Chianti

Super degustação de Chianti

A ADEGA avaliou rótulos da célebre região italiana


De um total de 36 amostras degustadas de todas as denominações de Chianti, ADEGA selecionou 25 que montam um importante panorama da região. Entre nossa seleção estão vinhos de diversos níveis de preços, mas que respeitam, sem exceção, no nosso entender, a tipicidade e as características, independentemente do estilo buscado pelo produtor, que todo Chianti deve ter: acidez vibrante, taninos com certa tensão, fruta fresca e/ou madura, sem ser em compota, e um caráter indiscutivelmente gastronômico. Pelas amostras degustadas, são identificados pelo menos dois estilos bem característicos. Os menos estruturados, mas cheios de alegria e acidez, típicos vinhos para acompanhar pratos da culinária italiana e que, deve-se dizer, são extremamente bem-vindos. Outros seriam vinhos mais estruturados, em que se percebe um maior cuidado tanto no vinhedo quanto na vinícola, mas sempre respeitando o caráter da fruta e da região. Aqui, via de regra, é comum ver a Sangiovese cortada com Merlot e/ou Cabernet Sauvignon e/ou o uso misto de barrica e de botti. E os resultados são bem diversos, dependendo da interpretação ou da busca de cada produtor em si. Os melhores resultados da degustação compartilhamos a seguir. Mas também tivemos decepções, haja vista que nos deparamos com vinhos em que a madeira tinha papel principal e que privilegiavam a concentração, a fruta em compota e o volume de boca, buscando ocultar a acidez e o frescor, fugindo, assim, do que se entende e se busca quando se escolhe um Chianti para beber, seja ele do estilo que for.

Leia também:

Toscana: um roteiro enogastronômico

Carmignano: a Cinderela da região de Chianti, na Toscana

+ Chianti: a história de um dos vinhos mais famosos da Itália

AD 89 pontos

ANELLA CHIANTI 2013

Anella Andreani, Toscana, Itália. 85% Sangiovese, 15% Canaiolo e Malvasia del Chianti, sem passagem por madeira. Cerejas e framboesas envoltas por notas florais, herbáceas e de couro. Num estilo, fresco e suculento, tem boa acidez, taninos de boa textura e final médio e agradável, confirmando as frutas do nariz. Limpo, autêntico e gostoso em sua simplicidade. Álcool 12,5%. EM

AD 91 pontos

CASTELLARE DI CASTELLINA CHIANTI CLASSICO 2012

Castellare di Castellina, Toscana, Itália. Sangioveto e Canaiolo, com estágio de sete meses em barricas usadas de carvalho francês. Aromas complexos de frutas vermelhas maduras, com notas florais, terrosas, defumadas e de especiarias, além de toques herbáceos. No palato, é frutado, estruturado, tem ótima acidez, taninos finos e final longo e elegante. Álcool 13,5%. EM

AD 94 pontos

CASTELLO DI BROLIO CHIANTI CLASSICO 2010

Barone Ricasoli, Toscana, Itália. 80% Sangiovese, 15% Merlot e 5% Cabernet Sauvignon, com estágio de 18 meses em tonéis e barricas de carvalho. Austero e compacto, mostra notas terrosas, de ervas secas e de especiarias envolvendo os aromas de ameixas, cerejas e amoras. Depois apareceram toques tostados, de alcaçuz e de tabaco. Impressiona pela tensão e equilíbrio do conjunto, unindo acidez vibrante, tão típica de Chianti, com estrutura, potência e maior volume de boca, sempre num contexto de finesse, precisão, elegância e de taninos finos, repletos de textura. Álcool 14,5%. EM

AD 89 pontos

CASTELLO DI FARNETELLA CHIANTI COLLI SENESI 2009

Castello di Farnetella, Toscana, Itália. 92% Sangiovese, 8% Merlot, com estágio entre oito e 12 meses em barris de carvalho de tamanhos diversos. As notas florais e terrosas envolvem os aromas de frutas vermelhas como framboesas e cerejas. Suculento, estruturado e gostoso de beber, tem taninos macios, boa acidez e final médio, que convida a bebê-lo na companhia de massas ao molho tipo sugo. Álcool 13%. EM

