Degustação

Super degustação de Riesling

Avaliação de rótulos de Riesling da vinícola de Frederik zu Knyphausen


Em sua visita ao Brasil, Frederik zu Knyphausen participou de inúmeras atividades, inclusive de duas degustações especiais de seus vinhos. Uma, reunindo apenas os fantásticos e raros Riesling de sobremesa, para a qual trouxe especialmente uma garrafa do Michelmark Trockenbeerenauslese (TBA) de 1976, ano de seu nascimento; outra, uma vertical com cinco safras dos Rieslings do vinhedo Steinmorgen e três, no estilo Auslese, do vinhedo Sandgrub.

Veja também:

A dificuldade de classificar vinhos da Alemanha

Os melhores rótulos de Riesling avaliados pela ADEGA

O futuro do Riesling na visão de Frederik zu Knyphausen

AD 90 pontos

BARON KNYPHAUSEN KIEDRICHER SANDGRUB SPÄTLESE 2012

Baron Knyphausen, Vale do Reno, Alemanha (Vind’Ame R$ 279). Amarelo claro com reflexos dourados, está no primeiro patamar dos chamados vinhos de sobremesa e exibe aromas elegantes, que remetem a pêssegos e mangas, e aquele traço de mineralidade (brita) típico da casta. Na boca, ainda mantém muita fruta quase fresca e apresenta corpo de leve para médio. Por ter ótima acidez e “apenas” em torno de 75 gramas de açúcar residual, é um vinho delicioso (e de preço mais acessível), perfeito como aperitivo, mas que pode acompanhar tortas de frutas não muito doces. Álcool 8%. GV

AD 93 pontos

BARON KNYPHAUSEN KIEDRICHER SANDGRUB RIESLING AUSLESE 2009

Baron Knyphausen, Rheingau, Alemanha (Vind’Ame - Não disponível). Branco doce de colheita tardia elaborado exclusivamente a partir de uvas Riesling (parcialmente botritizadas) advindas do vinhedo Kiedricher Sandgrub, classificado como Erste Lage (equivalente a um Premier Cru). Chama atenção pelo caráter salino que envolve sua fruta de caroço madura e em compota, tudo num contexto de ótimo equilíbrio entre doçura e acidez e final persistente, com frutas aparecendo por todos os lados, além de toques de mel e de flor de laranjeira. Álcool 9%. EM

AD 93 pontos

BARON KNYPHAUSEN KIEDRICHER SANDGRUB RIESLING AUSLESE 2007

Baron Knyphausen, Rheingau, Alemanha (Vind’Ame - Não disponível). Branco doce de colheita tardia elaborado exclusivamente a partir de uvas Riesling (parcialmente botritizadas) advindas do vinhedo Kiedricher Sandgrub, classificado como Erste Lage (equivalente a um Premier Cru). Em comparação ao 2009, aqui se tem um equilíbrio entre acidez e doçura ainda melhor, com ótima persistência e deliciosa cremosidade. Tem final longo e profundo, apresentando pêssegos acompanhados de toques salinos, cítricos de mel e de especiarias picantes. Álcool 9,5%. EM

AD 94 pontos

BARON KNYPHAUSEN KIEDRICHER SANDGRUB RIESLING AUSLESE 2005

Baron Knyphausen, Rheingau, Alemanha (Vind’Ame R$ 599). Branco doce de colheita tardia elaborado exclusivamente a partir de uvas Riesling (parcialmente botritizadas) advindas do vinhedo Kiedricher Sandgrub, classificado como Erste Lage (equivalente a um Premier Cru). Frutas brancas e de caroço maduras aparecem por todos os lados escoltadas por notas florais, minerais, de cera e de mel, com muita cremosidade, excelente equilíbrio entre acidez e doçura e final longo e persistente, com toques salinos, que trazem tensão ao conjunto. Álcool 10,5%. EM

