Adega Responde

Qual a diferença entre frisante e espumante?

A legislação brasileira classifica os vinhos espumantes em cinco categorias


A quantidade de "borbulhas" determina se um vinho é espumante ou frisante

Frisante e espumante diferenciam-se basicamente pela quantidade de pressão interna na garrafa. Segundo a legislação brasileira, os frisantes contêm “anidrido carbônico de 1,1 até 2 atmosferas de pressão a 20ºC”. Já os espumantes precisam ter “uma pressão mínima de 4 atmosferas a 20ºC”. Ou seja, a diferença não está no método de produção, mas “na quantidade de borbulhas”.

No caso dos frisantes, o gás carbônico, responsável pelas borbulhas, pode ser natural ou adicionado. No caso específico do Lambrusco – (os regulados pelo Consorzio Tutela del Lambrusco di Modena) –, as borbulhas obrigatoriamente têm que vir de uma segunda fermentação natural.

Leia mais:

+ A maneira correta de abrir espumantes

Os espumantes são os curingas na harmonização!

Qual a diferença entre os métodos tradicional e Charmat?

Quando visitamos a região de Modena, algumas vinícolas começavam a utilizar o método tradicional em um ou outro rótulo de gama mais alta, buscando obter novas características, como maior longevidade, para seus produtos. Ainda assim, não se referem a eles como espumantes. Confira a legislação que regula os diferentes vinhos espumantes no Brasil:

Vinho Frisante - É o vinho com graduação alcoólica de 7 a 14% em volume, com conteúdo de anidrido carbônico de 1,1 até 2 atmosferas de pressão a 20ºC, natural ou gaseificado.

Vinho Gaseificado - É o vinho resultante da introdução de anidrido carbônico puro por qualquer processo, devendo apresentar uma graduação alcoólica de 7 a 14% em volume e uma pressão compreendida entre 2,1 e 3,9 atmosferas a 20ºC.

Vinhos Espumantes Naturais - São os vinhos nos quais o anidrido carbônico é resultante da fermentação em recipientes fechados e com pressão mínima de 4 atmosferas a 20ºC.

Espumante ou Espumoso Natural (Champanha) - É o vinho espumante no qual o anidrido carbônico é resultante de uma segunda fermentação alcoólica do vinho na garrafa (método champenoise/tradicional) ou em grandes recipientes (método Charmat) com uma pressão mínima de 4 atmosferas a 20ºC e uma graduação alcoólica de 10 a 13% em volume a 20ºC.

Moscato Espumante ou Moscatel Espumante - É o vinho espumante no qual o anidrido carbônico é resultante da fermentação em recipiente fechado do mosto ou mosto conservado de uva Moscatel ou Moscato, com uma pressão mínima de 4 atmosferas a 20ºC com graduação alcoólica de 7 a 10% em volume e um remanescente mínimo de açúcar natural de 20 gramas por litro.

Veja também:

Qual o estilo do espumante brasileiro?

Espumantes Brut, Extra-Brut e Demi-Sec: qual a diferença?

ASSINE JÁ A REVISTA ADEGA. DESCONTOS DE ATÉ 76% 

Da redação

Publicado em 1 de Outubro de 2019 às 19:00


Notícias frisante espumante Lambrusco tipos de espumante

Artigo publicado nesta revista

Supertoscanos

Revista ADEGA 162 · Abril/2019 · Supertoscanos

Os revolucionários que mudaram a história e se tornaram clássicos + seleção de imperdíveis