AD 93 pontos

CASTELLO DI VOLPAIA CHIANTI CLASSICO RISERVA 2008

Castello di Volpaia, Toscana, Itália. 100% Sangiovese, com estágio de 24 meses em barricas de diversas procedências, sendo 20% novas. Elegante nos aromas, mostra vários aspectos que vão desde cerejas, passam por notas florais e herbáceas e terminam com toques especiados, terrosos e de tabaco. No palato, confirma essa finesse, é suculento, frutado, delicado e tenso ao mesmo tempo, tem ótima acidez, taninos finos e final profundo e agradável, mostrando diversas camadas de frutas, sempre num contexto de muito frescor. Álcool 13,5%. EM

AD 91 pontos

CECCHI CHIANTI CLASSICO RISERVA DI FAMIGLIA 2009

Cecchi, Toscana, Itália. 90% Sangiovese e 10% de outras variedades, com estágio de 12 meses em tonéis e barricas de carvalho de diversos usos. Frutas vermelhas ácidas envoltas por notas florais, herbáceas e de especiarias doces, além de toques terrosos, de tabaco e de alcaçuz. No palato, mostra um estilo mais maduro, privilegiando potência, suculência e volume de boca, porém muito bem sustentado por gostosa acidez e taninos finos de ótima textura. Álcool 13,5%. EM

AD 90 pontos

CHIANTI DEL BARONE 2013

Barone Ricasoli, Toscana, Itália. Majoritariamente Sangiovese e mais outras castas complementares, com breve estágio de 10% do vinho em barricas e tonéis de carvalho. Notas herbáceas e florais envolvem os aromas cativantes de cerejas, depois aparecem toques de especiarias. No palato, é suculento, frutado, tem ótima acidez, taninos de boa textura e final médio. Mostra mais corpo e volume, mantendo a tipicidade e a “boa” rusticidade da Sangiovese e sua veia gastronômica. Álcool 13%. EM

AD 90 pontos

CHIANTI RISERVA DEL CONTE 2010

Villa da Filicaja, Toscana, Itália. 100% Sangiovese, com estágio de 12 meses em barricas de carvalho francês. Num estilo mais estruturado e potente, de aportes importantes da madeira, com frutas vermelhas mais maduras e suculentas, mas tudo bem equilibrado por taninos tensos e acidez vibrante. Cheio e persistente, mostra no final notas terrosas e agradáveis toques herbáceos e florais. Álcool 13,5%. EM

AD 93 pontos

CORTEVECCHIA CHIANTI CLASSICO RISERVA 2008

Principe Corsini, Toscana, Itália. 95% Sangiovese e 5% Colorino e Canaiolo, com estágio de 20 meses em tonéis e pequena parte em barricas de 500 litros (tonneaux) de carvalho francês. Austero nos aromas, foi se abrindo na taça com a passagem do tempo para mostrar cerejas e amoras, com notas florais, terrosas, especiadas e de couro. Surpreende pelo equilíbrio, acidez vibrante e taninos de ótima textura. É frutado, suculento e tem final longo e persistente, com toques de alcaçuz e de groselhas. Álcool 14,5%. EM

AD 92 pontos

DON TOMMASO CHIANTI CLASSICO 2008

Principe Corsini, Toscana, Itália. 80% Sangiovese e 20% Merlot, com estágio de 15 meses barricas de carvalho 70% novas e 30% de segundo uso. Frutas vermelhas e negras como cerejas, amoras e cassis, com notas florais, terrosas, de alcaçuz e de couro, além de toques de tabaco. No palato, mostra bastante estrutura, corpo e volume, tudo equilibrado por refrescante acidez e taninos quase granulados, mas de ótima textura. Preciso, tem final longo e cheio, com toques de grafite e discreto chocolate. Álcool 15%. EM

AD 90 pontos

ELLERA CHIANTI COLLI SENESI 2008

Castel di Pugna, Toscana, Itália. 85% Sangiovese, 10% Canaiolo Nero e 5% Ciliegiolo, com estágio de nove meses em tonéis de carvalho de 25 hectolitros. Puro suco de framboesas e cerejas, chama a atenção pela acidez vibrante, taninos tensos e final suculento, com toques terrosos e florais. Gastronômico por natureza, mostra ótima tipicidade e é muito gostoso de beber, pedindo mais um gole. Álcool 12,5%. EM

