Revista ADEGA
Busca

Luto no vinho francês

Philippe Cambie, o "Michel Rolland do Rhône”, morre aos 59 anos

Um dos enólogos mais influentes do Vale do Rhône, morreu a um mês de seu 60º aniversário


Philippe Cambie, o "Michel Rolland do Rhône”, morre aos 59 anos

Philippe Cambie teve sucesso no Rhône, Languedoc e Califórnia. Foto de Jon Wyand

Philippe Cambie faleceu aos 59 anos. Ele foi enólogo para dezenas de vinícolas em Châteauneuf-du-Pape e denominações circundantes do sul do Rhône e no Languedoc.

» Qual o vinho certo para harmonizar com bacalhau?

Cambie teve ainda sua própria marca de vinhos, Les Halos de Jupiter, e coproprietário de duas marcas, o projeto Provençal Calendal e o projeto Pinot Noir Beau Marchais na Califórnia

Amava gastronomia, vinho e seus amigos. Solteiro por toda a vida, ele era muito feliz sentado à mesa de um excelente restaurante, cercado por amigos ou cozinhando para eles.

"A experiência de Philippe em vinificação só foi superada pela generosidade de seu coração", disse o produtor da Califórnia, Adam Lee e sócio de Cambie na Beau Marchais.

Cambie nasceu em 1962 em Pézenas, no coração da região vinícola Herault de Languedoc. Seu pai, Yves, trabalhava como banqueiro. Sua mãe, Jacqueline, veio de uma família de produtores de uva.

Depois de estudar química alimentar e trabalhar em uma cervejaria, Cambie mudou de direção e estudou enologia na universidade de Montpellier.

Em 1986, mudou-se para Châteauneuf-du-Pape, trabalhando em uma fábrica de engarrafamento como parte de seus estudos e jogando em uma quadra regional de rugby. Alguns de seus futuros clientes jogaram na equipe com ele e outros eram fãs.

Depois de vários anos experimentando vários empregos no lado menos glamoroso do vinho, incluindo uma temporada como diretor de uma fábrica de engarrafamento para um grande négociant e um trabalho como diretor de vendas para uma empresa de cortiça, Cambie retornou a Châteauneuf-du-Pape em 1998, assumindo um trabalho como enólogo em um laboratório próximo, que forneceu suporte técnico e conselhos para vinícolas da área.

Ao longo do caminho, ele se tornou o mais procurado da região e um reconhecido enólogo consultor. Ele era frequentemente citado como o “Michel Rolland do Rhône”, em homenagem ao influente consultor de Bordeaux. Era um apelido que ele gostava.

Era exigente e gostava de empurrar seus clientes para trabalhar tão duro como ele fez. E também os pressionava a pensar sobre que tipo de vinho eles queriam.

Cambie admitiu livremente que estava obcecado por seu trabalho. "Estou mal-humorado e sou torturado pelos meus erros", disse Cambie. "Em 2002, a colheita foi horrível, eu estava doente o tempo todo. Eu odeio perder”.

Como parceiro de vinificação, Philippe sempre buscava o melhor vinho, lembra Lee. "Ele chegou a fazer Pinot Noir (uma uva com a qual nunca trabalhou), com ideias definitivas sobre o que fazer, mas ele estava sempre aberto a mudar as coisas se as circunstâncias ou minha própria experiência nos levassem a fazer algo diferente."

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui

Glaucia Balbachan
Publicado em 23/12/2021, às 08h00


Mais Mundovino