Revista ADEGA
Busca

Mundovino

Pesquisa aponta que 39% dos bebedores de vinho estão “moderando ativamente seu consumo”

Consumidores com maior probabilidade de reduzir o consumo de álcool é a geração Y, aqueles com até 40 anos de idade


Pesquisa aponta que 39% dos bebedores de vinho estão “moderando ativamente seu consumo”

A tendência é moderação suave ao longo de toda a vida e não viver de altos e baixos

Em um relatório da CEO da Wine Intelligence, Lulie Halstead, ao considerar os dados encomendados pela Vinexposium antes de sua feira de Paris, foi revelado que a tendência de reduzir o consumo de álcool era forte entre os bebedores de vinho, especialmente aqueles com idade entre 18 e 34 anos. 

» Um passeio pelos mais de 200 km da maior adega do mundo

Usando pesquisas de consumo conduzidas durante 2019 e 2020, apontou-se que globalmente, 39% dos consumidores estão dizendo ‘eu estou moderando’, tendo pesquisado consumidores regulares de vinho na Austrália, Bélgica, Canadá, Irlanda, Japão, Holanda, Suíça, Reino Unido e Estados Unidos. Consumidores “regulares” são os que bebem vinho pelo menos uma vez por mês.

“Isso pode significar beber menos álcool em certas ocasiões, ou reduzir a potência, ou escolher não beber em algumas ocasiões”, aponta HalsteadEla também disse que novas evidências coletadas durante os últimos meses mostraram que alguns consumidores estavam trocando, o que significava alternar entre álcool e bebidas não alcoólicas durante uma ocasião, como de uma taça de vinho para água tônica, e depois de volta, ou escolher criar sua própria bebida mista para reduzir o teor de álcool.

Nos Estados Unidos, “30% dos bebedores regulares de vinho dizem que definitivamente prefeririam comprar uma garrafa de Champagne com níveis de álcool mais baixos; inferior a 10% ABV’– então a ideia é para redução, ao invés de abstinência”.

A tendência agora parece ser moderar-se de forma mais suave ao longo de toda a vida, em vez de grandes altos e baixos.

Quanto aos tipos de consumidores com maior probabilidade de reduzir o consumo de álcool, Halstead disse que a geração Y, aqueles com até 40 anos de idade, são os moderadores mais fortes”. A geração Z, aqueles com idade legal para beber até 24 anos, foi a faixa etária em que vimos as mudanças mais significativas no consumo de álcoolEssa faixa etária normalmente consome álcool durante a socialização e, como a oportunidade de socialização caiu [devido à pandemia], eles não têm conseguido consumir; seus padrões de consumo são muito mais voláteis,” diz.

“Já a Geração X, boomers e idosos estão, felizmente para a indústria, ainda apreciando o vinho, com grande parte do volume vindo dos com mais de 55 anos”. No entanto, em conclusão, ela observou que “os consumidores estão cada vez mais pensando sobre o consumo de álcool  eles estão pensando em maneiras diferentes de controlar ou moderar o que bebem”.

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui

Redação
Publicado em 04/02/2022, às 18h00


Mais Mundovino