Champagne

Melhores rótulos de Champagne

Alguns vinhos que representam um pouco da diversidade de estilos que se pode encontrar em Champagne


Os espumantes são responsáveis por marcar de Champagne. A região francesa apresenta uma vasta variedade de rótulos que representam o lugar. A ADEGA separou uma lista com grandes vinhos para você conhecer melhor o o estilo do local. Confira!

AD 91 pontos
BOLLINGER ROSÉ

Bollinger, Champagne, França. A marca de Champagne favorita de James Bond é uma das poucas na região a armazenar seus vinhos em antigas barricas de carvalho francês, não para aportar sabor, mas para permitir oxigenação. Este rosé tem cativantes aromas de frutas vermelhas frescas, como morango e outras frutas silvestres. Em boca, é de um equilíbrio único, com sabores frutados, lembrando cerejas no pé. Tem um pouco mais de estrutura em relação aos brancos devido à adição de vinho tinto. VS

Veja também:

O poder do Champagne

As três cepas de Champagne na França

O que torna Champagne uma região especial?

AD 96 pontos
CUVÉE WILLIAM DEUTZ 2000

Deutz, Champagne, França. Sublime. Esta cuvée é uma homenagem ao fundador da marca e desconfio que algumas gotinhas de uma poção mágica foram adicionadas ao corte, o que justificaria o estado de encantamento ao sorvê-lo. Indubitavelmente, é um Champagne rico, especial, de corpo firme e estruturado. Os aromas são expressivos, mas não perdem a delicadeza representativa do estilo da casa. Leveduras, fermento e frutos secos dispostos num equilíbrio perfeito. VS

[Colocar Alt]

AD 92 pontos
ROGER COULON BLANC DE NOIR 2005

Roger Coulon, Champagne, França. Vinícola familiar, de médio porte, produz Champagne artesanais com uso de leveduras naturais. Este millésime leva Pinot Noir e Pinot Meunier em parte iguais, com aromas minerais e discretamente frutados, lembrando frutas de polpa branca e de caroço. Em boca, tem boa estrutura, mas não chega a ser pesado. Aposta certa para quem gosta de exclusividade. VS

AD 90 pontos
MICHEL LORIOT VIEILLES VIGNES 2006

Michel Loriot, Champagne, França. Michel Loriot é um dos poucos, se não o único, a produzir um Champagne utilizando apenas Pinot Meunier, uva mais resistente que participa minoritariamente nos cortes, contribuindo para reforçar a carga frutada. Neste "solo" de Pinot Meunier, a acidez é mais contida e os aromas evolutivos se sobressaem ao frescor. Complexo e cheio de personalidade, agrada à connaisseurs. VS

AD 92 pontos
MOËT & CHANDON GRAND VINTAGE 2004

Moët & Chandon, Champagne, França. Uma das marcas mais reconhecidas mundialmente, dispensa apresentações. Grande parte desse sucesso deve-se à consistência do produto, no entanto, esse não é o foco dos Champagne safrados, cujo objetivo é expressar as características do ano de colheita. A safra de 2004 resultou em um vinho de grande potência aromática, que impressiona e seduz com seus aromas sóbrios de brioche. Em boca, é bem menos austero, com sabores de frutas cítricas e ácidas. VS

AD 93 pontos
TAITTINGER PRELUDE GRAND CRU

Taittinger, Champagne, França. Extremamente equilibrado e gastronômico. Partes iguais de Chardonnay e Pinot Noir, provenientes de vinhedos Grand Cru, compõem este apetitoso e refrescante Champagne. Sua cor é palha, com perlage finíssimo e constante. Os aromas sedutores e complexos da Pinot Noir predominam no nariz, porém, em boca, é a Chardonnay que desponta, trazendo vivacidade, sabores cítricos e minerais. Acompanha uma refeição completa, com muita elegância. VS

Da redação

Publicado em 9 de Julho de 2019 às 12:30


Notícias champagne espumante vinho francês França

Artigo publicado nesta revista