Revista ADEGA
Busca

Mundovino

Pesquisa holandesa questiona idade de Portos Tawny e produtores contestam

Os resultados do estudo foram conhecidos em novembro de 2021, mas não foram revelados publicamente até este ano


Pesquisa holandesa questiona idade de Portos Tawny e produtores contestam

Segundo pesquisa, Portos de 7, 10 e 20 anos eram, na verdade, mais jovem do que o indicado

Os resultados de um estudo de datação por radiocarbono (Carbono-14) de Portos Tawny levaram certos varejistas, atacadistas e importadores holandeses a retirar alguns rótulos de venda. O estudo, conduzido pelo Centro de Pesquisa de Isótopos (CIO) da Universidade de Groningen, na Holanda, revelou que a idade média de determinados rótulos de Portos de 7, 10 e 20 anos era, na verdade, mais jovem do que o indicado nas garrafas. 

» Chianti classico DOCG ganha nova região e Chianti DOCG nova classificação

"Estes Portos Tawny não representam uma ameaça à segurança alimentar e não são fraudulentos", destacou Hans Burghoorn, diretor da Royal AssociationofDutch Wine TradersDe fato, vários produtores de vinho do Porto expressaram sua indignação com o recall. Muitos danos estão sendo causados, disse DirkNiepoort.

Os produtoremanifestaram dúvidas sobre os resultados do estudo levantaram questões sobre até que ponto os Vinhos do Porto supostamente mais jovens vendidos com 10 anos de idade podem ter as características dos Vinhos do Porto Tawny. O professor HarroMeijer, que liderou o estudo de datação por radiocarbono, disse estar chocado com o recall de Portos inofensivos.

Os produtores de Porto expressaram sua indignação com a apresentação dos resultados do estudo, que, segundo eles, questionam sua reputação e integridadeO Instituto do Vinho do Porto e Douro (IVDP) negou que os vinhos não cumpram a legislação. Os Portos Tawny de 10 e 20 anos têm um quadro legal e regulamentar perfeitamente definido. Assim, para estes vinhos com indicação de idade, o consumidor deve esperar não só uma idade de maturação, mas também um conjunto de características organolépticas próprias da indicação de idade e processo de envelhecimento.

No entanto, Burghoorn disse: Existe uma discrepância entre a lei da União Europeia e a lei portuguesa sobre rotulagem, que precisa ser resolvida.

O impacto da datação por radiocarbono levou a indústria do Vinho do Porto a repensar a rotulagem das descrições nas garrafas. “Pessoalmente, acredito em melhores descrições nos contrarrótulos, explicando o conceito de blend de um Porto Tawny maturado com indicação de idade (10, 20 etc.), disse Pedro Silva Reis, presidente da Real Companhia Velha“Apesar de a indústria do Porto não reconhecer a credibilidade científica da investigação realizada na Holanda, certamente causará muita reflexão, pois não podemos ignorar a percepção do consumidor, nem ambiguidades comerciais em qualquer grande mercado de exportação. Por isso, acredito que os órgãos reguladores vão discutir esse assunto em profundidade e avaliar o que pode ser melhorado nesse sentido.”

Os resultados do estudo foram conhecidos em novembro de 2021, mas não foram revelados publicamente até este ano. Antes da publicação dos resultados, os jornalistas envolvidos na investigação tinham contatado os produtores do Porto e o IVDP. “Não quero prejudicar o Porto. Tenho um objetivo: melhorar o Porto”, disse Eelco van Wieringen, jornalista que começou a investigação.

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui

Redação
Publicado em 06/02/2022, às 20h00


Mais Mundovino