Mundo Vino

Restaurantes buscam alternativas durante a pandemia

Para tentar amenizar impacto da crise, restaurantes consagrados vendem vinhos raros


 

Diante da crise causada pela pandemia, restaurantes famosos dos Estados Unidos estão abrindo suas adegas para vender garrafas raras de vinhos clássicos. Diversos estabelecimentos tentam amenizar os efeitos do impacto econômico trazido pela Covid-19 dessa forma. Para aqueles com estoque, a venda de vinhos finos e raros forneceu receitas para ajudar a pagar funcionários. 

LEIA MAIS

» Vinícolas da Califórnia reabrem com piqueniques após a crise do Covid-19

» 10 restaurantes com cartas de vinho gigantescas

Uma garrafa do Romanée St-Vivant do Domaine de la Romanée-Conti da safra de 2015 está entre os vinhos premiados vendidos pelo restaurante três estrelas SingleThread, em Healdsburg, Califórnia, por exemplo. O coproprietário Kyle Connaughton disse que o restaurante também vendeu uma magnum de Meursault do Domaine Roulot safra de 1992, além de uma garrafa de Chablis Valmur do Domaine Francois Raveneau, de 1996. 

Outro restaurante três estrelas na Califórnia, Manresa, havia vendido aproximadamente US$ 50.000 em vinhos no começo de abril. Ele começou vendendo nomes como Roulot e Liger-Belair, da Borgonha, além da propriedade alemã Weingut Keller. Na semana passada, vendemos algumas safras do Chablis Montée de Tonnerre da RaveneauProduttori di Barbaresco Montestefano 2007, Domaine Marcel Lapierre Morgon 2011 e Arnot Roberts ’Clary Ranch’ Syrah 2014 de Arnot Roberts”, disse Jim Rollston, diretor de vinhos da Manresa. 

No Napa, o famoso restaurante Press ofereceu vinhos de sua adega on-line. Um porta-voz do restaurante disse que safras raras da Califórnia vendidas até agora incluem: Dickerson Vineyard Zinfandel de Ravenswood Winery 1989Rutherford Hill Wines Zinfandel 1980Bella Oaks Vineyard Cabernet Sauvignon Heitz Cellar 1981Joseph Phelps Insignia 1997 etc. 

Adega do Press Restaurant na Califórnia

restaurante Atrium, no Brooklyn, Nova York, realizou um leilão on-line de vinhos e destilados raros. Um lote apresentava garrafas Joseph Phelps Insignia de 1989 e 1990. As ofertas atingiram US$ 700. Outro lote foi uma garrafa de Jean Cavé Bas Armagnac 1972, com lances de US$ 150. “Estamos fazendo tudo o que podemos pensar apenas para ter um lugar onde nossos funcionários possam voltar”, disse Alex LaPratt, proprietário do Atrium. 

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

 

Da redação

Publicado em 17 de Setembro de 2020 às 13:50


Notícias rótulos caros expressivos vinho covid