Revista ADEGA
Busca

Fogo na vinícola

Incêndio queima local onde está a maior barrica do mundo

Empresa localizada nos Pirineus Orientais sofreu violento incêndio que atingiu galpão turístico da vinícola


As Caves Byrrh são o local histórico e turístico onde está a maior barrica de carvalho do mundo
As Caves Byrrh são o local histórico e turístico onde está a maior barrica de carvalho do mundo

Entre a noite de segunda-feira (10 de maio) e a madrugada de terça-feira (11), um violento incêndio atingiu as Caves Byrrh, em Thuir, perto de Perpignan, no sul da França. A vinícola, testemunha histórica da industrialização vinícola francesa, é produtora de aperitivos e vermutes com base nos vinhos do Roussillon e de Malaga.

Mais de cinquenta bombeiros da região dos Pirineus Orientais foram deslocados para combater o incêndio que devastou 500 metros quadrados de telhados em um edifício de dois mil metros quadrados, dentro das áreas históricas e turísticas da empresa.

Incêndio queima local onde está a maior barrica do mundo
Incêndio queima local onde está a maior barrica do mundo

Felizmente não há registro de feridos e o incêndio foi combatido antes de atingir a parte industrial, que armazena álcool, e as salas onde ficam as cubas de fermentação. 

As Caves Byrrh são o local histórico e turístico onde está a maior barrica de carvalho do mundo, com capacidade para um milhão de litros e mais de 70 barricas gigantes, com capacidade total de mais de 15 milhões de litros. É a maior cave do mundo.  

Você sabia? 

A maior barrica de carvalho do mundo (La Grande Cuve) levou 15 anos para ser construída e foi enchida pela primeira vez em 1951. 

No local do incêndio também está a planta industrial de produção de um tradicional aperitivo francês, o Byrrh Grand Quinquina. Criado em 1866 para ser um coadjuvante medicinal (a esposa de um dos fundadores precisava tomar quinino, que é um produto muito amargo), ele é uma mistura de vinhos (seco e fortificado), ervas e quinino, envelhecido em barricas de carvalho por cinco anos. 

Segundo os bombeiros que atenderam ao chamado, o incêndio pode ter tido origem nas obras de renovação das estruturas que estão acontecendo no local. Mas mesmo com a queda de parte do telhado, de enormes vigas de madeira, é possível que a visitação turística reabra no próximo verão.  

Silvia Mascella Rosa
Publicado em 12/05/2022, às 04h00


Mais Mundovino