Revista ADEGA

Terroir Brasil

Dez rótulos brasileiros que você deve conhecer

Garimpamos bons rótulos de produtores que têm se destacado no Brasil

Eduardo Milan em 7 de Fevereiro de 2019 às 15:00

Nos anos, graças às centenas de degustações realizadas para a elaboração do Guia ADEGA – Vinhos do Brasil e também em dezenas de viagens, tivemos o privilegio de acompanhar o aparecimento de uma série de pequenos (alguns nem tão pequenos assim) projetos vinícolas em várias partes do país, como nas regiões Sudeste, Centro-Oeste ou Nordeste, mas em maior concentração no Sul, principalmente em terras gaúchas. Tal fato é uma ótima notícia e sinal do amadurecimento e da evolução do setor.

A existência desses produtores e o contínuo surgimento de empreendimentos acabam por contribuir para o desenvolvimento do vinho nacional como um todo, dando a chance de se mostrar, seja em novas regiões, seja com novas ideias, novos métodos ou novos estilos de vinho, que, ao menos, é possível trilhar um caminho diferente. Justamente por serem pequenos ou por estarem começando seus projetos, via de regra, esses produtores têm maior possibilidade de se aventurar, arriscar e dar asas à imaginação em suas cantinas, sem muito receio de errar, fazendo surgir, a partir de seus acertos, uma maior diversidade de produtos, o que é salutar para que o vinho brasileiro evolua continuamente. Isso é o que acontece nos países onde a indústria do vinho está mais madura e o que está apenas começando por aqui.

Porém, é importante salientar que, seja de perfil mais convencional, seja de perfil inusitado, de nada valeria se o resultado na taça fosse insatisfatório. De fato, independentemente da  que filosofia sigam ou do estilo de vinho que elaboram, os produtores listados aqui estão provando que estão no caminho certo e, por isso, merecem ser conhecidos e reconhecidos.

Arte da Vinha

[Colocar Alt]

Eduardo Zenker produz vinhos de modo artesanal em seu projeto Arte da Vinha

O criativo e inquieto Eduardo Zenker produz vinhos de modo artesanal desde 1999, mas nos últimos anos vem mostrando um trabalho mais maduro e com resultados mais consistentes. Fazer uma degustação literalmente na garagem de sua casa em Garibaldi é uma experiência única. Tímido e reservado ao primeiro momento, Zenker mostra sua paixão e conhecimento pela bebida à medida que vai apresentando suas variadas e exóticas criações, que vão desde um espumante seco de Moscato de Hamburgo (elaborado pelo método ancestral) até um curioso e bom Ancellotta fermentado com cachos inteiros. Destaca-se sua linha de laranjas, estilo de branco controverso que agrada muitos e desagrada outros tantos, mas que, em seu caso especíco, vem apresentado qualidade digna de nota. Em 2014, produziu 2.800 litros entre 11 variedades tintas e brancas, distribuídas em quase duas dezenas de rótulos.

AD 92 pontos

SUI GENERIS BRASILIS MALVASIA DE CÂNDIA 2014

Arte da Vinha, Serra Gaúcha, Brasil. Sui Generis é a linha de vinhos laranjas de Zenker. Entre os cinco elaborados, esse 100% Malvasia de Cândia é o destaque. Inclusive, numa degustação às cegas somente de brancos nesse estilo, ele ficou em terceiro lugar, à frente de vinhos europeus de renome. Complexo nos aromas, mostra tangerina e grapefruit seguida de notas florais, herbáceas (arruda) e minerais. Mas, é na boca que merece atenção, impressionando pela vibrante acidez e ótima textura, lembrando giz. Um vinho sério, que cresce na taça. Álcool 13%. EM

AD 91 pontos

ESPÍRITO PACÔMIO ROSÉ ANCESTRAL

Arte da Vinha, Serra Gaúcha, Brasil. Espumante 100% Moscatel de Hamburgo fermentado segundo o método ancestral de única fermentação em garrafa, sem filtrar e sem nenhuma intervenção. O resultado é um vinho de força surpreendente, muito cremoso, cheio de notas florais e terrosas, tudo em meio à acidez vibrante, ótimo volume de boca e final persistente. Álcool 11,5%. EM

Bodega Czarnobay

[Colocar Alt]

Antônio Czarnobay foi um dos primeiros enólogos a acreditar no potencial da região de Encruzilhada do Sul.

