Revista ADEGA

Espumantes

Espumantes brasileiros para comemorar a virada de ano!

Diante de tantas opções disponíveis no mercado, ADEGA traz todas as dicas para você acertar na hora da escolha

Eduardo Milan em 21 de Dezembro de 2018 às 15:00

O Brasil já se firmou como um país produtor de vinhos. Vinícolas vêm produzindo tintos, rosés e brancos tranquilos com qualidade cada vez mais consistente. Entretanto, a vocação natural para produzir espumantes, que há tempos gozam de merecida fama e boa reputação, é inegável. Em solo brasileiro, elaboram-se espumantes de ótima qualidade e nos mais variados estilos. Ou seja, há espumante brasileiro para todos os gostos.

Considerando a legislação vigente, basicamente os espumantes são classificados conforme seu teor de açúcares totais (nature, extra-brut, brut, sec, demi-sec ou doce. Assim, em teoria, é permitido produzir espumantes a partir de quaisquer cepas, seja pelos métodos tradicional (segunda fermentação em garrafa), Charmat (segunda fermentação em grandes recipientes) ou Asti (de uma única fermentação). Além disso, os espumantes fruto de segunda fermentação (Tradicional e Charmat) têm que ter graduação alcoólica entre 10% e 13%. Já o Moscatel Espumante, tem que ser elaborado pelo método Asti somente a partir de uvas Moscatel e/ou Moscato, ter graduação alcoólica entre 7% e 10% e açúcar natural mínimo de 20 g/l.

Entretanto, tanto a D.O. Vale dos Vinhedos, quanto as I.P. Pinto Bandeira, I.P. Altos Montes, I.P. Monte Belo do Sul e a novíssima I.P. Farroupilha trazem disposições especiais com relação aos espumantes. Apenas aqueles rótulos que atenderem a essas especificações podem ostentar o selo da respectiva área.

Porém, a nossa diversidade de estilos quando o assunto é espumante não se resume somente aos aspectos legais que listamos abaixo. Foi pensando nisso que ADEGA resolveu separar os espumantes nacionais em quatro categorias maiores, levando em consideração somente aspectos gustativos, com o simples objetivo de facilitar a sua vida na hora de escolher o que vai beber, tornando esse momento o mais prazeroso possível.

CLASSIFICAÇÃO TEOR DE AÇÚCAR

CLASSIFICAÇÃO TEOR DE AÇUCAR
Nature Até 3g/l 
Extra-brut 3g/l até 8g/l 
Brut 8g até 15g/l
Sesc ou seco 15g/l até 20g
Demi-sesc ou meio seco ou meio-doce 20g/l até 60g/l
Doce 60g/l

ESPUMANTES FRUTADOS, MAIS LEVES E CHEIO DE FRESCOR (Nature, Extra-Brut, Brut)

[Colocar Alt]

São espumantes brancos ou rosados, muitas vezes de preço mais acessível, elaborados majoritariamente pelo método Charmat ou, então, pelo método Tradicional, mas, neste caso, com tempo menor de contato com as leveduras – costumeiramente inferior a 18 meses. Nessa categoria, em termos visuais, é comum cores de aspectos menos intensos. Os brancos transitam entre o amarelo-citrino e o palha, algumas vezes com reflexos esverdeados. Já os rosados, tendem a mostrar cores rosa-claro e rosa-salmão bem leves, às vezes puxando para o rosa-melancia. Quanto aos aromas, geralmente são mais diretos, ou seja, mostram mais fruta, notas herbáceas e/ou florais e menos notas especiadas, de fermento e/ou de frutos secos. Já no paladar, além de muito refrescantes, são extremamente frutados, com pouca ou média persistência e boa cremosidade. Sendo assim, são ideais para aperitivos, coquetéis e para acompanhar pratos mais leves, sejam eles com vegetais, carnes brancas e/ou vermelhas, de preferência mais magras. São vinhos para serem tomados jovens, via de regra, com até três anos do engarrafamento.

