Roteiro leva você para uma viagem inesquecível ao Vale do Uco, na Argentina


Quando se fala sobre enoturismo em Mendoza, geralmente foca-se no que há ao redor da área urbana da cidade que dá nome à província. E convenhamos, não é preciso ir muito distante para desfrutar de experiências enogastronômicas fenomenais, pois em poucos quilômetros concentra-se uma grande quantidade de belíssimas vinícolas e também alguns dos melhores restaurantes não só de Mendoza, mas da Argentina. 

No entanto, nos últimos anos, uma região da província tem recebido muita atenção dos produtores e, cada vez mais, dos enófilos. O Vale de Uco tem sido apontado pela crítica como o local de origem de alguns dos melhores vinhos argentinos e isso fez com que não somente os produtores começassem a se estabelecer por lá, mas também gerou uma imensa curiosidade em turistas que passaram a se deslocar pela região, que fica a cerca de 100 quilômetros da cidade de Mendoza. 

Quem costuma ir à Mendoza para fazer enoturismo está acostumado a fazer de duas a três visitas a vinícolas próximas da região em um mesmo dia e, à noite, voltar para o hotel ou pousada. Devido às distâncias de Ucofazer um “bate e volta” não costuma ser tão simples, apesar de não impossível, mas, ainda assim, tende a ser cansativo. Portanto, cada vez mais os turistas estão buscando uma base na região para poder aproveitar os ótimos empreendimentos que têm aparecido por lá. 

Para facilitar, vamos dividir o vale em três partes. A parte mais ao norte é Tupungato. No centro podemos colocar Tunuyán até Vista Flores. E, mais ao sul encontra-se San Carlos, Altamira e La Consulta. Para se locomover por lá, a opção mais óbvia é alugar um carro, pois, as distâncias costumam ser grandes e diferentemente do centro de Mendoza, os vilarejos são pequenos e rurais, com serviços escassos, ou seja, não se encontra um táxi facilmente pela rua/estrada. Ao locar um carro, lembre-se, contudo, que, assim como no Brasil, não se pode beber e dirigir na Argentina e as blitz nas estradas por lá são frequentes, mesmo em locais mais afastados de centros urbanos, como no Uco. Então, se não quiser correr riscos, há serviços de remises (motoristas) que cobram preço fechado para ajudar na logística dos seus passeios. Se a ideia é ficar na região, vale a pena procurar esse serviço em alguma das vilas, como Tunuyán, por exemplo, ou tentar indicação das vinícolas e pousadas. Motoristas com base em Mendoza também podem ajudar, pois costumam ter contatos em toda a região. 

Seguem então algumas dicas imperdíveis para você aproveitar. 

 

TUNUYÁN 

Saindo de Mendoza, a rota mais “direta” é para Tunuyán, pela Ruta Nacional 40. As principais vinícolas não ficam muito perto do vilarejo, mas nas estradas da região como Ruta Provincial 94 por exemplo, em cujas margens estão o projeto The Vines of Mendoza. Opte por fazer visitas logo cedo e, se for almoçar no restaurante de Francis Mallmann, deixe a tarde livre para uma “siesta”. The Vines com certeza é uma opção de estadia de alto padrão, mas você também pode optar pela charmosa Alpasíon. 

 

Clos de Los Siete 

Dentro do projeto Clos de Los Siete, comandado por Michel Roland, há quatro vinícolas, uma quase ao lado da outra. Cada uma tem seus atrativos e vale a pena visitá-las. A Bodega DiamAndes, por exemplo, encanta pela arquitetura, projeto de Mario Yanzón e Eliana Bórmida, e também pela gastronomia de seu restaurante. DiamAndes é uma iniciativa da família francesa Bonnue, que possui os châteaux Malartic-Lagravière (em Graves) e Gazin Rocquencourt (em Pessac-Léognan). Outra com linda arquitetura é a Monteviejo, que tem um espaço de arte com obras permanentes e exposições itinerantes, além de um restaurante comandado pela chef Nadia Harón. 

 

The Vines of Mendoza 

Esse empreendimento vitivinícola foi pensado como um resort para quem gostaria de ser proprietário de pequenas parcelas de vinhedos e produzir seu próprio vinho na Argentina. Desfrutar do spa resort não é privilégio exclusivo dos proprietários obviamente, mas de qualquer turista que se hospede por lá. O local, além de uma linda vista e de uma possibilidade de hospedagem de alto luxo, têm o icônico restaurante Siete Fuegos, de Francis Mallmann. 

 Entrada do empreendimento The Vines of Mendoza, um dos pontos mais altos do Vale do Uco

SuperUco 

Projeto dos irmãos Gerardo, Matias e Juan Pablo Michelini, a Bodega SuperUco é a expressão do trabalho revolucionário que os Michelini têm feito em Mendoza, com uma arquitetura octogonal e vinhedos plantados sob a égide da biodinâmica. Vale a pena conhecer um pouco das “loucuras” desses irmãos nessa vinícola boutique, que fica dentro da área do The Vines. Há períodos do ano em que a vinícola recebe o restaurante Tegui de Buenos Aires para jantares harmonizados. 


 

TUPUNGATO 

Saindo de Tupungato, pegue a Ruta Provincial 89 e siga. Você passará por diversas vinícolas. É possível fazer reservas para visitar uma seguida da outra e finalizar em algum ótimo restaurante dentro de alguma delas. Se estiver hospedado em Mendoza e vier apenas passar o dia no Uco, essa região talvez seja a que mais opções de visita oferece em pouco tempo. Se quiser se hospedar em alguma vinícola também há ótimas acomodações nSalenteinnAtamisquena La Azul, na Casa Petrini etc. 

 

Salentein 

Uma cave deslumbrante (com seu desenho de rosa dos ventos), uma pousada muito aconchegante, com quartos amplos, e um ótimo restaurante. A Salentein foi uma das primeiras vinícolas da região a oferecer um leque completo de atividades e facilidades para os turistas, além de também contemplar um espaço de arte chamado Killka. 

 

Domaine Bousquet 

A família (de vinhateiros) Bousquet é da cidade de Carcassonne, no sul da França, e chegaram à Mendoza nos anos 1990. Sua bela vinícola no Uco, entre outros atrativos, apresenta o restaurante Gaia, gerido pelo chef Adrian Baggio, com uma pegada francesa de alto padrão, isso sem contar na maravilhosa vista. 

 

Andeluna 

Além da experiência viníca, o chef Pablo Marigliano proporciona uma ótima experiência gastronômica no restaurante da Bodega Andeluna (o nome é a junção de Andes com Luna – lua em espanhol). O local é extremamente acolhedor, com uma arquitetura e espaços que realçam a beleza local. Vale a pena reservar para o almoço ou então fazer uma pequena parada à tarde para uns vinhos e uns petiscos. 

 

Casa Petrini 

Esta é uma vinícola-resort que oferece uma opção excelente de estadia. Há apartamentos amplos com sala de estar, dois quartos, cozinha, pátio coberto, garagem e churrasqueira, que acomodam até cinco pessoas. Você pode se sentir morando no Uco por uns dias, fazendo a própria comida, ou, se preferir, desfrutar do restaurante do local, que é incrível. 

 

La Azul 

Outra ótima opção de estadia na região, a La Azul tem um ambiente charmoso, um restaurante de cozinha regional espetacular (que lota no almoço) e muita comodidade para os turistas. Os poucos e exclusivos quartos têm vista para a cordilheira e decoração de bom gosto. 

 

Finca Sophenia 

O caminho de entrada para a Sophenia (junção dos nomes Sophia e Eugenia, filhas dos sócios-fundadores), com a vinícola de costas para a Cordilheira, impressiona. A visita é superdidática, mostrando todas as particularidades da vitivinicultura do Uco e da visão da enóloga Julia Halupczok em parceria com Matías Michelini. 

 

Atamisque 

A Bodega Atamisque fica na Rota 86, pouco antes de chegar a Tupungato. Outra vinícola de proprietário estrangeiro (o francês John du Monceau) e de arquitetura singular projetada pelo escritório Bormida & Yanzon, erguida com as pedras do local. Seu restaurante, Rincón, que não fica na vinícola, mas um pouco afastado, perto do lodge, tem um ambiente extremamente agradável. 

 

SAN CARLOS, ALTAMIRA E LA CONSULTA 

Esta é a região mais afastada do Uco. Apesar disso, ao redor das vilas de San Carlos, Eugênio Bustos e La Consulta têm surgido algumas das mais chamativas vinícolas da Argentina, em especial a Piedra Infinita, da Zuccadi. Aqui, as opções de estadia são mais restritas e as distâncias a serem cobertas nos passeios, maiores. 

 

Zuccardi Piedra Infinita 

O mais recente empreendimento dos Zuccardi, a Finca Piedra Infinita é o local de onde vêm seus principais vinhos. Tem uma arquitetura impressionante, baseada nas pedras locais, e um restaurante sensacional comandado pela chef Matias Aldasoro. Lembre-se de fazer reserva com bastante antecedência, pois a procura é altíssima e os lugares poucos.

 

Finca La Celia 

A vinícola pertente ao grupo chileno VSPT, dono da Viña San Pedro, mas ela remonta ao século XIX, quando Eugenio Bustos plantou as primeiras vinhas de Malbec no Uco. A casa da pousada, de estilo rústico, construída em 1931, assim como a vinícola, é considerada patrimônio histórico e cultural da viticultura Argentina e tem apenas cinco quartos rústicos mas aconchegantes que dão para uma sala única da casa. O serviço é personalizado com funcionários extremamente gentis e prestativos. 

 

AlfCrux 

Esta talvez seja a mais impressionante vinícola em termos arquitetônicos de todo o Uco, quiçá da Argentina. Conhecida antes por O.Founier, foi adquirida pela família Agostino, proprietários da Bodega Finca Agostino. O local é deslumbrante e vale a visita, também por seu restaurante, spa etc. 

 

 

Da redação

Publicado em 27 de Fevereiro de 2020 às 13:54


Notícias

Artigo publicado nesta revista