Um dos primeiros enólogos a acreditar no potencial da região de Encruzilhada do Sul, Antônio Czarnobay trabalhou na Cooperativa Vinícola Aurora por muitos anos até que, em 2012, começou seu pequeno projeto familiar. Atualmente, elabora três vinhos, sendo um espumante brut e dois tintos. Com seu jeito sempre alegre e cheio de energia, Toninho, como é conhecido, faz vinhos de caráter e personalidade, que têm se destacado nas últimas edições de nosso Guia ADEGA – Vinhos do Brasil.

 

 

AD 90 pontos

ALTO DAS FIGUEIRAS TOURIGA NACIONAL 2013

Bodega Czarnobay, Encruzilhada do Sul, Brasil. Tinto elaborado exclusivamente a partir de Touriga Nacional, com estágio de seis meses em barricas de carvalho. Exuberantes notas florais, típicas da Touriga, permeiam os aromas de cassis e amoras, depois aparecem especiarias, ervas e alcaçuz. Impressiona pela textura de taninos e acidez refrescante, tudo em meio a muita fruta. Tenha paciência com ele na taça e você não irá se arrepender. Álcool 12,5%. EM

AD 89 pontos

ALTO DAS FIGUEIRAS MERLOT 2012

Bodega Czarnobay, Encruzilhada do Sul, Brasil. 100% Merlot, com 10 meses de estágio em barricas de carvalho francês. Mostra cativantes aromas de ameixas envoltos por notas florais, herbáceas, de especiarias doces, de tabaco e de alcaçuz. Estruturado, tem acidez vibrante, taninos marcantes e final mais profundo que cheio. Um tinto de estilo mais clássico, que exige comida e mais tempo de garrafa para mostrar todo o seu potencial. Álcool 12,5%. EM

Casa di Zorzi

[Colocar Alt]

Ronaldo Zorzi faz questão de que todos os seus vinhos sejam elaborados a partir de uvas de vinhedos próprios.

Localizada na linha Leopoldina, no Vale dos Vinhedos, a pequena vinícola foi fundada em 2002. Atuante na região, o proprietário e enólogo Ronaldo Zorzi faz questão de que todos os seus vinhos sejam elaborados a partir de uvas de vinhedos próprios. Nas últimas edições do Guia ADEGA – Vinhos do Brasil, seu Merlot vem - gurando entre os melhores do país, com destaque para o da safra 2011.

AD 90 pontos

PECULIARE MERLOT 2011

Casa di Zorzi, Vale dos Vinhedos, Brasil. Tinto elaborado exclusivamente a partir de Merlot, com estágio de 18 meses em barricas de carvalho francês. Refinado nos aromas, mostra ameixas e amoras escoltadas por notas florais, herbáceas, de especiarias doces e de tabaco. No palato, é frutado, estruturado e elegante, tem taninos de ótima textura, acidez refrescante e final persistente, com toques de mocha e grafite. Álcool 13,5%. EM

AD 88 pontos

PECULIARE NATURAL BRUT

Casa di Zorzi, Vale dos Vinhedos, Brasil. Espumante brut elaborado pelo método tradicional exclusivamente a partir de Chardonnay, mantido 24 meses em contato com as leveduras. Mostra aromas de frutas tropicais maduras envoltos por notas florais, especiadas, de frutos secos e de camomila, que se confirmam na boca. Cremoso e estruturado, tem bom volume, gostosa acidez e final médio. Álcool 12%. EM

Guaspari

[Colocar Alt]

A vinícola Guaspari, em Espírito Santo do Pinhal, produz os melhores Syrah atualmente no Brasil.

O grandioso e belo projeto em Espírito Santo do Pinhal, no interior de São Paulo, teve início em 2006 e utiliza-se da transferência da safra para o inverno por meio da poda invertida – para se aproveitar da maior amplitude térmica da estação e também da menor incidência de chuvas. Tal método é usado com frequência nos projetos vinícolas do Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste, mas é na Guaspari, por enquanto, que os resultados mais consistentes têm sido obtidos. De 50 hectares de vinhedos cuidados com primor, surpreendentemente, saem os dois melhores Syrah produzidos atualmente no Brasil.