Como identificar essa categoria na prateleira

Apesar de existirem rótulos mais exclusivos e elaborados pelo método tradicional, geralmente são feitos pelo método Charmat e tem preço mais acessível. Nessa categoria, temos uma infinidade de produtos. Elencamos alguns ótimos exemplos desse estilo que se destacaram em nossas degustações:

AD 88 pontos

AURORA PROCEDÊNCIAS CHARDONNAY BRUT

Aurora, Serra Gaúcha, Brasil (R$ 34,60).

Apresenta cor amarelo-palha de reflexos esverdeados e aromas de frutas brancas e cítricas envoltos por notas florais, herbáceas e minerais. No palato, é tenso, vibrante, tem acidez refrescante, boa cremosidade e final persistente, com toques de limão siciliano. Álcool 12,5%. EM

AD 88 pontos

CASA VALDUGA PROSECCO RESERVA BRUT 12 MESES 2013

Casa Valduga, Vale dos Vinhedos, Brasil (R$ 61,50).

Frutado e refrescante, tem acidez e estrutura que trazem equilíbrio e sustentação ao conjunto, e fruta de aspecto mais maduro. Chama a atenção pela cremosidade. Álcool 11%. EM

AD 89 pontos

CAVE PERICÓ CHAMPENOISE NATURE 2012

Pericó, São Joaquim, Brasil (R$ 60).

Impressiona pela cremosidade e acidez vibrante, mostrando frutas brancas e tropicais acompanhadas de notas tostadas, florais e de pão. Estruturado, tem bom volume e final longo, com toques minerais e cítricos. Álcool 12,5%. EM

AD 90 pontos

FAUSTO BRUT 2014 Pizzato,

Vale dos Vinhedos, Brasil (R$ 45).

Apesar de mostrar um estilo de fruta mais maduro e da maior sensação de dulçor, é muito cremoso, tem ótima textura, bom volume de boca e gostosa acidez, que trazem equilíbrio e sustentação ao conjunto. Fácil de beber e de agradar. Álcool 12%. EM

AD 88 pontos

GARIBALDI CHARDONNAY BRUT

Cooperativa Vinícola Garibaldi, Serra Gaúcha, Brasil (R$ 28).

Mostra fruta num perfil maduro, que traz uma maior sensação de dulçor, mas que está bem equilibrado por sua gostosa acidez, boa textura e volume de boca. Álcool 13%. EM

AD 88 pontos

GUATAMBU ROSÉ BRUT 2014 Guatambu,

Campanha Gaúcha, Brasil (R$ 50).

Linda cor rosa-salmão e aromas cativantes de frutos vermelhos acompanhados de notas florais e de pimenta branca (tudo indica pelo aporte de Gewürztraminer). Fresco, jovial e fácil de beber, tem boa cremosidade e final médio e frutado. Álcool 12,5%. EM

AD 90 pontos

LA BRUT ROSÉ

Luiz Argenta, Altos Montes, Brasil (R$ 66). 

Fresco e austero ao mesmo tempo. Impressiona pela cremosidade e volume de boca do conjunto, tudo num contexto de acidez vibrante, muita fruta e certa complexidade. Cativante e gostoso de beber, aparenta ser mais simples e fácil de entender do que realmente é. Álcool 12%. EM

AD 90 pontos

LUCIA CANEI SALTON BRUT ROSÉ

Salton, Tuiuty, Brasil (R$ 150).

Impressiona pelo equilíbrio, cremosidade e limpeza do conjunto. Tem um estilo que alia frescor, delicadeza e leveza com intensidade, tudo envolto por frutas cítricas, vermelhas e notas florais. Tem final persistente, com toques tostados, de leveduras e de frutos secos. Álcool 11,5%. EM

AD 88 pontos

MONTE PASCHOAL BRUT ROSÉ

Irmãos Basso, Farroupilha, Brasil (R$ 28).

