Pinot Noir

Os melhores vinhos de Pinot Noir

A Pinot Noir é uma das célebres uvas da Borgonha


A Pinot Noir é responsável por produzir grandes vinhos da Borgonha. Separmos algusns dos melhores rótulos desta célebre uva baseado nas avaliações do Melhor Vinho. Confira!

Lanson Vintage Collection Brut 1976 

Lanson, Champagne, França 
AD 97 pts - Extraordinário

Espumante

[Colocar Alt]

Espumante branco brut composto de uvas 53% Pinot Noir e 47% Chardonnay, advindas somente de vinhedos premier e grand cru, com dégorgement elaborado em julho de 2016, permanecendo assim por volta de 40 anos em contato com as leveduras. O resultado é um vinho de linda cor amarelo-dourada e perlage finíssimo. Extremamente fresco e vivo, mas ao mesmo tempo super complexo, cremoso e com excelente volume de boca. Mostra aromas de frutas maduras como ameixas, figos, nêsperas, além de notas florais, de frutos secos e de limão em compota. Tem final vertical e muito longo, quase interminável, com notas minerais e de limão siciliano. Inesquecível. Álcool 12,5%. EM 

Louis Roederer Cristal Rosé Brut 1995 

Louis Roederer, Champagne, França 
AD 96 pts - Extraordinário

Espumante

Espumante rosé brut elaborado a partir de 55% Pinot Noir, 45% Chardonnay, mantido, no mínimo, 72 meses em contato com as borras e com estágio de 20% do vinho base em barris de carvalho. Muito complexo tanto no nariz quanto na boca, mostra cogumelos, trufas e notas terrosas, tudo num contexto de vibrante acidez, grande mineralidade, muita cremosidade e longa persistência (retrogosto de mais de 40 segundos). Ainda com longa vida pela frente, aqui se sente toda a força da Pinot Noir de modo elegante e preciso. Álcool 12%. EM

Louis Roederer Cristal 2007 

Louis Roederer, Champagne, França 
AD 96 pts - Extraordinário

Espumante

Espumante branco brut elaborado a partir de 58% Pinot Noir, 42% Chardonnay, mantido, no mínimo, 60 meses em contato com as borras e com estágio de 15% do vinho base em barris de carvalho. Nariz delicado e intenso, cheio de mineralidade e frescor. Muito elegante, é super cremoso, tem vibrante acidez  e muita profundidade. Apesar de ainda jovem, já está exuberante e excelente agora. Cheio de camadas e texturas, impressiona pelo volume de boca e pelo final longo e persistente, com toques salinos e cítricos. Álcool 12%. EM

Domaine Drouhin Laurène Pinot Noir 2013

Domaine Drouhin, Oregon, Estados Unidos 
AD 95 pts - Extraordinário

Tinto

[Colocar Alt]

Quase francês (sem ofensa!) com morango e mineralidade a talco. Muito floral mesmo. Em boca é muito elegante com acidez e vinosidade na medida exata. Tem muita força mascarada pela elegância. Tem aquele perfil um pouco balsâmico cheiode complexidade, do tipo Chambolle perfeito. Cada vez mais complexo merece decanter ou paciência na taça. CB

Philippe Pacalet Charmes-Chambertin Grand Cru 2008 

Philippe Pacalet, Borgonha, França 
AD 95 pts - Extraordinário

Tinto

O enólogo Philippe Pacalet tem um vasto curriculum, com destaque para seu estagio ao lado do genial enólogo Bernard Noblet, responsável pela elaboração dos tintos da Domaine de la Romanée Conti. Adepto a produção de vinhos naturais, ou seja, sem nenhuma ou baixíssima quantidade de produtos químicos. Seus vinhos Villages já são espetaculares, imaginem seus Premier Cru e Grand Cru. Pois bem, esse charmoso tinto apresentou o buque mais complexo de todos os Pinot Noir degustados para nossa matéria de capa. A fruta madura (cerejas) está muito bem situada ao lado da madeira que está milimetricamente integrada ao conjunto ao lado de tons especiados e florais. Em boca é sensacional, eletrizante. A alegria desse excelente Pinot Noir é a integração da fruta, do álcool, da acidez, dos tons florais e herbáceos. Final de boca muito longo. Colecionável. Consumo 2012/2020. LGB

Veja também:

