Indícios arqueológicos podem mudar a história do vinho na Itália

Escavações mostram que a história da bebida no país da Bota é anterior ao que se pensava


Até meados de agosto deste ano, os historiadores acreditavam que a história do vinho na Itália teria começado por volta do ano mil antes de Cristo. No entanto, escavações de uma equipe da Universidade de South Florida, em cavernas da Sicília revelaram que o vinho apareceu em território italiano muito tempo antes do que se imaginava.



Ao analisar grandes vasos da Era do Cobre, os pesquisadores encontraram traços de vinho que datam do quarto milênio antes de Cristo. “Esta é a descoberta de resíduos de vinho mais antiga da pré-história na península italiana. Ao contrário de outras descobertas, que eram limitadas a vinhas e mostram apenas onde as uvas eram cultivadas, nosso trabalho resultou em uma identificação de resíduos de vinho”, afirmou Davide Tanasi, arqueólogo que liderou a pesquisa.

Sua equipe analisou grandes jarros encontrados no monte Kronio, perto do porto de Sciacca. Eles estavam intactos e tinham resíduos de ácido tartárico, o que ocorre naturalmente nas uvas e no processo de vini_ cação. O próximo passo agora é identi_ car se o vinho era tinto ou branco.

Da redação

Publicado em 9 de Novembro de 2017 às 14:05


Notícias

Artigo publicado nesta revista