Puros aromas de morangos e framboesas envoltos por notas florais e herbáceas. No palato, é suculento, limpo, fresco e gostoso de beber. Tem boa cremosidade e final médio, com toques cítricos. Uma versão nature seria muito bem-vinda. Álcool 12%. EM

AD 90 pontos

PONTO NERO CONCEPTUAL EDITION ROSÉ DE NOIR Domno,

Vale dos Vinhedos, Brasil (R$ 218,50).

Linda cor rosa-salmão. Austero, cremoso e estruturado, mas também muito fresco. Esbanja frutas vermelhas e de caroço. Tem boa textura, acidez vibrante, que equilibra o seu estilo brut mais adocicado, e final suculento, com agradáveis toques herbáceos e de pão. Álcool 12,5%. EM

AD 87 pontos

TERRANOVA BRUT ROSÉ TIRAGEM 2014

Miolo Wine Group, Vale do São Francisco, Brasil (R$ 28,50).

Apresenta linda cor rosada e aromas de morangos e framboesas mais maduras seguidos de notas florais e de ervas frescas. No palato, tem boa cremosidade, fruta exuberante, acidez refrescante e final médio, confirmando as frutas percebidas no nariz. Álcool 12%. EM

ESPUMANTES ESTRUTURADOS, MAIS COMPLEXOS E ENCORPADOS (Nature, Extra Brut ou Brut)

[Colocar Alt]

Aqui estão os vinhos que ajudam a construir a nossa fama de produtor de
espumantes de qualidade mundial. Em termos gerais, estão um degrau
(ou mais) acima em termos de estrutura, complexidade, profundidade e também cremosidade, sempre mantendo a característica de excepcional acidez. São espumantes brancos ou rosados, na maioria das vezes elaborados pelo método Tradicional (há alguns poucos Charmat que se encaixam nessa categoria), costumeiramente com períodos de contato com as leveduras igual ou superior a 24 meses. No visual, os brancos costumam ter cor amarelo mais definido, transitando do palha em direção ao dourado. Já nos rosados, costumam mostrar cores lembrando pele de cebola. Com relação aos aromas, tendem a ter mais camadas e nuances, que vão desde a fruta de perfil mais maduro, até notas tostadas, de frutos secos, de fermento e de especiarias mais evidentes. No palato, mostram mais volume, cremosidade
e profundidade, esbanjando força e estrutura, que os torna aptos a escoltar
pratos mais elaborados, complexos e/ou mais gordurosos, sejam eles de vegetais, frutos do mar, carnes brancas e/ou vermelhas. São vinhos que têm
condições de evoluir muito bem em garrafa, podendo recompensar aqueles
que apreciam espumantes envelhecidos.

Como identificar essa categoria na prateleira

Geralmente são elaborados pelo método tradicional e trazem especificado o período de contato com as leveduras em meses ou anos. Costumam ter preço mais elevado se comparado à categoria anterior. Esta categoria é bem menor, porém, ano a ano, novos produtores vêm se arriscando. Trazemos uma seleção que exemplifica bem esse estilo:

AD 90 pontos

130 BRUT DÉGORGEMENT 2015

Casa Valduga, Vale dos Vinhedos, Brasil (R$ 91).

Parece que ano após ano o 130 vem buscando um estilo de fruta mais fresca, mas sem perder seu lado cremoso, muito estruturado e cheio de complexidade. Defi nitivamente, por sua força e volume de boca, para acompanhar uma refeição do início ao fi m. Álcool 13%. EM

AD 90 pontos

CAMPOS DE CIMA BRUT 2012

Campos de Cima, Campanha Gaúcha, Brasil (R$ 55).