AD 94 pontos

BARON KNYPHAUSEN ERBACHER STEINMORGEN BEERENAUSLESE 2009

Baron Knyphausen, Vale do Reno, Alemanha (Vind’Ame R$ 1.299 - 375 ml). Dourado, tendendo ao ouro velho, apresenta o característico aroma de verniz associado à presença da Botrytis, envolto por frutas secas, como damasco, e tropicais, como manga, além de casca de laranja e o sutil mineral sempre presente. Na boca, a doçura (mel) predomina, mas a elevada acidez elimina qualquer possibilidade de que os 140 gramas de açúcar residual se tornem enjoativos; e garante um final de boca muito vivo, no qual aparece uma nota amadeirada. Fará bom par com foie gras e queijos azuis, mas quem preferi-lo sozinho não se arrependerá. Álcool 10%. GV

AD 93 pontos

BARON KNYPHAUSEN ERBACHER STEINMORGEN EISWEIN 2007

Baron Knyphausen, Vale do Reno, Alemanha (Vind’Ame R$ 1.450 - 375 ml). O “vinho do gelo” é sempre uma raridade, porque as uvas precisam estar sãs e congeladas por vários dias seguidos, a temperaturas de, no mínimo, 5ºC negativos. Produção de apenas 600 garrafas. Apresenta cor um pouco mais clara e alaranjada do que a do Beerenauslese (ao qual se equivale). O nariz traz frutas cítricas e tropicais (manga/maracujá), sem a complexidade aportada pela Botrytis. Na boca, repete o perfil de seu irmão, com menos untuosidade e corpo mais leve, o que o torna ideal para ser bebido como aperitivo (delicioso!), inclusive porque seu grau alcoólico é mais baixo. Mas também combinará bem com sobremesas leves à base de frutas e queijos não muito fortes. Álcool 8,5%. GV

AD 97 pontos

BARON KNYPHAUSEN ERBACHER MICHELMARK TROCKENBEERENAUSLESE 2010

Baron Knyphausen, Vale do Reno, Alemanha (Vind’Ame R$ 2.950 - 375 ml). Os TBA, como são conhecidos, podem ser considerados o pináculo dos vinhos doces alemães, que, junto com os Tokaji húngaros e os Sauternes franceses, formam o trio de ouro desse estilo. Aqui, o dourado é ainda mais intenso, com notas de ouro velho. A rica paleta aromática permite identificar verniz, damascos cristalizados (envoltos em açúcar queimado), maracujá, cera de abelha e uma nota sutil, mas marcante, de curry. Na boca, é um show de equilíbrio entre açúcar, acidez e álcool, como se espera de um vinho desse nível. Com seus 250 gramas de açúcar residual é untuoso, quase viscoso, mas de incrível vivacidade em boca. Interminável! Melhor esquecer as harmonizações de praxe e bebê-lo sozinho, saboreando cada gole. Álcool 9%. GV

AD 96 pontos

BARON KNYPHAUSEN ERBACHER MICHELMARK TROCKENBEERENAUSLESE 1976

Baron Knyphausen, Vale do Reno, Alemanha (não disponível). As diferenças entre o 1976 e o 2010 começam pela cor. O 1976 é quase mogno, ou cor de rapadura escura, que também vai marcar presença na boca. Os aromas são muito mais evoluídos, aparecendo notas que remetem a cogumelos e iodo (medicinais), além de frutas secas na linha de damascos/nozes e verniz não muito intenso. Na boca, além da já citada rapadura, destaca-se o perfeito equilíbrio entre acidez, açúcar e álcool. O final de boca é muito longo, mas um pouco menos intenso e vivo do que o de seu irmão 34 anos mais novo. Recomenda-se a quem porventura tiver esse privilégio, prová-lo sozinho, sem acompanhamentos. Álcool 8,2%. GV

Veja também:

