Revista ADEGA
Busca

Novo Presidente da UIV

Lamberto Frescobaldi é eleito presidente da União Italiana de Vinhos

Associação responde por 85% do faturamento dos vinhos italianos


Lamberto Frescobaldi é a 30ª geração de vinhateiros de sua família
Lamberto Frescobaldi é a 30ª geração de vinhateiros de sua família

A UIV (União Italiana de Vinhos), acabou de eleger, por unanimidade, Lamberto Frescobaldi como novo presidente da associação. A UIV reúne 730 sócios que representam 150 mil viticultores e 85% do faturamento italiano de vinhos.

Lamberto Frescobaldi é natural de Florença, pós-graduado em viticultura na Universidade Davis (da Califórnia) e é a 30ª geração de vinhateiros de sua família, proprietária da Marchesi Frescobaldi (empresa que ele também preside) que possui cerca de 1500 hectares de vinhedos na Toscana e no Friuli.

O novo presidente tem, ainda, dois vice-presidentes, Chiara Lungarotti (administradora da Cantine Lungarotti) e Sandro Sartor (administrador do Grupo Ruffino e administrador regional da Constellation Brands).

Comprometido com as pautas que já eram tratadas pela administração anterior, Frescobaldi afirmou que cuidará dos temas mais preciosos ao setor do vinho italiano nacional e internacionalmente, de temas como saúde, sustentabilidade e cultivo biológico e as representações regionais. "Desejamos, também, correr atrás de dar identidade para uma parte importante dos vinhos italianos - quase 50% - que ainda estão fora de denominações de origem", afirmou Frecsobaldi em entrevista coletiva.

A eleição (e a escolha dos temas para serem colocados em discussão pela UIV) acontece num momento importante para os vinhos italianos, onde uma pesquisa nacional (da Nomisma - Wine Monitor) indicou que um em cada dois vinhos consumidos internamente são bio. A pesquisa afirma, também, que a sustentabilidade é um dos fatores-chave para o momento de compra tanto para alimentos quanto para bebidas na Itália.

Os consumidores estão até dispostos a pagar mais por vinhos que se identifiquem como "bio". "A vitivinicultura biologica é o setor que mais tem inovado, representando um modelo virtuoso por sua capacidade de valorizar o meio ambiente e a identidade de um território, então, a conversão ao biológico representa uma oportunidade extraordinária para os produtores", explicou Maria Grazia Mammuccini, presidente da FederBio, uma das empresas que encomendou a pesquisa.

Você sabia?

No ano de 2021 as exportações de vinhos italianos cresceram 12,5% em relação a 2020, atingindo 6 milhões de euros.

Silvia Mascella Rosa
Publicado em 09/05/2022, às 15h15


Mais Mundovino