Mundovino

Pesquisa sobre mudanças climáticas sugere possibilidade de duas safras por ano

Pesquisadores da Universidade de La Rioja fizeram testes com Garnacha, Tempranillo e Maturana tinta


Mudanças climáticas podem permitir duas safras por ano

Estudo ressalta a possibilidade de duas colheitas no mesmo ano por conta de mudanças climáticas

O viticultor, engenheiro agrônomo, professor de viticultura da Universidade de La Rioja e pesquisador do ICVV (Instituto de Ciências da Vinha e do Vinho), Fernando Martínez de Toda explica em artigo que foi publicado no Vitis Journal of Grapevine Research, que com mudanças climáticas é possível produzir duas colheitas de uva por ano. 

» As 10 regras de ouro da harmonização (e cinco erros comuns no casamento de vinhos e pratos)

“É um método ousado de combater o aquecimento global, que só poderia se desenvolver em regiões realmente quentes de cultivo de vinho”, conta Martínez.

Ele ainda ressalta que haveria de 40 a 50 dias de diferença nas datas de maturação para a colheita e que a posição das uvas da segunda safra seria totalmente diferente e claramente superior da primeira safra.

Para que funcione, a região de cultivo de uvas precisa ser muito quente. O trabalho consiste em encurtar os brotos de crescimento e forçar o recrescimento da videira. É necessário também eliminar a fonte de inibição como folhas e aglomerados primários.

As variedades que foram testadas para essa experiência foram Garnacha, Tempranillo e Maturana tinta. E a segunda colheita dessas uvas de brotos forçados teve 30% mais uvas que a primeira. Porem os cachos eram menores e os frutos apresentavam pH mais baixo, ou seja, maior acidez, e mais ácido málico e tartárico comparando com as uvas da primeira safra.

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

Assine ADEGA

Glaucia Balbachan

Publicado em 28 de Outubro de 2021 às 08:20


Mundovino Mudanças climáticas Vinho Duas safras anuais Aquecimento global Enologia