O vinho passou 16 meses em barricas de carvalho 85% francês e 15% americano antes de ser engarrafado. Apresenta cor vermelho-rubi de reflexos violáceos. Aromas de frutas negras que pendem para o lado mais maduro, quase compotado, notas especiadas, florais e minerais, além de toques de tabaco e de alcaçuz. Em boca, confirma esse estilo de fruta mais doce, porém sustentada por uma acidez vibrante e uma estrutura tânica quase granulada, tudo num final longo e suculento. Talvez o que apresentou o estilo mais untuoso e frutado da prova. Álcool 14,5%. EM

 AD 91 pontos  
QUINTA DO CRASTO RESERVA VINHAS VELHAS 2008

Quinta do Crasto, Douro, Portugal. Estágio de 16 meses em barricas de carvalho 85% francês e 15% americano. Apresenta cor vermelho-rubi de reflexos violáceos. Aromas de frutas negras mais frescas envoltas por notas de tabaco e de alcaçuz, além de toques especiados. Em boca, é frutado, estruturado, tem ótima acidez, taninos muito finos e final persistente, ainda marcado por madeira. Num estilo mais austero, ainda muito jovem. Apesar de muito gostoso e classudo, foi o que se mostrou mais jovem e fechado. Álcool 14%. EM

AD 92 pontos  
QUINTA DO CRASTO RESERVA VINHAS VELHAS 2009

Quinta do Crasto, Douro, Portugal. Estágio em barricas de carvalho 85% francês e 15% americano, durante 16 meses. Apresenta cor vermelho-rubi de reflexos violáceos e aromas de frutas vermelhas e negras maduras envoltos por notas florais, herbáceas e de especiarias doces, além de toques tostados, de tabaco, de alcaçuz e de chá preto. Em boca, é frutado, encorpado, equilibrado, tem taninos finos, ótimo volume de boca, acidez refrescante e final persistente, com notas de grafite e mentol. Surpreende pela elegância e equilíbrio do conjunto. Álcool 14,5%. EM

AD 93 pontos  
QUINTA DO CRASTO RESERVA VINHAS VELHAS 2010

Quinta do Crasto, Douro, Portugal. O vinho passa 16 meses em barricas de carvalho 85% francês e 15% americano antes de ser engarrafado. Apresenta intensa cor vermelho-rubi de reflexos violáceos e aromas de frutas negras mais frescas, notas florais e de especiarias doces, além de toques de tabaco e de alcaçuz. Em boca, mostra esse estilo de fruta mais fresca, ótima acidez e impressionante textura tânica, além de um final suculento e persistente. Surpreende por estar acessível agora, ainda jovem, porém, com todas as qualidades para ficar ainda melhor na próxima década. Álcool 14%. EM

Eduardo Milan

Publicado em 7 de Julho de 2019 às 21:00


Notícias Quinta do Crasto Douro vinho português Portugal Quinta do Crasto Reserva Vinhas Velhas

Artigo publicado nesta revista