AD 91 pontos

GUASPARI SYRAH VISTA DO CHÁ 2011

Guaspari, Espírito Santo do Pinhal, Brasil. Tinto 100% Syrah, com estágio de 24 meses em barricas de carvalho francês. Cativantes notas florais envolvem os aromas de frutas negras, depois aparecem notas especiadas, de ervas secas e de café. Estruturado e suculento, tem taninos de ótima textura, acidez refrescante e final persistente, com toques de alcaçuz. Álcool 14%. EM

AD 89 pontos

GUASPARI SAUVIGNON BLANC 2013

Guaspari, Espírito Santo do Pinhal, Brasil. Branco 100% Sauvignon Blanc, com fermentação e posterior estágio de 12 meses parte em tanques de inox, parte em barricas de carvalho de 600 litros e o restante em ovos de concreto. Mostra frutas brancas e de caroço maduras envoltas por delicadas notas herbáceas lembrando grama cortada, que se confirmam na boca. Tem bom volume, gostosa textura, acidez refrescante e final com toques salinos e cítricos. Álcool 14%. EM

Leone di Venezia

[Colocar Alt]

Variedades italianas brilham na Leone di Venezia, na Serra Catarinense.

De família de origem italiana e com forte ligação com a viticultura (seu avô foi um dos maiores produtores de pipas de madeira do Brasil no século passado), Saul Bianco cursou agronomia com o objetivo de um dia ter sua própria vinícola. Depois de se aposentar e fazer um curso de enologia no Vêneto, escolheu a Serra Catarinense para materializar seu sonho. Bianco possui 15 hectares, dos quais cinco estão plantados com 15 variedades italianas, entre elas Refosco (único no Brasil), Garganega, Montepulciano e Sangiovese. Apesar do início recente, Sangiovese e Refosco já mostram boa adaptabilidade na região, com resultados promissores. A pequena e charmosa vinícola, concluída recentemente, tem potencial para 25 mil garrafas e está localizada em lugar privilegiado, cercada de lindas paisagens.

AD 88 pontos

LEONE DI VENEZIA SANGIOVESE 2013

Leone di Venezia, São Joaquim, Brasil. Tinto elaborado exclusivamente a partir de Sangiovese, com estágio de 11 meses em barricas de carvalho francês. Mostra frutas vermelhas maduras seguidas de notas florais, herbáceas e de especiarias doces, que se confirmam na boca. Estruturado, tem taninos de ótima textura, gostosa acidez e final persistente, com toques terrosos. Álcool 13,4%. EM

AD 88 pontos

LEONE DI VENEZIA MONTEPULCIANO 2012

Leone di Venezia, São Joaquim, Brasil. Tinto 100% Montepulciano, com estágio de 18 meses em barricas de carvalho francês. Complexo nos aromas, mostra frutas negras envoltas por notas especiadas, terrosas, de ervas secas e de tabaco. Num estilo mais maduro e concentrado, tem boa tipicidade, aliando potência e estrutura, com acidez refrescante e ótima textura de taninos. Álcool 14%. EM

Quinta da Figueira

[Colocar Alt]

Destaques da Quinta da Figueira, do jovem enólogo Rogério Gomes, são os vinhos laranjas.

Desde 2008, o jovem enólogo Rogério Gomes vem elaborando vinhos em sua pequena vinícola localizada em Florianópolis. Atualmente produz microlotes de tintos e brancos utilizando uvas de São Joaquim e da Serra Gaúcha. Possui uma vasta linha de vinhos nos mais variados estilos, com destaque para os brancos laranjas, em que os rótulos são classicados de acordo com o período de contato com as cascas.

AD 91 pontos

QUINTA DA FIGUEIRA FLOR DE GARAPUVU CHARDONNAY 2014

Quinta da Figueira, Campos de Cima da Serra, Brasil. Branco elaborado exclusivamente a partir de uvas Chardonnay, sem passagem por madeira. Interessante vinho no estilo dos laranjas, em que a fermentação é realizada na presença das cascas durante 48 horas por meio de leveduras indígenas. Encorpado, estruturado e com ótima textura, tem fruta tropical bem madura, mas também acidez vibrante e ótimo volume, que trazem equilíbrio e harmonia ao conjunto. Mais do que diferente, é muito bom. Um branco com alma de tinto. Álcool 12,5%. EM

