Revista ADEGA
Busca

Investigação de esquema de corrupção chinês mira empresas que compraram vinícolas em Bordeaux

Empresas teriam desviado dinheiro público para comprar 14 Châteaux franceses


Presidente chinês tem lutado contra a corrupção

Uma investigação de corrupção na China está focando empresas que adquiriram Châteaux bordaleses. O principal alvo são duas empresas acusadas de usar US$ 43 milhões de financiamento público para comprar 14 Châteaux. A investigação pode levar à prisão de grandes figuras de negócio da China e os Châteaux podem ser confiscados, além de levantar dúvidas sobre os investimentos chineses em Bordeaux.

Desde que entrou no governo, o presidente Xi Jinping declarou guerra à corrupção. Alguns dos principais players do boom econômico chinês estão relacionados a empresas estatais e à influência política de seus membros.

Em um relatório de julho, o escritório de auditoria chinês acusou os grupos Haichang Holdings Ltd. e Rave Sun do mau uso de US$ 43 milhões de financiamento público, que teriam sido desviados pelo município de Dalian para ajudar essas empresas a investirem em tecnologia estrangeira.

Haichang é um conglomerado que investe em imóveis, óleo, turismo e pesca e é de propriedade do magnata Qu Naijie, um dos mais ricos do mundo segundo a Forbes. Ele chegou a Bordeaux em 2010 e adquiriu o Château Chenu Lafitte e logo mais outros 23 châteaux em três anos. A notícia de que os negócios de Haichang estão sendo questionados repercutiu em Bordeaux.

"Estou escandalizado. Minha firma de consultoria aconselha no gerenciamento de vinhedos, mas não tenho nada a ver com as aquisições, nem informações sobre a fonte do dinheiro", disse Christian Delpeuch, ex-presidente da comissão de vinhos da região.

Além da Haichang, o relatório acusa o grupo Rave Sun, que adquiriu o Château Les Brettes em 2011. Trabalhadores do local não quiseram comentar o assunto. Os auditores não revelaram como rastrearam o dinheiro de Dalian para Bordeaux, tampouco se os escritórios locais estavam cientes das transações, mas sabe-se que Qu sempre foi visto com representantes do governo de Dalian em suas visitas a Bordeaux.

Redação
Publicado em 21/08/2014, às 08h42 - Atualizado em 03/12/2014, às 08h04


Mais Notícias