Revista ADEGA
Busca

Dia Internacional da Cerveja

Cerveja é apontada como a bebida preferida dos franceses pela primeira vez na história

Pesquisa online aponta a mudança de gosto e a cerveja bateu o vinho


Pesquisa da Sowine aponta que 51% dos franceses preferem cerveja
Pesquisa da Sowine aponta que 51% dos franceses preferem cerveja

Como se não bastasse uma recente pesquisa apontar que a maioria dos franceses está disposta a provar vinhos em lata, para completo horror dos produtores centenários do país, agora outra pesquisa dá a frente para a cerveja no gosto popular.

Numa videoconferência, Sylvain Dadé, da Sowine (agência francesa de marketing, comunicação e pesquisa dedicada às bebidas alcoólicas), apresentou os resultados de uma pesquisa realizada online em dezembro de 2021 pela empresa Dynata, com 1015 pessoas entre 18 e 65 anos. Os pesquisadores afirmam que esse número de pessoas é representativo da população francesa pelo método de cotas. "Pela primeira vez a cerveja tomou a frente na preferência de bebidas alcóolicas pelos franceses", contou Sylvain.

De acordo com os resultados, 51% dos franceses declararam preferir cerveja e 49% vinho. Entre as preferências totais, a cerveja está em primeiro, vinhos em segundo lugar, Champagne vem e terceiro na pesquisa, seguido pelos coquetéis e pelos destilados puros.

Olhando os dados com mais detalhes, eles apontam que a cerveja é mais apreciada pelos homens e o vinho pelas mulheres, sendo que as cervejas francesas representam 58% do consumo e as demais são artesanais. Entre o consumo de vinho, não houve muita mudança em relação às pesquisas anteriores, a preferência ainda é por Bordeaux (45%) sendo que Borgonha e Champagne vem ambas com 26% da preferência cada.

A co-fundadora da Sowine, Marie Mascré destacou mais um dado: o aumento do consumo de bebidas pouco alcoólicas ou desalcoolizadas. 29% das pessoas declaram que consumiram esse tipo de bebida, o que significou um aumento de 2% em relação à pesquisa de 2021. "A tendência é mais acentuada na faixa etária entre os 18 e 25 anos e entre 50 e 65 anos, sendo que as pessoas declararam que consumiram essas bebidas por 'redução no consumo de álcool' (40%) 'desejo de cuidar da saúde' (38%), 'gosto/paladar' (33%) e 'redução de calorias' (20%)”.

Silvia Mascella Rosa
Publicado em 05/08/2022, às 08h10


Mais Mundovino