AD 92 pontos

LA SELVANELLA CHIANTI CLASSICO RISERVA 2008

Fattorie Melini, Toscana, Itália. 100% Sangiovese Grosso, com estágio de 30 meses em tonéis de carvalho. Nariz um pouco fechado, foi abrindo aos poucos. Floral, frutas vermelhas como cerejas e ameixas, envoltas por notas especiadas, herbáceas, terrosas e de couro. Muito preciso, bem resolvido, apesar de jovem. Gostoso de beber, mas com um toque mais moderno muito bem dosado. Álcool 14%. EM

AD 90 pontos

LE CORTI CHIANTI CLASSICO 2009

Principe Corsini, Toscana, Itália. 80% Sangiovese e 20% Merlot, com estágio de 15 meses em barricas 70% novas e 30% de segundo uso. Nariz elegante, com toques especiados, florais e de couro, tudo envolto por frutas vermelhas e negras mais frescas. No palato, é pura cereja, potente, estruturado, com taninos marcantes e final suculento, mostrando toques de licor. Álcool 13,5%. EM

AD 92 pontos

MARCHESE ANTINORI CHIANTI CLASSICO RISERVA 2011

Antinori, Toscana, Itália. 90% Sangiovese e 10% Cabernet Sauvignon e outras variedades complementares, com estágio de 14 meses em barricas de carvalho francês de segundo e terceiro usos. Elegante, equilibrado e cheio de finesse, mostra aromas de cerejas, framboesas e amoras permeados por agradáveis notas florais, terrosas, herbáceas e de especiarias doces. No palato, é preciso, longo e suculento, confirmando o nariz, tem acidez deliciosa, taninos tensos e finos e final longo e persistente, com toques de couro. Álcool 13%. EM

AD 91 pontos

PÈPPOLI CHIANTI CLASSICO 2011

Antinori, Toscana, Itália. 90% Sangiovese e o restante de Syrah e Merlot, com estágio de nove meses em carvalho. Cativa pelos aromas de cerejas e framboesas envoltos por notas florais, herbáceas e terrosas, além de toques especiados e tostados. Suculento, chama atenção pela qualidade da fruta, tudo num contexto de acidez vibrante, taninos de boa textura e final persistente e elegante, com traços minerais. Álcool 13,5%. EM

AD 90 pontos

POGGIOTONDO CHIANTI SUPERIORE 2011

Poggiotondo, Toscana, Itália. 90% Sangiovese, 10% Merlot, com estágio de 12 meses em barris de 55 hectolitros. Num estilo mais austero, que privilegia estrutura e textura quase granulada de taninos, tudo num contexto de frutas vermelhas mais maduras e notas florais, herbáceas e especiadas, mantendo-se a acidez vibrante tão característica da cepa. Álcool 13,5%. EM

AD 92 pontos

RETROMARCIA CHIANTI CLASSICO 2010

Monte Bernardi, Toscana, Itália. 95% Sangiovese, 3% Merlot e 2% Canaiolo Nero, com estágio de 18 meses em barricas de segundo e terceiro uso. Num estilo mais tradicional, cheio de frescor, com notas terrosas, de ervas secas e de cerejas ácidas, mostrando acidez vibrante e muita tipicidade. Mais profundo que cheio. Impressiona pela textura dos taninos, finos, quase granulados. Álcool 13,5%. EM

AD 90 pontos

ROCCA DI CASTAGNOLI CHIANTI CLASSICO 2010

Rocca di Castagnoli, Toscana, Itália. 90% Sangiovese e 10% Colorino e Canaiolo, com estágio de 12 meses em tonéis de carvalho. Floral, couro, cerejas e framboesas. Herbáceo. Suculento, boa acidez, taninos de boa textura, porém ainda jovem, com a madeira precisando ser melhor integrada. Nariz melhor que a boca, com um final suculento longo. Álcool 13,5%. EM

[Colocar Alt]

