Tesouro latino

Enoturismo na Patagônia

Onde comer bem e beber bons vinhos no Ushuaia, El Calafate e Neuquén


"Il capitano generali nominò questi popoli Patagoni”, essas foram as palavras de Antonio Pigafetta, em seu livro, que descreviam o que havia dito Fernão de Magalhães ao chegar à Patagônia, que nomeara o povo da região de “Gigante Patagón”. Os tehuelches, habitantes da região patagônica, com seus 1,80 metro de altura pareciam gigantes frente aos latino-europeus, com seus 1,55 metro. E foi exatamente por parecerem gigantes e fortes que Magalhães se lembrou da monstruosa criatura do livro Primaleón, el Gran Patagón, e assim acabou batizando o nosso destino.

Ushuaia e El Calafate são pontos de partida para esta viagem inesquecível ao “fim do mundo”

Ushuaia

“Tren del Fin del Mundo” leva até o Parque Nacional, onde se encontra o Lago Fagnano, a Bahia Lapataia e a Bahia Ensenada

O primeiro ponto de parada será o “fim do mundo”, Ushuaia, a cidade mais austral do planeta, capital da província da Terra do Fogo e ponto de partida de algumas das principais atrações dessa viagem. Comece com um passeio de barco. As saídas são diárias do píer turístico da cidade. Escolha o passeio mais completo, que inclui a Estancia Harberton, a primeira estância da região, fundada por Thomas Bridges, fundador também da missão anglicana no Ushuaia. No passeio, você compreenderá o funcionamento dessas fazendas e terá ainda tempo para almoçar um substancioso prato de lentejas.

Antes de chegar à Estancia Harberton, o barco navegará por boa parte do Canal de Beagle e suas estonteantes paisagens, algumas ilhas do arquipélago Bridges como a Isla de los Pájaros, habitada por aves, como o cormorão e o albatroz, e que o farão começar a se apaixonar pela fauna fueguina. A parada seguinte será na Isla de los Lobos, com seus leões marinhos, seguida pelo Farol Les Eclaireurs, um dos principais cartões postais da Terra do Fogo e que marca a entrada na baía do Ushuaia. Por fim, um dos pontos mais aguardados pelos turistas, a Isla Martillo, também chamada de “pinguinera”, com suas colônias de pinguins de Magalhães e pinguins-reis. E, para terminar o dia, já de volta à Ushuaia, vá ao museu da cidade, onde era a prisão local, para compreender um pouco mais da história dessa emblemática região.

No dia seguinte, outro dos imperdíveis passeios é o “Tren del Fin del Mundo”, um bonito trem de madeira movido a vapor que, despejando sua fumaça, vai levá-lo até o magnifico Parque Nacional onde, em meio aos seus 63 mil hectares, estão o famoso Lago Fagnano, a Bahia Lapataia e a Bahia Ensenada – baía onde está situada a peculiar Unidad Postal del Fin del Mundo.

Além de passear pela agradável avenida San Martin, principal rua da cidade, reserve tempo em seu último dia para subir ao Glaciar Martial, onde terá a possibilidade de ter uma vista panorâmica de toda a baía do Ushuaia. Antes de voltar para a cidade e se dirigir ao aeroporto com destino à El Calafate, aproveite para conhecer a preciosa casa de chás La Cabaña, aos pés do Glaciar.

El Calafate

Essa pequena e charmosa cidade com nome de fruta será a segunda base para os seguintes passeios. Deixe sobrar algum tempo ao longo dos dias para passear pela charmosa avenida del Libertador, toda arborizada e repleta de lojas para comprar os incontornáveis souvenires e artesanatos locais.


Isla Martillo, também chamada de “pinguinera”


Estancia Harberton

Farol Les Eclaireurs, um dos principais cartões postais da Terra do Fogo

Reserve já o seu primeiro dia para o que talvez seja o mais obrigatório dos passeios dessa viagem: o Parque dos Glaciares. Nele estão os glaciares Upsala e Spegazzini, e o lindo e impressionante Perito Moreno, já considerado a oitava maravilha do mundo e declarado patrimônio da humanidade. São 5 quilômetros de largura e 60 metros de altura formados por neve compactada e que nos fazem vislumbrar essa maravilhosa nuance de cores do branco ao azul. Novamente, dê preferência ao trajeto mais completo que inclui, além do passeio de barco pelas margens do Glaciar e de uma vista panorâmica, o chamado minitrekking, que permite caminhar por cerca de uma hora sobre a geleira.


