Vinícolas do mundo

Vinícola com olhar modernista muda a história do Barolo

“Nossos vinhos nunca buscam aprovação incondicional, assim como nosso caráter não está sujeito a compromissos fáceis”, defende a Poderi Aldo Conterno


Enólogo de talento, Aldo mesclou técnicas novas com antigas tradições de Barolo

Nos anos 1950, um jovem italiano havia decidido partir para os Estados Unidos para tentar montar um vinícola juntamente com seu tio, que vivia na Califórnia. Chegando lá, contudo, foi obrigado a se alistar no exército e embarcou para a Coreia do Sul que vivia em guerra com a parte norte da península.

Quando retornou, o sonho da vinícola americana havia se esvaziado.

Sem opção ele voltou ao Piemonte. 

E foi na sua terra natal que o empreendedor Aldo Conterno gravou seu nome na história de um dos grandes vinhos do mundo, o Barolo.

Primeiramente, ele e seu irmão, Giovanni, assumiram as rédeas da vinícola do pai, Giacomo – um dos mais famosos “barolistas” de sua geração, que ainda nos anos de 1920 passou a engarrafar seu Barolo Riserva, dando origem ao Monfortino, um dos Barolos mais icônicos do planeta.

O ápice da vinícola é o Granbussia, que nasce da junção dos melhores vinhedos de Bussia

A história da vinícola dos Conterno, contudo, é anterior a Giacomo.

Seu pai, Giovanni – que havia emigrado para a Argentina no fim do século 19, mas posteriormente retornado à Itália –, já produzia vinhos. Trabalhando juntos, eles viram os vinhos Conterno serem vendidos no mercado interno e também nas Américas, com ajuda de um parente que ficou na Argentina. 

Giacomo decidiu passar a empresa aos filhos Giovanni (seu primogênito) e Aldo, em 1961.

Eles, porém, dividiram a empresa oito anos depois.

Com parte das terras paternas, na área de Monforte d’Alba (o irmão ficou com a parte de Serralunga d’Alba) e também adquirindo o vinhedo Favot, ele fundou a Poderia Aldo Conterno em 1969. Mas antes mesmo de tomar um rumo diferente do irmão, Aldo já estava trabalhando de uma forma diversa do que a tradição de Barolo mandava. 

A propriedade Poderi Aldo Conterno é composta por 25 hectares de vinhedos

Enólogo de talento, Aldo mesclou técnicas novas com antigas tradições de Barolo. 

Por exemplo, para tentar amenizar os clássicos taninos do vinho, decidiu diminuir o tempo de fermentação e ter um vinho pronto mais jovem que o costume da região, mas ainda com seu grande potencial de guarda. 

Apesar de Aldo ser considerado um dos pioneiros do movimento modernista, seus vinhos não romperam totalmente com a tradição de Barolo. Afinal, ainda eram estagiados em grandes barris da Slavônia, por exemplo, e ficaram entre os “modernistas” e “tradicionalistas”. 

Talvez daí tenha vindo o mote da empresa: “In medio stat virtus”, a famosa frase de Aristóteles que aponta que a virtude está no meio e não nos extremos. 

A propriedade Poderi Aldo Conterno é composta por 25 hectares de vinhedos em Monforte d’Alba na localidade de Bussia, coração de Barolo. Grande parte do terreno tem uma exposição sul-sudoeste e é composta por marga argilosa e calcária com camadas de areia. Os rendimentos por hectare são muito baixos e a produção total é de cerca de 80 mil garrafas por ano. Os vinhos não são clarificados nem filtrados, utilizando a técnica de mínima intervenção.

Os três filhos de Aldo: Franco, Stefano e Giacomo

Seus principais Crus são Romirasco, Cicala e Colonnello, com vinhas de mais de 40 anos de idade que produzem alguns dos Barolos mais aclamados.

Seu ápice, no entanto, é o Granbussia, que nasce da junção desses melhores vinhedos de Bussia. O amadurecimento é feito por mais de 30 meses em barricas de carvalho e por mais seis anos em garrafa. A família aponta que ele é a síntese mais pura e virtuosa de seus três Crus históricos (Romirasco, Cicala e Colonnello) feito somente em safras consideradas excepcionais. 

Além do Granbussia e dos três Crus, a vinícola produz mais cinco rótulos: o Barolo Bussia, o Barbera d’Alba Conca Tre Pile, o Il Favot (Nebbiolo), o Langue (blend) e o branco Bussiador, feito com Chardonnay. 

Atualmente, a empresa é dirigida pelos três filhos de Aldo: Franco, Stefano e Giacomo. “Nossos vinhos nunca buscam aprovação incondicional, assim como nosso caráter não está sujeito a compromissos fáceis”, diz a apresentação no site da vinícola.

Em uma entrevista em 2011, Franco, resumiu a filosofia por trás de alguns dos Barolos mais singulares do mundo: “Nosso objetivo final é fazer um vinho que represente o nosso solo. Terei feito o meu trabalho se, ao provar o meu vinho, o reconhecerem como um Barolo de Aldo Conterno”. 

Poderi Aldo Conterno Langhe 2014 - AD 91 pontos

» Baronesa com nome de rainha tem história fascinante e, hoje, grande vinho feito no... Chile!

» A adorável uva Carignan é a “outra Pinot Noir”, de um dos grandes terroirs da França

» Origem do vinho: qual era o gosto da bebida antigamente?

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

 

Arnaldo Grizzo

Publicado em 3 de Junho de 2021 às 13:00


Vinícolas do mundo Poderi Aldo Conterno Barolo História Vinho Itália Piemonte