MundoVino

Casal de enólogos japoneses pode ser deportado

Governo francês nega autorização de residência a Rié e Hirofumi Shoji


Após terem sua autorização de residência recusada pelas autoridades francesas, a história de um casal de enólogos japoneses baseados na região de Roussillon está causando comoção na comunidade do vinho local, que criou uma petição para que eles possam continuar seu empreendimento no país.

[Colocar Alt]

Rié e Hirofumi Shoji compraram uma propriedade de 3,5 hectares com vinhedos ao redor de Collioure, ao norte de Banyuls, que foi batizada de Pedres Blanques. Seus primeiros vinhos estrearam em 2017 e já apareceram na carta do célebre restaurante El Celler de Can Roca.

No entanto, no começo deste ano, o governo local recusou a permissão de residência ao casal. “A autorização de residência não pôde ser emitida e, em 3 de abril de 2018, foi notificada uma obrigação de deixar o território francês até 12 de abril”, afirmou a prefeitura. A decisão teria sido tomada baseada em um plano de negócios fornecido pelo casal que, teoricamente, não proporcionaria um salário mensal de 2 mil euros.

Os Shojis recorreram e seu advogado apontou que não é possível examinar a lucratividade de um novo empreendimento no primeiro dia. Ele aponta que 75% da safra de 2018 já foi vendida, o que significa que os ganhos não devem ser um problema para o casal.

Diante do fato, uma petição online para manter o casal na França foi assinada por mais de 30 mil pessoas. A decisão sobre o seu recurso só ocorrerá em setembro.

Da redação

Publicado em 8 de Outubro de 2018 às 15:00


Notícias Rié e Hirofumi Shoji Pedres Blanques França Enólogos japoneses

Artigo publicado nesta revista