DOC

Trevelin: a nova Indicação Geográfica da Argentina tem gelo no vinhedo e 17 horas de sol


 

No vale de Trevelin estão três bodegas: Casa Yagüe, Viñas del Nant y Fall, e Contra Corriente. A área adotou, em 2012 sua identidade vinícola

Vinhedos cobertos de uvas e pingente de gelo, com 17 horas de luz do dia no verão, dão o tom extremo da mais nova Indicação Geográfica da Argentina: Trevelin, na Patagônia.

A área está localizada no departamento de Futaleufú, no noroeste da Província de Chubut, e hoje apenas 12 hectares são dedicados ao cultivo de vinhas, embora haja um imenso adicional de 35.988 hectares a ser explorado.

 

LEIA MAIS

» Do carvalho à acácia: saiba tudo sobre as barricas de madeira e seus efeitos no vinho

» Estudos revelam que as garrafas de vinho não precisam ser guardadas na horizontal

 

Enquanto a fronteira norte de Trevelin é formada naturalmente pelo rio Futaleufú e o Parque Nacional Los Alerces, as montanhas andinas localizadas 600 metros ao sul formam um vale fértil, onde imigrantes galeses costumavam criar gado no século 19.

A fronteira com o Chile fica a apenas 12 quilômetros da pioneira vinícola local, a Casa Yagüe, com o Oceano Pacífico se estendendo a 88 quilômetros de distância.

Além da localização única e dos 400 metros de altitude, Trevelin tem verões com 17 horas de luz do dia, e temperaturas que chegam a mais de 30°C de dia, e 0°C à noite.

 

Os vinhedos são cobertos de uvas, neve e pingentes de gelo, o verão conta com 17 horas de luz do dia, esta é a chamada Trevelin

Os ciclos sazonais marcados incluem geada, chuva e neve regular entre abril e agosto. A colheita ocorre em abril e maio, e uma poderosa irrigação por gotejamento é usada para combater a geada, criando uma paisagem gelada incomum, mesmo no verão.

As uvas brancas que gostam de frio dominam, como Chardonnay, Semillon, Gewüztraminer e Sauvignon Blanc, assim como Marsanne. Os brancos Trevelin se destacam por sua intensa acidez natural e álcool relativamente baixo, entre 11%  e 12% ABV. Os produtores de vinho também estão recorrendo a Pinot Noir e Cabernet Franc.

Embora a agricultura sempre tenha feito parte da paisagem, o vale de Trevelin adotou recentemente sua identidade vinícola, em 2012, e hoje é o lar de três bodegas: Casa Yagüe, Viñas del Nant y Fall, e Contra Corriente.

 

Cerca de 600 metros ao sul estão localizadas as montanhas andinas que formam um vale fértil, lugar onde imigrantes galeses costumavam criar gado no século 19

 

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

 

Da redação

Publicado em 19 de Agosto de 2020 às 12:00


Notícias