Perito Moreno, com 5 quilômetros de largura e 60 metros de altura, patrimônio da humanidade

O segundo dia será para outro parque, dessa vez já do outro lado da fronteira, no Chile, para o não menos impressionante Parque Nacional Torres del Paine. O caminho até lá, apesar de longo, transforma-se em um atrativo por si só, não só por seu relevo, como também por sua fauna, repleta dos simpáticos guanacos, parentes das lhamas. Torça para ter a sorte de ver sobrevoando por ali um condor-dos-andes, a maior ave voadora do mundo. Chegando ao Parque Nacional Torres del Paine, você irá começar a compreender o quão bela pode realmente ser a Patagônia.

Para se hospedar, hotéis de extremo requinte
com vistas incríveis

Todo o parque está situado em torno dos Cuernos del Paine e suas impressionantes formas, além, é claro, das mundialmente conhecidas e muitas vezes escaladas Torres del Paine. Essa Reserva da Biosfera pela UNESCO será, sem dúvida, uma das paisagens mais impressionantes que você verá ao longo de sua vida. Por isso e também um pouco pela longa distância de Calafate, muitos preferem passar pelo menos uma noite em Torres del Paine. Caso faça isso, a melhor opção seria o luxuoso Hotel Explora, que por si só irá se transformar em mais uma atração para a sua viagem.


Para quem quiser ficar perto de Torres del Paine, o luxuoso Hotel Explora é a melhor opção

Resort Los Cauquenes, às margens do Canal de Beagle, perto de Ushuaia



A espetacular vista panorâmica da cidade de Ushuaia do hotel Arakur

Luxo

Falando em hospedagem, provavelmente as duas melhores e mais luxuosas opções para a sua estadia nas terras do fim do mundo são o Resort Los Cauquenes, um pouco mais afastado do centro da cidade de Ushuaia e às margens do Canal de Beagle, e o Hotel Arakur. Também um pouco afastado do centro da cidade, esse membro do The Leading Hotels of the World, está situado sobre o Cerro Alarkén dando aos seus hóspedes o privilégio de uma linda vista panorâmica. Para aqueles que prefiram estar mais próximo ao centro da cidade, uma das boas opções poderia ser o Cilene del Faro.

Já em El Calafate, a mais charmosa das opções de hospedagem é o Hotel Eolo. Situado a cerca de 30 minutos do centro, ele está localizado em meio à vegetação patagônica, trazendo consigo todo o charme de um Relais & Châteaux. Outra opção também muito charmosa e um pouco mais próxima da cidade seria o Los Ponchos Apart Boutique Hotel ou ainda, este sim no coração da cidade, o Hotel Posada Los Alamos.


Campo Grande Resto Bar é uma das boas opções para provar o típico cordeiro patagônico. Abaixo, uma amostra do Chez Manu, que também faz receitas com centolla (ao lado)

A comida na Patagônia

A gastronomia da Patagônia tem um papel muito importante e os três principais protagonistas são a centolla, o caranguejo gigante das frias águas do extremo sul da América; a merluza negra, peixe de carne gorda e saborosa encontrado nas águas austrais de todo o planeta; e o cordeiro patagônico, aberto ao meio e assado inteiro em fogo de chão.

Para comer a centolla, a melhor opção é a Cantina Fueguina de Freddy ou, caso esteja muito cheio, a alternativa é o Villaggio, que fica exatamente ao lado. Em qualquer um dos dois restaurantes de Ushuaia, nem peça para ver o cardápio, peça um babador e divirta-se lambuzando-se com essa deliciosa carne de caranguejo gigante.

A centolla, a merluza negra e o cordeiro patagônico são os astros da gastronomia local

Ainda em Ushuaia, o restaurante Kuar, um pouco mais afastado do centro, ou o Kuar 1900, na avenida San Martin, são duas boas opções para a merluza negra, executadas no ponto perfeito. Outro renomado restaurante da cidade e onde também se encontram tanto a merluza negra quanto algumas receitas com centolla é o Chez Manu.

O cordeiro patagônico deixaremos para El Calafate e novamente com duas opções de restaurantes, para você escolher ou, se preferir repetir, por dois dias essa macia e saborosa carne, elaborada de forma similar à costela gaúcha. São eles, o Campo Grande Resto Bar ou o Casimiro Biguá. Ainda em El Calafate, outra opção é ir a um dos restaurantes La Lechuza ou La Lechuzita, para uma refeição mais informal. Dentre diversas opções estão a tradicional milanesa ou a pizza fugazzeta.

