Vinícolas investem em arquiteturas arrojadas

Viticultores apostam em designs modernos, que favorecem a fabricação de vinhos e melhoram o visual de suas adegas


Embora a qualidade do vinho seja indiscutivelmente mais importante do que a estética da vinícola onde foi feito, cada vez mais produtores exercitam suas habilidades de designs para criar edifícios inovadores, modernos e impressionantes nas vinícolas. Esse novo conceito de vinícola art, além da estética, traz muitos benefícios ambientais e econômicos. Veja alguns ótimos exemplos: 

Adega do Artesa

 

-Projetada pelo arquiteto Domingo Triay, de Barcelona, e inaugurada no início dos anos 1990, a adega do Artesa é construída diretamente em uma encosta, em Carneros, perto da cidade de Napa. Erguida com a intenção de misturar perfeitamente a paisagem que envolve, a adega é coberta com uma camada protetora de gramíneas nativas e possui caves subterrâneas.  

Bodegas Irius

 

 

-Localizada na província de Huesca, na região leste norte de Aragão,  Espanha, a Bodegas Irius é uma das adegas mais modernas e inovadoras do mundo. Grande parte da adega é construída no chão, escondendo muito de seus 30.000 metros quadrados sob os vinhedos que a rodeiam. Projetado por Mariano Pascual, o edifício foi desenhado para se assemelhar a uma borboleta.

 

 

 

-Este terreno do século 19 foi adquirido pela família Ceretto em 1987 e transformada em sede de vinificação. O destaque da adega é, sem dúvida, o seu design futurista, com um deck de observação espacial do tipo que se projeta sobre as vinhas proporcionando aos visitantes vistas panorâmicas da propriedade. Conhecido como o Acino, a palavra italiana para uma única baga da uva, ele tem vista para os vinhedos das colinas do Barolo.

 

St. Emilion Château Cheval Blanc

- Em 2006, os proprietários de St. Emilion Château Cheval Blanc, Bernard Arnault e Barão Albert Frère contrataram o arquiteto francês Christian de Portzamparc para projetar uma nova adega para melhorar sua produção de vinho. Inspirando-se nas cubas de fermentação de concreto usados ​​pelo château, Portzamparc criou uma estrutura de concreto coberto com um dossel de concreto branco, que parece flutuar sem peso em cima das videiras.

 

Castello di Amorosa

- Castello di Amorosa é o resultado do sonho de um homem de construir um autêntico castelo medieval na Toscana. Dario Sattui, enólogo italiano e empresário, começou a construir o Castello di Amorosa em 1994 e finalmente abriu para negócios em 2007. Com aproximadamente 121.000 metros quadrados, possui 107 quartos, 90 dos quais são dedicados a vinificação e armazenamento, e um grande hall com dois andares pintados por artistas italianos, com uma antiga lareira de 500 anos. Construído a partir de 8.000 toneladas de pedras esculpidas à mão, o edifício está situado ao longo de oito níveis e dispõe de uma ponte levadiça, calabouço e câmara de tortura, mesmo entre inúmeros caves.

Ysios

 

- Projetado pelo arquiteto Santiago Calatrava em 2001, a adega Ysios em Rioja é conhecida por seu telhado pixelizado e ondulante. É nomeado a partir de dois deuses egípcios: Isis e Osiris.

 

 

 

Darioush

- A vinícola Darioush, em Napa, foi construída para se assemelhar a um palácio persa, refletindo a herança de seus proprietários Darioush e Shahpar Khaledi. Foi fundada em 1997 por Darioush, que cresceu em Shiraz, uma das regiões vitícolas proeminentes do Irã. Projetada pelos arquitetos Ardeshir e Roshan Nozari, a vinícola levou cinco anos para ser construída. Com mais de 120 hectares em Napa Valley, os vinhedos da propriedade cobrem partes de Mount Veeder e Oak Knoll AVAs.

 

 

 

 

 

- Esta vinícola futurista foi projetada pelo arquiteto de renome mundial Frank Gehry. Foi inaugurada em setembro de 2006 no meio da Vinos de los Herederos vinha de Marqués de Riscal, em Rioja. Junto com a adega, a vinícola também abriga um restaurante com estrela Michelin e um spa.

 

 

 

 

Mission Hill Winery

- Mission Hill Winery é uma vinícola canadense baseada na região de Okanagan Valley, da British Columbia. Foi criada em 1966 por um grupo de empresários. Em 1996, o grupo Olson Kundig Architects foi contratado para reconstruir a adega, por um custo de 35 milhões dólares. Possui cerca de 12 andares, e uma torre de 85 pés de altura.

 

Adega O’Fournier

- A adega O’Fournier foi comprada pela família Ortega Gil Fournier, de Burgos, na Espanha, no ano 2000. Ela está localizada a 130 km de San Carlos, cidade de Mendoza. As uvas colhidas são trazidas até a vinícola através de rampas para uma área de recepção elevada onde elas são depositadas em quatro buracos no chão que levam as uvas para um barril no subsolo. Sua característica mais marcante, porém, é o seu telhado negro gigante, que fornece sombra e controle de temperatura.

 

 

 

 
Da redação

Publicado em 2 de Junho de 2015 às 16:12


Notícias