Degustação

Degustação especial dos rótulos da Taylor's

Avaliamos e degustamos diferentes rótulos do ícone português Taylor's


A degustação promovida pela Qualimpor a convite de Fernando Seixas, embaixador mundial da Taylor’s, tinha como pretexto provar o lançamento 325º Anniversary e o recém- -engarrafado Colheita 1967. Como de praxe, Seixas nos trouxe algumas outras surpresas e, além dos rótulos citados, provamos os Vintage 2003, 2007, 2009 e 2011 e a nova safra 2012 do Quinta de Vargellas Vintage.

O 325º mostrou-se um Tawny acessível e complexo, aliando fruta concentrada e vivaz com as notas de maturidade aportadas pelas reservas mais velhas adicionadas ao blend. Já a quarta edição de Colheita muito velho da marca, o Single Harvest 1967 é, sem dúvida, a melhor até agora, superando os já excepcionais 1964, 1965 e 1966.

Falando dos Vintage, verticais desse estilo de Porto são sempre muito interessantes, pois as diferenças e as semelhanças acarretadas pelo clima de cada safra ficam mais evidentes. Fica claro na taça a influência de um ano mais quente, como o 2009, e de um ano mais fresco, como o 2012, por exemplo. Também é patente a diferença de estilo entre o Vintage tradicional da marca e o Quinta de Vargellas, este último mais fresco, mineral, de acidez exuberante e de perfil menos potente.

Além disso, sempre é bom revisitar safras icônicas como 2011 e 2007 e perceber como estão evoluindo, neste caso, para melhor. Quanto ao 2011, nós de ADEGA o provamos algumas vezes em 2016, sendo a última, em outubro, no International Tasting. Porém, nessa degustação, o já excelente 2011, mostrou-se ainda melhor, mais integrado, preciso e exuberante, quase perfeito.

Confira a análise detalhada de todos os vinhos!

AD 93 pontos

TAYLOR’S 325º ANNIVERSARY PORT

Taylor’s, Douro, Portugal. Esta edição limitada é um blend das melhores reservas destinadas à elaboração dos Tawnies 10, 20, 30 e 40 anos da Taylor’s. O resultado é um tinto fortificado doce repleto de ameixas e frutas vermelhas em compota seguidas de notas florais, de figos e de especiarias doces. Equilibrado e sedutor, tem agradável textura, ótima acidez e final longo e persistente, com toques de cerejas ao licor. Álcool 19%. EM

AD 98 pontos

TAYLOR’S SINGLE HARVEST PORT 1967

Taylor’s, Douro, Portugal. Tinto fortificado doce unicamente da colheita 1967, essa edição limitada, lançada recentemente, foi envelhecida durante 50 anos em cascos de madeira antes de ser engarrafada. Essa quarta versão, além de ser a melhor de todas até o momento, parece uma síntese das versões anteriores. O nariz sedutor lembra o do 1964, com o corpo e a fruta do 1965 e a tensão, acidez e vivacidade do 1966. Ou seja, um conjunto quase perfeito, de final longo e profundo, com figos secos, tâmaras, marrom glacê, além de toques minerais, medicinais e de frutos secos. Álcool 20%. EM

Leia também:

+ Taylor’s lança versão comemorativa do vinho Porto Tawny

+ Taylor's cria vinho especial para celebrar sua história

AD 94 pontos

TAYLOR’S VINTAGE PORT 2003

Taylor’s, Douro, Portugal. Repleto de notas de violeta que escoltam as frutas negras como cassis e ameixas. Vivo, tenso e acessível, tem ótima textura de taninos, gostosa acidez e final persistente, com toques minerais e de ervas. O que estava mais pronto para beber entre os Vintage provados no dia da vertical. Álcool 20%. EM

[Colocar Alt]

AD 97 pontos

TAYLOR’S VINTAGE PORT 2007

Taylor’s, Douro, Portugal. Mostra aromas de frutas vermelhas e negras maduras, quase em compota, bem como notas pronunciadas de especiarias doces, além de toques florais, minerais, tostados, de alcaçuz e de tabaco. Frutado, estruturado e intenso, chama atenção pela deliciosa acidez, pela textura quase granulada de taninos e pelo final suculento, cheio e longo, lembrando ameixas e chocolate. Álcool 20%. EM

AD 94 pontos

TAYLOR’S VINTAGE PORT 2009

Taylor’s, Douro, Portugal. Os efeitos de um ano mais quente são percebidos na potência, concentração e untuosidade da fruta negra madura. Impressiona pela intensidade e pela excelente textura de taninos, que trazem sustentação ao conjunto. Álcool 20%. EM

AD 98 pontos

TAYLOR’S VINTAGE PORT 2011

Taylor’s, Douro, Portugal. Provado pela primeira vez no primeiro semestre de 2016, quando conferimos 96 pontos, parece ainda melhor agora, em junho de 2017, apresentando mais tensão, precisão e elegância. Aromas exuberantes de frutas vermelhas e negras envoltos por pronunciadas notas florais, tostadas e de especiarias doces, além de toques de tabaco e de chocolate. Chama atenção pelo equilíbrio do conjunto, mesmo estando tão jovem. Álcool 20%. EM

AD 93 pontos

TAYLOR’S QUINTA DE VARGELLAS VINTAGE PORT 2012

Taylor’s, Douro, Portugal. Os Vintage da Quinta de Vargellas sempre se caracterizam por ter um perfil de fruta mais fresca, além de serem menos concentrados se comparados ao estilo dos Vintage da casa. Isso fica ainda mais evidente num ano mais frio como o de 2012, em que mostra excelente acidez, muita mineralidade e intensas notas florais e de ervas frescas. Muito elegante e refinado. Álcool 20%. EM

Eduardo Milan

Publicado em 1 de Fevereiro de 2019 às 13:00


Notícias Taylor's Tawny Vinho do Porto

Artigo publicado nesta revista