AD 90 pontos

RUFFINO CHIANTI CLASSICO RISERVA DUCALE 2010

Ruffino, Toscana, Itália. 80% Sangiovese e 20% Merlot e Cabernet Sauvignon, com estágio parcial de 24 meses em madeira. Aromas de morangos e amoras maduras, com notas florais, terrosas e de especiarias doces, que evidenciam a passagem pela madeira. No palato, confirma as frutas do nariz, tudo num contexto de taninos tensos e acidez refrescante, aliás muito bemvindos, pois trazem sustentação e levantam todo o conjunto. O final é médio, suculento e persistente. Álcool 13,5%. EM

AD 90 pontos

SANTA CRISTINA CHIANTI SUPERIORE 2012

Antinori, Toscana, Itália. 95% Sangiovese, 5% Merlot, com estágio parcial em barricas de carvalho durante nove meses. Frutado, gostoso de beber e com deliciosa acidez, mostra aromas de frutas vermelhas ácidas como framboesas e cerejas envoltos por notas floras e herbáceas, além de toques delicados de especiarias doces, devido à passagem por madeira. Tem bom volume, taninos macios e final persistente e suculento. Álcool 13%.EM

AD 90 pontos

TENUTA DI CAPRAIA CHIANTI CLASSICO 2010

Tenuta di Capraia, Toscana, Itália. 100% Sangiovese, com estágio de 12 meses em barricas e tonéis de carvalho. Esbanja frutas vermelhas e negras mais maduras, com notas florais e terrosas. Num estilo que privilegia concentração, estrutura e untuosidade, pode-se dizer mais moderno. Álcool 13,5%. EM

AD 88 pontos

TENUTA DI MORZANO CHIANTI MONTESPERTOLI 2011

Tenuta di Morzano, Toscana, Itália. 100% Sangiovese, sem passagem por madeira. Exuberantes notas florais envolvem os aromas de amoras e cerejas maduras, depois aparecem toques especiados e terrosos. No palato, é frutado, suculento, tem taninos macios, boa acidez e final médio, com toques de couro e cerejas ao licor. Álcool 13,5%. EM

AD 89 pontos

VIGNA FILICHETO CHIANTI 2012

Rocca di Castagnoli, Toscana, Itália. 90% Sangiovese e 10% Ciliegiolo , com breve passagem por tonéis de carvalho. Cerejas, framboesas e amoras envoltas por notas terrosas, florais e de ervas secas. No palato, é frutado e suculento, tem acidez vibrante e taninos quase granulados, que pedem a companhia de comida. Gastronômico, como todo Chianti deveria ser. Álcool 13%. EM

AD 91 pontos

VIGNA LA QUERCIA CHIANTI COLLI FIORENTINI RISERVA 2010

Castelvecchio, Toscana, Itália. 90% Sangiovese e 10% Cabernet Sauvignon, com estágio de 12 meses em barricas de carvalho. Muito bem feito em seu estilo mais moderno e encorpado, mostra cerejas e framboesas mais maduras, com notas especiadas, florais, herbáceas e terrosas, além de toques tostados e de tabaco. No palato, confirma as frutas encontradas no nariz, é suculento, estruturado, tem bom volume, acidez vibrante, taninos de ótima textura e final persistente, com toques de grafite. Álcool 14%. EM

AD 91 pontos

VILLA CERNA CHIANTI CLASSICO RISERVA 2008

Villa Cerna, Toscana, Itália. 90% Sangiovese e 10% Colorino, com estágio de 14 meses em tonéis e barricas de carvalho. A madeira tem papel importante aqui, aportando aromas especiados e tostados, além de certa textura, amaciando os taninos, tudo muito bem suportado por frutas vermelhas suculentas e acidez vibrante. Estruturado, tem final longo, com toques terrosos e de couro. Álcool 13%. EM

Da redação

Publicado em 5 de Junho de 2019 às 15:00


Notícias Chianti vinho italiano Toscana

Artigo publicado nesta revista

Chianti

Revista ADEGA 113 · Março/2015 · Chianti

Tudo sobre o vinho mais tradicional da Itália. A rica história, as sub-regiões, seus estilos e seus vinhos + 25 Chianti avaliados