ADEGA indica

10 rótulos para descobrir o vinho laranja, a onda do momento

O estilo não é novo, muito pelo contrário. Mas voltou com tudo ao radar dos enófilos


Vinho laranja é um estilo que renasceu nos últimos anos

O vinho branco límpido e brilhante é um conceito moderno.

Muito antigamente, os vinhos brancos costumavam ser deixados para macerar em suas peles por muito tempo, assim como ocorre com os tintos que ganham sua cor graças aos pigmentos presentes nas cascas. Ou seja, os antigos já faziam vinho laranja muito antes de eles serem assim classificados.

Só lembrando que o conceito por trás desses vinhos é a maceração com as peles, o que geralmente lhes dá uma cor mais âmbar – daí o nome laranja. 

Diz-se que o “pioneiro moderno” dos laranjas é Josko Gravner, um vitivinicultor da região do Friuli, na Itália. No ano 2000, ele visitou a Geórgia, onde se inspirou em uma tradição que remonta a quase 5.000 anos, em que as uvas são colocadas em grandes ânforas de argila, enterradas no solo, seladas e deixadas para fermentar na terra, com cascas e tudo.

De volta à Itália, testou os métodos e gostou dos resultados com uvas como a Sauvignon Blanc e a indígena Ribolla Gialla, por exemplo. Em algum tempo, amigos passaram a segui-lo, como Stanislao Radikon, Edi Kante, os irmãos Giorgio e Nicolo Bensa, de La Castellada, e Ales Kristancic, da vinícola Movia na fronteira entre Friuli e Eslovênia. 

 Josko Gravner, o “pioneiro moderno” dos laranjas 

Nos anos seguintes, produtores de outros locais passaram a experimentar as técnicas, especialmente alguns norte-americanos – muitos visitaram o Friuli, outros foram à “fonte”, na Geórgia também.

Assim “nasceram” os vinhos laranjas, termo que é creditado a um importador inglês que teria denominado esses vinhos dessa forma em 2004. E se antes eram vinhos comentados somente entre conhecedores, hoje eles são uma categoria nova, com uma série de vinícolas criando suas próprias versões, mesmo que não em ânforas de barro e nem com o mesmo tratamento pouco intervencionista pregado por alguns dos pioneiros.  

Mas, resumindo, os laranjas são vinhos brancos vinificados como tintos, surgidos de uma espécie de “atavismo enológico”, se podemos assim definir, já que são inspirados em técnicas ancestrais. São vinhos que geralmente aliam frescor e notas cítricas a texturas incomuns aos brancos convencionais -- inclusive, em alguns casos, com discreta tanicidade – além da cor âmbar e, muitas vezes, da turbidez.

E, para quem quer conhecer alguns excelentes exemplares, ADEGA fez a seleção a seguir: 

Arcaica Bianco 2016 - AD 93 pontos

Esse laranja da região italiana da Emiglia-Romagna é feito com a uva Albana sob o preceito da biodinâmica

Art.Terra Curtimenta 2017 - AD 93 pontos

Direto do Alentejo, esse português é feito com as castas Antão Vaz, Arinto e Viognier.

Balthasar Ress Rheingauer Landwein Orange Trocken 2017 - AD 93 pontos

De um dos terrois clássicos dos vinhos laranja, esse alemão é feito com as castas Riesling e Pinot Blanc.

De Martino Viejas Tinajas Muscat 2014 - AD 94 pontos

Esse chileno é feito com a uva Muscat plantadas em 1975 e fermentado em ânforas de barro centenárias! Isso sim é clássico!

Era dos Ventos Peverella Nature 2013 - AD 92 pontos

Destaque nacional no Guia Descorchados 2021, a vinícola Era dos Ventos produz esse laranja com a uva Peverella, sendo que parte desidratada da safra 2013 - que passa QUATRO ANOS em barricas - e parte da safra 2017. 

Faccin Riesling Itálico 2017 - AD 90 pontos

Mais um destaque brasuca, o Faccin é um 100% Riesling itálico feito com o conceito de vinificação natural, ou seja, não passa por madeira, não recebe adicão de sulfitos e a fermentação ocorre de forma espontânea. 

Herdade do Rocim Fresh From Amphora Branco 2019 - AD 92 pontos

Em garrafas de um litro, esse português é feito com as inusitadas Perrum (mais conhecida como Palomino e seus Jerez), Rabo de Ovelha(!) e Manteúdo.

La Stoppa Ageno 2011 - AD 92 pontos

Esse complexo e exótico vinho italiano é feito a partir de Malvasia de Candia, Otrugo e Trebbiano.

Quinta da Figueira Flor de Garapuvu Chardonnay 2014 - AD 91 pontos

Esse 100% Chardonnay é um branco com alma de tinto produzido pela vinícola Quinta da Figueira.

Via Revolucionaria Pink Panter Moscatel 2019 - AD 92 pontos

Fechando nossa lista esse argentino é um 100% Moscatel proveniente de um vinhedo plantado em latada.

» George Clooney compra vinícola e se muda para Provence

» Tempestades destroem vinícolas inteiras na Alemanha

» Massa polar? 10 vinhos encorpados para aquecer os dias frios

Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

Da redação

Publicado em 1 de Agosto de 2021 às 11:25


Adega Indica Vinho Vinho laranja Dicas de vinho ADEGA indica