Escola do vinho

Sol engarrafado: o que faz o Moscatel de Setúbal um vinho tão especial?

O vinho doce-fortificado é um clássico de Portugal, apreciado por reis desde o século 14 – incluindo os da França e Inglaterra


O Moscatel de Setúbal tem quatro categorias que se diferenciam pelo seu tempo de estágio

Em textos do início do século passado, o crítico francês Léon Douarche chegou a escrever que o Moscatel de Setúbal é “o sol em garrafa”.

A região da Península de Setúbal, em Portugal, que cobre toda a parte do estuário do Tejo, é uma das mais tradicionais do vinho português, com história vinícola que remonta às primeiras vinhas plantadas na península ibérica. Apesar de não estar restrita aos Moscatéis, deve muito de sua fama a eles.

» Pós-Covid: conheça cinco formas para recuperar seu olfato e paladar enquanto se recupera

Não se sabe exatamente quando as primeiras uvas Moscatel foram cultivadas na região, mas acredita-se que já era um vinho celebrado no século 14, quando Ricardo II, da Inglaterra, o prestigiava, assim como o rei Luís XIV, da França.  

O Moscatel de Setúbal tem quatro categorias, que se diferenciam pelo seu tempo de estágio. Todas elas só podem ser lançadas a partir de um ano e meio de idade, podendo ostentar na rotulagem o ano de colheita ou as indicações de idade. Há vinhos de 5, 10, 20 anos etc. 

Superior – Vinhos com um mínimo de cinco anos de idade e que tenham obtido na câmara de provadores a classificação de qualidade destacada. 

Reserva – Prevê apenas prova em câmara de provadores com classificação de qualidade destacada. 

Moscatel de Setúbal Datado – Com ano da colheita. Significa que este Moscatel de Setúbal não é mistura de lotes de diferentes uvas. É somente Moscatel de Setúbal, daquele ano de colheita. 

Moscatel de Setúbal Não Datado – Significa que este Moscatel de Setúbal é uma mistura de lotes de diferentes uvas. No seu lote coexistem Moscatéis de Setúbal de diferentes anos de colheita. 

Como se faz o Moscatel de Setúbal?

  • As uvas para estes vinhos doces fortificados, seja tinto ou branco, são fermentadas com as suas cascas e, em seguida, adiciona-se aguardente vínica que interrompe a fermentação. As peles são deixadas para macerar durante mais alguns meses, intensificando sabores e aromas.
  • Em seguida, o vinho é drenado para ser envelhecido durante um período mínimo de 18 meses em carvalho.
  • Nesta fase, o Moscatel de Setúbal é amarelo, docemente floral e cítrico. Apenas pequenas quantidades são envelhecidas para tornarem-se, depois de 10, 20, 30 anos, um verdadeiro néctar. 

Para ir além

Rótulos para conhecer melhor este estilo:

Alambre Moscatel de Setúbal 2017

Alambre Moscatel de Setúbal 2017 - AD 92 pontos - José Maria da Fonseca, Península de Setúbal, Portugal

Cativante e gostoso de beber, mostra harmonia entre sua acidez refrescante e sua exuberante doçura.

Sivipa Moscatel de Setúbal 2018

Sivipa Moscatel de Setúbal 2018 - AD 90 pontos - Sivipa, Península de Setúbal, Portugal

Este é um vinho que mostra aromas florais, de frutos secos, de ervas e de especiarias doces, tanto no nariz quanto na boca, tudo envolto por acidez vibrante, textura firme e cremosa e final agradável e untuoso.

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

Arnaldo Grizzo

Publicado em 9 de Janeiro de 2022 às 12:00


Escola do vinho Vinho Moscatel Moscatel de Setúbal Portugal Setúbal Vinho doce Vinhol fortificado Vinho português