Para os que sempre estão atrás de adoçar o paladar, em El Calafate vá à Abuela Goye para comer o mil folhas de doce de leite ou para provar um dos seus diversos alfajores. E caso esteja atrás de um bom sorvete artesanal, a melhor opção da cidade é o Ovejitas de la Patagonia. Vá de doce de leite ou de calafate, fruto que dá nome à cidade.

E, por fim, para terminar a refeição e o passeio pela Patagônia, nada como um bom trago. Em Ushuaia, vá ao pub irlandês Dublin e peça a cerveja artesanal Beagle. Já em El Calafate, não deixe de ir ao Borges y Alvarez Libro Bar, um peculiar café bar no segundo andar de uma galeria da cidade. Possui uma vasta carta de coquetelaria e opções de tragos. Se estiver em dúvida, faça como os argentinos e peça Fernet con coca. Ou então, um belo vinho patagônico.


Bodega Família Schroeder, com seu ótimo restaurante, é uma opção de visita em Neuquén

Vinícolas da Patagônia

A Patagônia compreende uma grande extensão territorial. Se antes ou depois de visitar suas partes mais austrais como Ushuaia e El Calafate, você ainda tiver um tempo, pode optar por visitar algumas belas vinícolas perto de Neuquén. Uma delas é a Bodega Família Schroeder, fundada em 2003. Com belas instalações, ela ainda possui um ótimo restaurante. Outra é Bodega del Fin del Mundo, que tem visitas guiadas e, durante a colheita, os visitantes podem percorrer os vinhedos, colher uvas etc. Por fim, já em Rio Negro, a Bodega Humberto Canale, uma das mais tradicionais da região, também vale a visita, por seus vinhos e história.

DICAS DE VINHOS DA PATAGÔNIA PARA PROVAR

Noemía - J. Alberto Malbec
Chacra - Cincuenta e Cinco Pinot Noir
NQN - Malma Finca La Papay Malbec
Del Río Elorza - Verum Reserva Malbec
Bodega Del Fin Del Mundo - Special Blend
Família Schroeder - Família Schroeder PN/Malbec
Humberto Canale - Old Vineyard Riesling
Los Miras - Miras Jovén Sémillon
Agrestis - Espumante Rosé Nature
Gérôme Marteau - Reserva Malbec
Océano - Ultramar Sauvignon Blanc
Patritti - Lassia Malbec
Secréto Patagonico - Mantra Malbec

Bodega Família Schroeder
www.familiaschroeder.com

Bodega del Fin del Mundo
www.bodegadelfindelmundo.com

Bodega Humberto Canale
www.bodegahcanale.com

Referências

Ushuaia

Museu Marítimo e Prisão
www.museomaritimo.com

Estancia Harberton
www.estanciaharberton.com

Parque e Tren Del Fin del Mundo
www.trendelfindelmundo.com.ar

Casa de Chás La Cabaña
www.lacabania.com.ar

Hotel Los Cauquenes
www.loscauquenes.com

Hotel Arakur
www.arakur.com

Cilene del Faro
www.cilenedelfaro.com

Chez Manu
www.chezmanu.com

Kuar e Kuar 1900
www.kuaronline.com

El Calafate

Parque dos Glaciares
www.losglaciares.com

Torres del Paine
www.torresdelpaine.com

Sorveteria Ovejita de La Patagônia
www.ovejitasdelapatagonia.com

Abuela Goye
http://abuelagoye.com

La Lechuza
www.lalechuzapizzas.com.ar

Parrilla Casimiro Biguá
www.casimirobigua.com

Los Ponchos Apart Boutique Hotel
www.losponchosapart.com.ar

Posada Los Alamos
www.posadalosalamos.com

Hotel Eolo
www.eolo.com.ar

Hotel Explora
www.explora.com/explora-patagonia

+ Acompanhe as notícias da Patagônia

João Calderón

Publicado em 14 de Janeiro de 2019 às 20:00


Notícias América Argentina Gigante Patagón Ushuaia El Calafate Patagônia

Artigo publicado nesta revista

Chianti

Revista ADEGA 113 · Março/2015 · Chianti

Tudo sobre o vinho mais tradicional da Itália. A rica história, as sub-regiões, seus estilos e seus vinhos + 25 Chianti avaliados