Mostra um estilo de fruta tropical e de caroço mais madura, privilegiando volume de boca, cremosidade e textura, sempre num contexto mais vinoso, permeado por vibrante acidez. Complexo tanto no nariz quanto na boca, exibe frutos secos, notas tostadas e de especiarias doces. Álcool 13,5%. EM

AD 89 pontos

DON GIOVANNI BRUT

Don Giovanni, Pinto Bandeira, Brasil (R$ 91).

Estruturado e mais encorpado, chama a atenção pela cremosidade e textura, tudo num contexto de acidez refrescante e fi nal persistente, com toques especiados e de frutos secos. Álcool 12,6%. EM

AD 90 pontos

ESTRELAS DO BRASIL BRUT 2010

Estrelas do Brasil, Faria Lemos, Brasil (R$ 60).

Mantendo o estilo estruturado e vinoso da casa, consegue ser fresco, intenso, vibrante, cheio de frutas tropicais e cítricas, tudo envolto por gostosa acidez. Tem fi nal longo e estruturado, com toques salinos e de erva cidreira. Álcool 12,5%. EM

AD 89 pontos

MAXIMO BOSCHI BRUT SPECIALE 2009

Maximo Boschi, Serra Gaúcha, Brasil (R$ 99,20).

Num estilo mais opulento e de frutas mais maduras, transmitindo também uma maior sensação de dulçor, mas que está bem balanceada por sua acidez refrescante e boa estrutura. Álcool 12,5%. EM

AD 90 pontos

SALTON GERAÇÕES JOSÉ BEPI SALTON

Salton, Tuiuty, Brasil (R$ 105).

Mostra cativantes aromas de frutas tropicais mais maduras envoltos por notas fl orais, tostadas e de baunilha. No palato, confi rma esse estilo mais maduro, é estruturado, tem bom volume, ótima cremosidade e fi nal longo, tudo muito bem balanceado por uma acidez vibrante. Álcool 12,5%. EM

ESPUMANTES EXÓTICOS E DIFERENTES

(Nature, Extra-Brut, Brut, Sec, Demi-sec ou Doce)

[Colocar Alt]

Essa categoria seria impensável há 10 anos. Sua existência é um ótimo sinal do amadurecimento de nosso mercado, tanto em relação ao produtor, quanto ao consumidor. Aqui tudo é permitido, é o lugar onde o produtor pode experimentar e dar asas à sua imaginação. É também onde o amante ou aficionado vai ser mais desafiado. Temos muito pouco produtos nessa categoria, porém tudo indica que, ano a ano, teremos mais e mais exemplares.

AD 92 pontos

PIZZATO VERTIGO NATURE 2013

Pizzato, Vale dos Vinhedos, Brasil (R$ 180,00).

Espumante nature virgem - comercializado sem o processo de “dégorgement”. Não se importe com a turbidez, não é defeito, não. Foque-se nos aromas vibrantes de caju, isso mesmo, envoltos por notas florais, minerais e herbáceas. Vibrante, tenso, selvagem, cheio de frescor, textura, cremosidade e deliciosa acidez. Álcool 12%. EM

AD 91 pontos

LÍRICA CRUA

Hermann, Pinheiro Machado, Brasil (R$ 69,40).

Comercializado sem o dégorgement, daí a turbidez. Não ligue para o aspecto visual, preste atenção em sua complexidade aromática e em sua textura cremosa. Austero e cativante, tem muita força e profundidade, tudo envolto por acidez refrescante e muita fruta branca e cítrica. Termina com agradáveis toques salinos. Álcool 11,8%. EM

ESPUMANTES PARA A SOBREMESA (Sec, Demi-Sec ou Doce)

[Colocar Alt]

