Champagne

Qual a maneira correta de abrir espumantes?

O passo a passo para evitar acidentes na hora de servir a bebida


Ao se abrir o espumante com elegância, a rolha não deve fazer barulho e nem voar longe. Isso faz com que uma das coisas mais importantes da bebida se mantenha por mais tempo, o gás

Vai soar mais estranho aos ouvidos do que estourar o espumante na Páscoa, mas uma pesquisa não oficial nos Estados Unidos afirma que ao menos três pessoas perdem a visão de um dos olhos a cada ano por conta de uma “rolha perdida”. 

Mas, como espumante não tem nada a ver com acidentes e estatísticas, mas com celebração, alegria e bons momentos, o que conta realmente é desfrutar desses bons líquidos. Para ajudá-lo, damos algumas dicas para abrir suas garrafas de maneira segura, elegante e de forma a preservar tudo o que esses borbulhantes vinhos têm de bom. Acompanhe:

Leia mais:

Os melhores vinhos de 2019

A tulipa é a taça ideal para espumantes?

5 dicas para abrir o champagne com sabre

Antes de abrir

1- Armazene suas garrafas em local escuro, com temperatura constante (e não alta) e deitado, para manter a rolha úmida.

2- Evite deixar o espumante na geladeira por mais de três ou quatro dias e nunca coloque-o para gelar no freezer, pois a rolha perde elasticidade e dificulta o manuseio.

3- Em um balde grande, coloque gelo e água em partes iguais e, para mais de uma garrafa, coloque uma concha de sal grosso para ajudar a conservar o gelo. Separe um guardanapo de pano limpo e coloque um prato sob o balde.

4- Coloque as garrafas no balde e deixe por 30 a 40 minutos. Se possível, durante esse tempo, pegue cada garrafa e segure na horizontal, fazendo pequenos movimentos de sobe e desce para que o líquido do gargalo – que normalmente fica fora da água gelada – se misture com o restante. Não deixe a garrafa mergulhada inteira na água gelada. A temperatura ideal para a maioria do espumantes fica entre 6ºC e 8ºC.

Durante

1- Retire a garrafa do balde e seque ligeiramente com o pano. Incline-a para um lado em que não existam vidros e nem pessoas e retire a parte superior da cápsula. Normalmente ela tem uma fita ou um picotado que ajuda nesse processo.

2- Com a outra mão solte a gaiola de arame, girando no sentido horário e evitando que ela se quebre. Geralmente são cinco voltas. Nesse ponto, você pode escolher se quer deixar a gaiola sobre a rolha para maior segurança ou se prefere retirá-la e só depois tirar a rolha. Se o espumante parecer muito gelado, é aconselhável não tirar o dedo de cima da rolha e deixar a gaiola solta, mas sobre a rolha até o final da operação.

3- Com o pano na parte superior da garrafa, como que envolvendo o gargalo, segure firmemente com o dedo polegar sobre a parte superior da rolha, evitando que ela saia descontroladamente.

4- Mantendo a mão no gargalo e o polegar sobre a rolha com bastante firmeza, gire a garrafa lentamente (existem pessoas que preferem girar a rolha para um lado e a garrafa para o outro, mas isso ocasiona perda de controle quando a pressão for mais forte e algumas vezes a quebra da rolha) e perceba como a pressão interna começa a fazer força contra seu polegar. Continue o movimento com firmeza e devagar, permitindo que a rolha se desprenda lentamente. O som a ser ouvido deve ser como aquele sinal de hospital para não falar: “sshhhhh”.

5- Para servir, não apóie o dedo no fundo da garrafa, mas suporte-a com a mão toda e lembre-se que a temperatura da taça é diferente do líquido, que as bocas das taças flüte são estreitas e o líquido forma espuma, portanto, sirva vagarosamente. Coloque a quantidade de um dedo no fundo da taça e pare por alguns instantes, depois complete até dois terços da taça.

6- Volte a garrafa ao balde com o pano ao lado para auxiliar a cada vez que for servir, sem respingos.

Por que não fazer barulho ao abrir?

O que diferencia o espumante é justamente o gás proveniente da fermentação que é mantido dentro da garrafa. Esse gás auxilia no momento de sentir os aromas do espumante (é por isso que não é necessário girar a taça de espumantes como fazemos com brancos e tintos durante a degustação) e deve ser mantido dentro dela o maior tempo possível, sua dispersão – tanto brusca quanto lenta – altera o sabor e os aromas da bebida.

Veja também:

As melhores harmonizações para a ceia de Natal

Qual a quantidade de açúcar correta para cada tipo espumante?

ASSINE JÁ A REVISTA ADEGA. DESCONTOS DE ATÉ 76% 

Sílvia Mascella Rosa

Publicado em 20 de Dezembro de 2019 às 10:00


Notícias espumante como abrir espumante champagne