AD 89 pontos

QUINTA DA FIGUEIRA RESERVA PERPÉTUA LOTE IV

Quinta da Figueira, São Joaquim, Brasil. Blend de 50% de um conjunto das safras 2009, 2010, 2011 e 2012, com os outros 50% da safra 2013. Ainda está muito jovem, mas já mostra fruta de boa qualidade, taninos de ótima textura e acidez refrescante, o que equilibra a madeira que aqui tem papel importante, tantos nos aromas quanto em texturas. Álcool 13%. EM

Rotava - Monte Rosário

 

[Colocar Alt]

Fundada em 1994, é uma vinícola familiar situada na Rota das Cantinas Históricas de Bento Gonçalves, onde ocupa o prédio da antiga lial da Cooperativa Vinícola Tamandaré. Seus vinhos de caráter e tipicidade destacam-se pela facilidade com que se bebem, mostrando-se eis a um estilo mais “clássico” e de menor concentração e opulência, mas com fruta de ótima qualidade. Nos últimos anos, alguns de seus vinhos têm se destacado na Avaliação Nacional de Vinhos, rigoroso concurso anual realizado pela Associação Brasileira de Enologia, que elege os melhores exemplares de cada safra.

 

AD 89 pontos

ROTAVA MERLOT 2013

Rotava-Monte Rosário, Bento Gonçalves, Brasil. 100% Merlot, com breve passagem por carvalho. Suculento e redondo, tem bom corpo, acidez na medida e taninos macios, tudo recheado por muita fruta e tipicidade. Gostoso e fácil de beber, pede mais uma taça. Álcool 12%. EM

AD 88 pontos

ROTAVA TEROLDEGO 2013

Rotava-Monte Rosário, Bento Gonçalves, Brasil. 100% Teroldego, com breve passagem por madeira, mostra aromas de ameixas maduras, quase em compota, acompanhados de notas florais, tostadas e de alcaçuz, que se confirmam na boca. Estruturado e equilibrado, tem acidez refrescante, taninos de grãos finos e final suculento, que pede a companhia de comida. Álcool 12,5%. EM

Routhier & Darricarrère

[Colocar Alt]

Routhier & Darricarrère foi fundada pelos irmãos franceses Pierre e Jean Daniel Darricarrère e pelo canadense Michel Routhier.

Fundada em 2008 pelos irmãos franceses (criados no Uruguai) Pierre e Jean Daniel Darricarrère e pelo canadense Michel Routhier, a pequena vinícola está localizada na Campanha Gaúcha e possui 6 hectares de vinhedos das variedades Cabernet Sauvignon e Chardonnay. Atualmente, elabora três espumantes e três tintos, que têm em comum o estilo mais elegante, equilibrado, de mínima intervenção e de menor extração, conrmando o potencial da região para produzir grandes vinhos.

AD 90 pontos

ROUTHIER & DARRICARRÈRE SALAMANCA DO JARAU CABERNET SAUVIGNON 2012

Routhier & Darricarrère, Campanha Gaúcha, Brasil. Elaborado exclusivamente a partir de uvas Cabernet Sauvignon, utilizando somente leveduras indígenas, com estágio em barricas usadas de carvalho francês. Nariz cativante, com frutas vermelhas ao licor, notas florais, especiadas e de ervas secas. Jovem e estruturado, tem fruta madura, ótima textura de taninos e final longo, com toques de alcaçuz. Álcool 13%. EM

AD 89 pontos

R E D CABERNET SAUVIGNON MERLOT 2011

Routhier & Darricarrère, Campanha Gaúcha, Brasil. 70% Cabernet Sauvignon e 30% Merlot, com estágio de 10% do vinho em barricas de carvalho francês. Despretensioso e fácil de beber e de entender, mostra cerejas e ameixas maduras envoltas por notas florais, herbáceas e de especiarias doces. Fresco, suculento e redondo, tem boa acidez, taninos macios e final médio e gostoso. Para beber sem pensar. Álcool 12,5%. EM

VINHA UNNA

 

[Colocar Alt]

Marina Santos só elabora vinhos a partir de vinhedos biodinâmicos ou orgânicos.

Marina Santos é a enóloga desse projeto artesanal situado em Pinto Bandeira, que só elabora vinhos a partir de vinhedos biodinâmicos ou orgânicos. Biodinâmica e natural de corpo e alma, Marina tem mostrado outra interpretação possível para os vinhos da Serra Gaúcha, mais especicamente de Pinto Bandeira, imprimindo um estilo de pura fruta, sem muita extração e valorizando o que temos de melhor por lá, que são o frescor, a leveza com força, os taninos cheios de textura e a acidez pulsante. Apesar das pequenas quantidades, os resultados especialmente obtidos com a Cabernet Franc são mais do que promissores e devem ser observados com atenção.

