Mundovino

Covid-19 castiga África do Sul e vinícolas também estão em colapso

Se quisermos ajudar é agora. Que tal eleger um vinho da África do Sul na sua próxima taça?


A história do vinho sul-africano começou muito antes do Novo Mundo entrar na foto

A África do Sul, assim como praticamente o mundo todo, vem passando por sérios problemas causados pela pandemia de Covid-19 e a falta de preparo, gerenciamento e estrutura de saúde para tratar a população.

Os novos casos ligados à variante Delta, identificada inicialmente na Índia, levaram novamente o país a determinar o nível 4 de lockdown com toque de recolher ampliado, proibição de reuniões e refeições em locais fechados, além de vetar a venda de bebidas alcóolicas em todo território nacional.

O presidente Cyril Ramaphosa defende que a medida visa aliviar a pressão sobre os hospitais, evitando acidentes ligados ao consumo de álcool.

Muitos pagam pelo erro de alguns e as vinícolas sul-africanas são parte dos que sofrem com a proibição.

Claro que nem tudo é má notícia. As pesquisas mais recentes mostram que as vacinas trazem proteção efetiva contra a variação Delta. O problema é que a velocidade da vacinação está aquém do esperado na África do Sul e o contágio continua alto.

A belíssima sede da Stellenrust Wine Estate  

Enquanto o nível 4 de lockdown será mantido por pelo menos 14 dias, as vinícolas sul-africanas tentam manter suas portas abertas e continuar viva uma tradição vitivinícola centenária. Afinal, a África do Sul começou a produzir vinhos muito antes do novo mundo entrar na foto.

Esse é o caso da Stellenrust.

O CEO da vinícola, Tertius Boschoff, divulgou ontem, uma carta, na qual se manifesta em relação a situação do país.

Segue aqui, na íntegra:

“Caros amigos,

Apenas uma pequena atualização da situação aqui na África do Sul. Nosso presidente decidiu na noite de ontem colocar o país no Level 4 de lockdown com o crescimento e propagação da variante Delta da Covid-19, nosso sistema de saúde está sobrecarregado e nosso programa de vacinação uma completa bagunça. A venda de álcool na África do Sul está mais uma vez banida.

Kobie e eu gostaríamos de usar esta oportunidade para agradecer você por manter o apoio nesses tempos difíceis. É um massacre à indústria do vinho da África do Sul e talvez signifique o fim de mais vinícolas. Mas em nome das quase 300 bocas que você alimenta trabalhando para Stellenrust – um enorme muito obrigado por cada pedido que recebemos especialmente no último ano.

Quer tenha sido uma caixa, ou um container, ou apenas um e-mail para nos desejar o melhor – nós não podemos agradecer o suficiente a sua lealdade e ajuda para o pessoal da Stellenrust enfrentar essa pandemia e colocar comida nas suas mesas.

Por favor encaminhe essa mensagem para as suas equipes de vendas que são parte desse impacto de salvar os meios de subsistência. Espero que você tenha uma ótima semana.

Com os melhores cumprimentos,

Tertius Boshoff”

Para ajudar os sul-africanos a superar o momento difícil, ADEGA propôs um movimento de divulgação dos vinhos da África do Sul. As importadoras Cantu, Casa Flora, Mistral, Winebrands e World Wine aderiram. Há boas sugestões para todos os gostos e bolsos.

Para ver um belo panorama dos vinhos sul-africanos acesse www.adegaonline.com.br, o marketplace oficial da Revista ADEGA.

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

André De Fraia

Publicado em 2 de Julho de 2021 às 08:40


Mundovino Vinho Vinhedo África do Sul Covid-19 Vinícolas Stellenrust Wine Estate Lockdown