Consumir álcool durante a gravidez pode se tornar crime no Reino Unido

Hipótese está sendo cogitada depois do aumento do número de casos de crianças nascidas com doenças relacionadas ao consumo excessivo de álcool pelas mães durante a gravidez


gravidez

Ingestão excessiva de álcool na gravidez pode prejudicar o desenvolvimento do bebê

Um caso marcante em andamento no Corte de Apelação do Reino Unidos pode tornar crime consumir bebidas alcoólicas durante a gravidez na terra da rainha. Segundo os defensores públicos, uma menina de seis anos seria vítima de um crime, por ter sofrido danos cerebrais quando exposta ao álcool durante sua permanência no útero materno.

De acordo com relatório feito pelo jornal inglês Sky News, a mãe tinha ciência dos riscos que a ingestão de álcool durante a gravidez poderia causar ao feto. Por essa razão, se o caso for bem sucedido, poderá ser criado um precedente para criminalizar o consumo de bebidas alcoólicas em excesso durante a gestação.

O caso surge em meio a um aumento de 50%, nos últimos três anos, de ocorrências de crianças nascendo com a Síndrome Alcoólica Fetal (SAF). Aproximadamente, 313 nascidos, entre 2012 e 2013, possuem alguma deficiência em virtude do consumo excessivo de álcool realizado pelas mães.

Dados do Departamento de Saúde do Reino Unido mostram que um em cada 100 bebês está nascendo com alguma doença relacionadas à ingestão de álcool pela mãe durante a gestação. Porém, na visão do psiquiatra Dr. Raja Mukherjee, apesar de a ingestão de pequenas porções de álcool não significar que as crianças terão problemas, as mães assumem um risco ao consumirem bebidas durante a gestação. “Consumir bebida alcoólica não é precedente para que as pessoas prejudiquem o desenvolvimento de seus filhos, mas, se você quiser garantir a segurança e se precaver de qualquer risco, se abster do álcool é a melhor solução”, afirmou.

 

Da redação

Publicado em 27 de Fevereiro de 2014 às 12:13


Notícias álcool gravidez crime