Os segredos dos vinhos da Borgonha

+ As sutilezas de Pinot Noir

Clos Dês Lambrays 2004

Clos de Lambrays, Borgonha, França 
AD 95 pts - Extraordinário

Tinto

Fabuloso nos aromas com muita fruta vermelha (framboesa) e negra (cereja) madura. Apresenta ainda toques florais e minerais. Seu conjunto aromático é sensual. Um típico Pinot Noir de uma safra muito boa, porém não excepcional o que coloca esse vinho ainda em 72 cave Prazer na taça maior destaque. Jovem no palato, mas já mostra elegância, estrutura e muita classe. O que impressiona também é seu frescor. Seu final é muito complexo com um toque sutil de café. A produtividade das uvas desse Grand Cru gira em torno de quatro toneladas por hectare. Esse vinho foi provado em abril de 2007 e novamente em maio de 2008. Evoluiu muito nesses 13 meses. Abrir uma garrafa hoje é pura ousadia, mas já propicia muito prazer. Recomendo consumo entre 2010 e 2015. Um dos mais tradicionais e expressivos Grand Cru's da Borgonha. LGB

Armand de Brignac Rosé

Armand de Brignac, Champagne, França 
AD 95 pts - Extraordinário

Espumante

Espumante rosé brut elaborado a partir do blend das safras 2009, 2010 e 2012, composto de 50% Pinot Noir (15% de vinho tinto ao final da mescla), 40% Pinot Meunier  e 10%Chardonnay. Muito preciso, refinado e equilibrado, consegue ser frutado, alegre e jovial, sem deixar de ser tenso, vibrante e sério. Mostra um lado sedutor aportado pelas frutas vermelhas frescas, mas também traz um aspecto austero, aportado por sua mineralidade e pela cortante acidez. Tem final cremoso e por ser muito agradável e gostoso de beber, aparenta ser muito menos complexo do que realmente é. Álcool 12,5%. EM

Domaine Drouhin-Laroze Bonnes Mares Grand Cru 1964

Domaine Drouhin-Laroze, Borgonha, França 
AD 95 pts - Extraordinário

Tinto

Bonnes Mares é um pequeno vinhedo com status de Grand Cru, localizado entre Chambolle-Musigny e Morey-Saint-Denis. Exclusivos acima de tudo, os vinhos dessa denominação são estruturados, combinando taninos marcantes com sutileza e elegância.  Apresenta cor vermelho-rubi de reflexos acastanhados. Delicado, elegante, exótico, classudo e equilibrado, exibe complexas notas minerais, terrosas, de carne crua, que foram evoluindo para tabaco, frutas secas e em compota, além de tomilho. No palato, confirma toda essa complexidade e exuberância, mostrando vivacidade e intensidade, tudo envolto por ótima acidez e taninos muito finos, num final muito longo e persistente. Melhorou bastante com o tempo de copo, ficando ainda mais equilibrado, sutil e elegante. Explica com um gole a fama da Pinot Noir na Borgonha.

Echezeaux 2004

J. Cacheux, Borgonha, França 
AD  95 pts - Extraordinário

Tinto

A safra 2005 na Borgonha foi superior a 2004, mas a boa notícia aqui é que, com isso, os vinhos da safra mais velha, seguida de uma fenomenal, tem preços muito mais acessíveis. Echezeaux é uma pequena parcela de terra (74 acres) que fica entre Vosne-Romanée e Clos de Vougeot. Nessa garrafa você pode encontrar quase tudo o que sonhou com um grande Pinot Noir. Aromaticamente inebriante com muita firmeza, elegância e personalidade. Na boca é suculento e rico. Tem nuances mais minerais que outros 2004 provados. A madeira está muito bem integrada no conjunto. Seus taninos de excelente qualidade nos garantem muitos anos de evolução na garrafa (dez anos tranqüilamente). Recomendo abrir essa garrafa em dois anos. LGB

Drouhin Clos Des Mouches Blanc 2007 

Domaine Drouhin, Borgonha, França 
AD 94 pts - Excelente

Branco

Um vinho quase “Monopole” e que tem tudo para ser um Grand Cru, apesar de não ser nenhum dos dois. O vinhedo Clos de Mouches, de 14 hectares, é metade de Chardonnay, metade de Pinot Noir. Um branco extraordinário apesar de estar ainda super jovem. O conjunto aromático desta obra-prima é repleto de charme e elegância. As frutas (damasco, maçãs etc) estão precisamente intercaladas com uma deliciosa carga mineral e uma deliciosa e sutil baunilha. No palato, é confi rmada a elegância. Sua fi nesse é o ponto alto. Final de boca rico e muito longo. Excelente com uma pescada branca grelhada acompanhada de rúculas e lascas fi nas de tomate seco. Consumo 2010/2016. LGB

Veja também:

+ Leia mais sobre a Pinot Noir

+ Leia mais sobre Borgonha

Da redação

Publicado em 1 de Março de 2019 às 15:00


Notícias Pinot Noir Melhor Vinho Borgonha