 

AD 90 pontos

VINHA UNNA AS BACCANTES CABERNET FRANC 2014

Vinha Unna, Pinto Bandeira, Brasil. Vinho artesanal (somente 105 garrafas produzidas) elaborado com uvas orgânicas e naturais, através de fermentação espontânea – com uva inteira e maceração carbônica, apenas com leveduras da casca e sem a adição de SO2. Chama a atenção pelo frescor e pela qualidade de fruta, os aromas têm agradáveis notas herbáceas e minerais, que envolvem as frutas vermelhas mais frescas. Um vinho muito fácil de beber e de gostar, que parece simples, mas mostra tensão, ótima textura de taninos e profundidade, num estilo que faz lembrar alguns tintos do Loire. Álcool 12,8%. EM

AD 90 pontos

VINHA UNNA EVOÉ! PINOT NOIR 2015

Vinha Unna, Pinto Bandeira, Brasil (R$ 90). Tinto feito exclusivamente a partir de uvas Pinot Noir de vinhedos orgânicos e biodinâmicos, através de fermentação espontânea, com mínima adição de SO2 no engarrafamento. Aparentando ser menos complexo do que realmente é, surpreende pela pureza e pela qualidade de frutas vermelhas, tanto no nariz quanto na boca. Estruturado e cheio de frescor, tem taninos de ótima textura, acidez vibrante e final persistente, com toques de cerejas ácidas. Prova viva de que, às vezes, menos é mais. Álcool 12,8%. EM

VINHETICA

[Colocar Alt]

Os franceses Jean Pierre Bernard e Gaspar Desurmont criaram o projeto Vinhetica em 2014.

Iniciado em 2014, o projeto dos franceses Jean Pierre Bernard e Gaspar Desurmont desenvolve vinhos nas regiões da Campanha, da Serra Gaúcha e em Santa Catarina. Comprando uvas de produtores conceituados nessas localidades e com blends pouco usuais, eles têm conseguido bons resultados, aliando fruta madura e de qualidade com equilíbrio, certa elegância e frescor, tipicidades encontradas em todos os seus vinhos.

AD 90 pontos

VINHETICA TERROIR DE ROUGE ARINARNOA CABERNET SAUVIGNON 2014

Vinhetica, Campanha Gaúcha, Brasil. Elaborado a partir de Cabernet Sauvignon e Arinarnoa, sem passagem por madeira. Já em sua primeira safra, este tinto elaborado pelo francês Gaspar Desurmont mostra a que veio. Num estilo que privilegia as frutas mais frescas, é suculento sem ser concentrado, tem acidez vibrante, taninos de boa textura e final médio/longo, com toques minerais, de cerejas e de groselhas. É gostoso, direto e acessível, sem ser pretensioso. Experimente-o um pouquinho mais resfriado, em torno de 14o C. Álcool 12,7%. EM

AD 90 pontos

VINHETICA TERROIR D’EFFERVESCENCE BRUT 2014

Vinhetica, Serra Gaúcha, Brasil. Elaborado pelo método tradicional a partir de 40% Chardonnay, 30% Pinot Noir e 30% Riesling Itálico, mantido 12 meses em contato com as leveduras. Estruturado, equilibrado e cheio de frescor, mostra frutas brancas e de caroço, seguidas de notas florais, especiadas e de pão. No palato, tem boa cremosidade e final persistente, com toques minerais e cítricos que convidam a mais um gole. Álcool 12,5%. EM


Notícias Vinho brasileiro Bodega Czarnobay Casa di Zorzi Arte da Vinha Guaspari Leone di Veneza Quinta da Figueira

Artigo publicado nesta revista


Os segredos de Galvão Bueno

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
PDF/Android
1 ano
iPad/iPhone
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 216,00R$ 432,00R$ 216,00R$ 216,00
Assine Agora porR$ 216,00R$ 432,00R$ 56,70R$ 56,70
Desconto
EconomizaR$ 159,30R$ 159,30
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 72,00 6x R$ 72,00
Assinando agora você GANHA também Guia ADEGA Guia ADEGA Vinhos do Brasil 2018/2019 + Poster "as cores do vinho"

Boletim Revista ADEGA

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas