Escola do vinho

Vinho fermentado em madeira, conheça seu uso e sua história

Mais do que apenas para envelhecimento, as barricas podem ser utilizadas na fermentação do vinho


 

Tonéis, ou foudres, de madeira utilizados na fermentação do vinho em Bordeaux

Acredita-se que a fermentação em recipientes de madeira seja quase tão antiga quanto a feita em ânforas. Assim que dominou o uso da madeira, especialmente do carvalho, os vinicultores passaram a criar diferentes recipientes com ela (diz-se que as primeiras barricas foram feitas por volta do ano 300 antes de Cristo).

LEIA MAIS

» Fermentação em ânforas de argila, uma volta ao passado

» Tanino: o que é esse componente do vinho?

Logo, eles também perceberam que esses tanques de madeira davam ao vinho nuances diferentes, como aromas e sabores, além da textura. Além disso, some-se a facilidade do manuseio, tanto para criar grandes tanques (ditos foudres) quanto para pequenas barricas. 

Assim, a madeira se tornou o recipiente preferido não somente para fermentar o vinho, como também para transportá-lo e conservá-lo. 

 Por que se usa? 

Fermentar vinho em tanques ou barricas de carvalho (ou outras madeiras), é menos comum do que os estagiar por algum tempo. Nas vinícolas, você geralmente vê o vinho sendo fermentado em tanques de aço ou concreto, por exemplo, e posteriormente trasfegado para uma barrica, permanecendo lá pelo tempo desejado pelo enólogo para ganhar algumas características.

Quando fermentados em madeira, os vinhos tendem a receber algumas influências de sabor e aroma da madeira, além de taninos (quanto mais novo e mais tostado o recipiente, mais notas ele transmitirá ao vinho). 

Uma leve micro-oxigenação, que ajuda a dar tons mais suaves e delicados ao vinho, também ocorre na madeira. 

Desvantagens 

A madeira tem uma propriedade de isolamento que mantém as fermentações mais quentes, o que pode ser algo bom, mas necessita de rigoroso controle de temperatura.

A madeira é mais comumente utilizadas no amadurecimento do vinho, mas também pode estar presente na fermentação 

Como as superfícies dos tanques de madeira são texturizadas e porosas, o vinho penetra na madeira. Isso pode ser prejudicial, pois microrganismos podem se alojar, exigindo que esses recipientes precisem de atenção constantes no processo de limpeza e armazenamento. 

Barricas e tanques de madeira geralmente possuem valor alto e, caso a ideia seja aportar notas da madeira ao vinho, não podem ser usados por anos a fio.

Do carvalho à acácia

Sabia que nem só de carvalho vive a viticultura? Clique aqui e saiba tudo sobre os diferentes tipos de madeira que são empregadas na produção de vinho. 

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

 

Da redação

Publicado em 8 de Fevereiro de 2021 às 10:30


Notícias Fermentação madeira Vinho