Aqui entram todos os vinhos com maior teor de açúcar, principalmente os Moscatéis, um dos espumantes de qualidade mais consistente produzidos em solo brasileiro. Em se tratando de Moscatel, o vinho geralmente é branco (embora haja alguns rosados) e tem sempre perlage abundante. Em termos aromáticos, é exuberante, mostrando, via de regra, muita fruta branca seguida de notas florais e herbáceas. Leve e fácil de beber, o importante no palato é ser sempre refrescante, além de mostrar equilíbrio entre acidez e doçura. Por terem maior nível de açúcar e, consequentemente, maior sensação de dulçor, são indicados para acompanhar sobremesas mais leves e/ou à base de frutas ou, porque não, como substituto do chá ou café no lanche da tarde. Como identificar essa categoria na prateleira: é só procurar Moscatel Espumante e/ou as palavras sec, demi-sec ou doce escritas no rótulo e/ou contrarrótulo . Aqui existe um mar de opções de qualidade, elencamos algumas que se destacaram em nossas degustações.

AD 88 pontos

CASA GALIOTTO MOSCATEL ESPUMANTE

Casa Galiotto, Serra Gaúcha, Brasil (R$ 32).

Esbanja notas florais seguidas por aromas de maçãs maduras e toques herbáceos. Suculento e cremoso, confi rma este estilo mais maduro e adocicado na boca, tudo muito bem equilibrado por gostosa acidez. Álcool 7,5%. EM

AD 88 pontos

CASA VALDUGA RESERVA MOSCATEL ESPUMANTE 2014

Casa Valduga, Vale dos Vinhedos, Brasil (R$ 47).

De ótima tipicidade, tem bom equilíbrio entre acidez e doçura. Mostra muita fruta branca madura seguida por notas florais e herbáceas. Álcool 7,5%. EM

AD 88 pontos

CORDELIER MOSCATEL ESPUMANTE

Fante, Serra Gaúcha, Brasil (R$ 20).

Fresco e cheio de maçãs maduras seguidas por notas fl orais e herbáceas. Cremoso, mostra um perfi l de fruta mais madura, bem sustentada por sua gostosa acidez. Álcool 7,5%. EM

AD 88 pontos

GARIBALDI MOSCATEL ESPUMANTE

Cooperativa Vinícola Garibaldi, Serra Gaúcha, Brasil (R$ 24).

Tem boa cremosidade e muita fruta branca madura, seguida por notas fl orais e herbáceas que se confi rmam na boca. Apesar da ótima tipicidade, tem um perfi l mais estruturado e de maior volume em que o dulçor tem papel de protagonista e a acidez de coadjuvante. Álcool 7,5%. EM

AD 89 pontos

MONTE PASCHOAL MOSCATEL ROSÉ

Irmãos Basso, Farroupilha, Brasil (R$ 28).

Apresenta linda cor rosa-melancia e aromas de frutas brancas e cítricas acompanhadas de notas fl orais e herbáceas. Impressiona na boca por sua acidez vibrante, que traz tensão e equilíbrio ao seu lado mais doce. Muito bem feito e de ótima tipicidade. Álcool 7,5%. EM

AD 88 pontos

SALTON MOSCATEL ESPUMANTE

Salton, Serra Gaúcha, Brasil (R$ 22).

Exibe acidez pulsante e refrescante, que traz equilíbrio à sua fruta branca madura. De boa tipicidade, é cremoso e tem fi nal com agradáveis toques cítricos. Álcool 7,5%. EM


Notícias Espumantes Natal Ano novo champangne

Artigo publicado nesta revista


Douro Primeira Prova

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
Digital
1 ano
Digital
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaDigitalDigital
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241224
Comprando Avulso você pagariaR$ 216,00R$ 432,00R$ 216,00R$ 432,00
Assine Agora porR$ 216,00R$ 432,00R$ 64,80R$ 100,00
Desconto
EconomizaR$ 151,20R$ 332,00
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 72,00 6x R$ 72,00
Assinando agora você GANHA também Guia ADEGA Guia ADEGA Vinhos do Brasil 2018/2019 + Poster "as cores do vinho"

Boletim Revista ADEGA

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas