MundoVino

Château Petrus recorreu de decisão que autorizou vinho da Côtes de Bordeaux a manter o nome Petrus no rótulo

Stéphane Coureau da CGM Vins alega que o nome Petrus Lambertini foi registrado legalmente


Uma decisão de um tribunal de Bordeaux autorizou a continuação da venda do vinho Petrus Lambertini No. 2, um rótulo da Côtes de Bordeaux, produzido pela CGM Vins, que desde 2011 vem enfrentando um processo legal por conta do uso do nome Petrus.

O mítico Château Petrus, porém, afirmou que vai recorrer da decisão. “Um processo foi iniciado em 2011 contra a CGM porque um vendedor na internet estava tentando vender uma das garrafas comercializadas por esta empresa fingindo que era nosso segundo vinho”, disse Petrus em comunicado.

O diretor da CGM Vins, Stéphane Coureau, por outro lado afirmou que a marca “Coureau & Coureau Petrus Lambertini Major Burdegalensis 1208” foi registrada legalmente e que atualmente comercializa a safra 2015. Ele produziu 20 mil garrafas de Petrus Lambertini No. 2 e 12 mil garrafas de Petrus Lambertini da safra de 2011. Coureau disse que o vinho recebeu o nome do primeiro prefeito de Bordeaux, Pierre Lambert, ou em latim, Petrus Lambertini. “Lambertini defendeu a cidade de Bordeaux contra o rei da Espanha em 1208. Por seu heroísmo, ele foi parabenizado pelo rei da Inglaterra, John Lackland. Nosso vinho é um pedaço da história de Bordeaux e também da história da Inglaterra”, afirmou.

A CGM argumenta que existem diferenças suficientes entre os rótulos Petrus e Petrus Lambertini para evitar confusão, mas a advogada, Thial de Bordenave, contesta: “Mesmo que não haja risco de confusão, há um risco de associação para o consumidor. Eles podem não pensar que é Petrus, mas eles podem pensar que é o segundo ou terceiro vinho da propriedade”.

Da redação

Publicado em 14 de Outubro de 2018 às 20:00


Notícias Petrus Lambertini Bordeaux CGM Vins

Artigo publicado nesta revista