Revista ADEGA
Busca

Biodinâmica

Projeto de lei defendido por Sting na Itália é barrado e chamado de “feitiçaria”

Lei italiana previa que os vinhos biodinâmicos seriam igualados em questões como promoção e financiamento com a viticultura orgânica


Projeto de lei defendido por Sting na Itália é barrado e chamado de “feitiçaria”

Vinhedo da Toscana utiliza a técninca biodinâmica

O projeto de lei que tramitava na Itália igualando a cultura biodinâmica com a orgânica foi barrado após a petição de cientistas. A lei, que recebeu o apoio de diversos produtores entre eles o famoso músico Sting, estava perto de ser aprovada e colocada em prática.

» ADEGA degusta diversos vinhos em lata e traz aqui os melhores

“Evitamos dar status oficial a um método que não tem base científica”, diz o deputado Riccardo Magi que liderou a oposição à lei. Se aprovado, o projeto a favor da biodinâmica colocaria em pé de igualdade a prática com a viticultura orgânica, recebendo financiamento e promoções do estado italiano.

Se de um lado, produtores que utilizam a técnica defendem a biodinâmica, por outro, grandes cientistas são bastante críticos à prática. Um dos exemplos mais proeminentes é o físico ganhador do Nobel de 2021 Giorgio Parisi que declarou sobre a técnica: “Francamente é feitiçaria”.

Para conhecer as diferenças sobre as técnicas e porque a biodinâmica é tão criticada, clique aqui e veja nossa matéria especial que explica a filosofia de Rudolf Steiner, criador do método.

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui

André De Fraia
Publicado em 14/02/2022, às 16h00 - Atualizado às 16h30


Mais Mundovino