A dificuldade de classificar vinhos da Alemanha

Os melhores rótulos de Riesling no Melhor Vinho

O futuro do Riesling na visão de Frederik zu Knyphausen

VERTICAL BARON KNYPHAUSEN ERBACHER STEINMORGEN RIESLING

AD 93 pontos

BARON KNYPHAUSEN ERBACHER STEINMORGEN RIESLING 2008

Baron Knyphausen, Rheingau, Alemanha (Vind’Ame - Não disponível). Branco elaborado exclusivamente a partir de uvas Riesling advindas do vinhedo Erbacher Steinmorgen, classificado como Erste Lage (equivalente a um Premier Cru). No início, estava um pouco fechado no nariz, depois apareceram pêssegos e damascos acompanhados, principalmente, de notas minerais, florais e de ervas, com sua acidez elétrica e deliciosa textura ditando as regras. Tem final persistente e vertical, com toques salinos e cítricos. Álcool 12%. EM

AD 92 pontos

BARON KNYPHAUSEN ERBACHER STEINMORGEN RIESLING 2010

Baron Knyphausen, Rheingau, Alemanha (Vind’Ame - Não disponível). Branco elaborado exclusivamente a partir de uvas Riesling advindas do vinhedo Erbacher Steinmorgen, classificado como Erste Lage (equivalente a um Premier Cru). Aqui a mineralidade e as notas cítricas aparecem de modo mais pronunciado, com acidez elétrica, gostosa textura e final cheio de pêssegos e toques salinos. Em comparação ao 2008, é um vinho mais extremo, que tem mais verticalidade e menos volume de boca. Álcool 11,5%. EM

AD 92 pontos

BARON KNYPHAUSEN ERBACHER STEINMORGEN RIESLING 2011

Baron Knyphausen, Rheingau, Alemanha (Vind’Ame R$ 469). Branco elaborado exclusivamente a partir de uvas Riesling advindas do vinhedo Erbacher Steinmorgen, classificado como Erste Lage (equivalente a um Premier Cru). O lado de frutas maduras e de maior sensação de doçura sente-se mais evidente, mas com a acidez vibrante e a textura cremosa aportando equilíbrio ao conjunto. A sensação de mineralidade aparece depois, acompanhada de toques cítricos. Álcool 13,5%. EM

AD 93 pontos

BARON KNYPHAUSEN ERBACHER STEINMORGEN RIESLING 2012

Baron Knyphausen, Rheingau, Alemanha (Vind’Ame - Não disponível). Branco elaborado exclusivamente a partir de uvas Riesling advindas do vinhedo Erbacher Steinmorgen, classificado como Erste Lage (equivalente a um Premier Cru). Em termos de estrutura e percepção gustativa mostra-se semelhante ao 2008. Vertical, tem gostosa textura, com toques salinos e mais vivacidade nos aromas, apresentado frutas brancas seguidas de notas minerais e de laranja. Fresco, vertical e persistente. Álcool 12%. EM

AD 94 pontos

BARON KNYPHAUSEN ERBACHER STEINMORGEN RIESLING 2015

Baron Knyphausen, Rheingau, Alemanha (Vind’Ame - Não disponível). Branco elaborado exclusivamente a partir de uvas Riesling advindas do vinhedo Erbacher Steinmorgen, classificado como Erste Lage (equivalente a um Premier Cru). Impressiona pela tensão, profundidade e cremosidade (proporcionada pelo maior grau alcoólico), com a acidez pulsante e afiada, tudo num contexto de equilíbrio e ótima textura. Aqui se percebe claramente maior nitidez de fruta, precisão e verticalidade, quando comparado ao 2008, 2010, 2011 e 2012. Álcool 13,5%. EM

Da redação

Publicado em 8 de Maio de 2019 às 20:30


Notícias Riesling Degustação Frederik zu Knyphausen Vinho alemão

Artigo publicado nesta revista

Cult Wine Da Toscana

Revista ADEGA 159 · Janeiro/2019 · Cult Wine Da Toscana

Caberlot, História e Degustação Exclusiva