Revista ADEGA
Busca

Guerra da Ucrânia

Vinícola ucraniana tenta manter suas exportações em meio à guerra

O relato foi feito por Svetlana Tsybak, diretora da vinícola Beykush


Vinícola Beykush tenta manter suas exportações em meio à guerra
Vinícola Beykush tenta manter suas exportações em meio à guerra

Vinhos em meio a roupas e outros pertences.

Não, não se trata de uma tentativa de contrabando, mas sim de um envio para a participação no Decanter World Wine Awards, evento da revista britânica Decanter.

A vinícola é a ucraniana Beykush que fica no sul do país na margem do Mar Negro e fez um esforço incrível para conseguir enviar suas garrafas à competição. No final conseguiram em um prazo de duas semanas transportar seis caixas de seus vinhos até o escritório de um amigo na Hungria. Devido os perigos da guerra a logística foi feita com uma caixa por vez. De lá, um amigo da família voou de Londres, pegou os vinhos e voltou para a capital inglesa.

A situação mostra como as vinícolas ucranianas tentam sobreviver durante a guerra. “Ontem enviamos três paletes, cerca de 1.200 garrafas, e hoje a mesma quantidade”, disse a diretora da vinícola Beykush, Svetlana Tsybak.

Vinícola ucraniana tenta manter suas exportações em meio à guerra
A vinícola ucraniana Beykush fica no sul do país na margem do Mar Negro

Ela deu uma entrevista à revista britânica e explicou que, em termos de negócios, as exportações podem ser uma fonte crucial de receita para as vinícolas durante a guerra uma vez que o consumo de álcool na Ucrânia está proibido. Ela disse que a vinícola recebeu muitos pedidos, mas a situação logística é inevitavelmente difícil. “Nosso maior problema é que não temos volume suficiente. Ainda temos vinhos em tanques, mas não podemos engarrafar este vinho”. O problema aqui é que a principal fábrica de garrafas de vidro que fornece para o sul da Ucrânia foi destruída, disse ela.

A vinícola Beykush comprou garrafas da Espanha nos últimos três anos, explicou a diretora para completar o fornecimento local, mas com a guerra a situação ficou impossível, forçando uma mudança de planos. Recentemente ela vem tentando comprar garrafas da vizinha Moldávia.

Segundo ela, há um interesse particular de empresas do Reino Unido no vinho laranja produzido pela Beykush a partir da variedade Rkatsiteli. A vinícola aguardará suas notas para confirmar sua qualidade e quem sabe começar a sair da situação em grande estilo.

André De Fraia
Publicado em 07/04/2022, às 16h00


Mais Mundovino